Co­mér­cio aque­ci­do a dois di­as do Na­tal

Com­pras de úl­ti­ma ho­ra fa­zem com que a se­ma­na que an­te­ce­de o fe­ri­a­do se­ja a me­lhor pa­ra os lo­jis­tas; pes­qui­sa apon­ta al­ta de 30% nas ven­das com re­la­ção ao ano an­te­ri­or

O Diario do Norte do Parana - - CIDADES - Ivy Val­sec­chi

A 3 di­as do Na­tal, com­pra­do­res de úl­ti­ma ho­ra mo­vi­men­ta­ram o co­mér­cio de Ma­rin­gá na ma­nhã de sá­ba­do. A se­ma­na pré­fe­ri­a­do, de fa­to, é vis­ta pe­los em­pre­sá­ri­os do se­tor o a de mai­or mo­vi­men­to.

A do­més­ti­ca Maria José Gon­çal­ves foi uma das pes­so­as a apro­vei­tar o fim de se­ma­na pa­ra as com­pras. “Já com­prei pre­sen­tes pa­ra meus fi­lhos e um pa­ra dar no ami­go se­cre­to. Ago­ra es­tou apro­vei­tan­do pa­ra me pre­sen­te­ar”, con­tou. Maria diz que cos­tu­ma eco­no­mi­zas pa­ra ga­ran­tir as com­pras de fim de ano, mas es­se ano pre­ci­sou co­lo­car o pé no freio. “No ano pas­sa­do me en­di­vi­dei com as com­pras de Na­tal e ain­da es­tou pa­gan­do as dí­vi­das. Por is­so es­se ano me pro­gra­mei pa­ra com­prar tudo à vis­ta e es­tou gas­tan­do me­nos. Se eu ti­ves­se me con­tro­la­do gas­ta­ria mais, mas não dá pa­ra dei­xar de com­prar pre­sen­te.”

Con­su­mi­do­res ani­ma­dos são sinô­ni­mo de bons negócios pa­ra lo­jis­tas. Se­gun­do pes­qui­sa do De­par­ta­men­to de Pes­qui­sa e Es­ta­tís­ti­ca (De­pea) da As­so­ci­a­ção Co­mer­ci­al e Em­pre­sa­ri­al de Ma­rin­gá (ACIM) re­a­li­za­da en­tre 21 de no­vem­bro e 3 de de­zem­bro, qua­se 80% dos co­mer­ci­an­tes es­pe­ram ven­der 30% mais que no Na­tal de 2011. Ex­pec­ta­ti­va con­fir­ma­da pe­la ge­ren­te de uma lo­ja de pre­sen­tes e utilidades do­més­ti­cas, Iva­nil­de Ja­co­mi­ni Guer­rei­ro. “Sem­pre es­pe­ra­mos 30% de au­men­to, e a me­ta é al­can­ça­da. O Na­tal é a me­lhor épo­ca do ano, e nes­te pe­río­do o mo­vi­men­to tri­pli­ca. Até o fe­cha­men­to do mês, a ex­pec­ta­ti­va é de que as ven­das au­men­tem o do­bro em com­pa­ra­ção com no­vem­bro.” Na lo­ja, a for­ma de pa­ga­men­to es­tá equi­li­bra­da en­tre o car­tão e o di­nhei­ro. “E qu­em pa­ga com car­tão nor­mal­men­te faz par­ce­la­do. Com­pras à vis­ta são mais com di­nhei­ro.”

Ain­da mais oti­mis­ta, a ex­pec­ta­ti­va da ge­ren­te de uma lo­ja de lin­ge­ri­es, Tâ­nia Mi­cha­lak, é ven­der 50% a mais que no Na­tal an­te­ri­or. “Já es­ta­mos per­to. Nos di­as que an­te­ce­dem o Na­tal o mo­vi­men­to é ain­da mai­or, pois mui­tos dei­xam pa­ra com­prar de úl­ti­ma ho­ra.”

Além de con­su­mi­do­res de Ma­rin­gá, a lo­ja tem re­ce­bi­do mui­tos com­pra­do­res de ci­da­des da re­gião. Em re­la­ção ao pa­ga­men­to, Tâ­nia diz que a mai­o­ria têm es­co­lhi­do pe­la for­ma à vis­ta. “Tam­bém es­ta­mos dan­do des­con­to pa­ra fi­de­li­zar cli­en­tes”.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.