Mu­dan­ças são ‘atra­so de vi­da’

O Diario do Norte do Parana - - ESPORTES -

Um acor­do des­ne­ces­sá­rio e com­pli­ca­do. É as­sim que a pro­fes­so­ra de Lín­gua Por­tu­gue­sa da Uni­ver­si­da­de do Es­ta­do do Rio de Ja­nei­ro (Uerj) e pes­qui­sa­do­ra do Con­se­lho Na­ci­o­nal de De­sen­vol­vi­men­to Ci­en­tí­fi­co e Tec­no­ló­gi­co (CNPq) Dar­cí­lia Si­mões, des­cre­ve o No­vo Acor­do Or­to­grá­fi­co da Lín­gua Por­tu­gue­sa.

Um dos prin­ci­pais pro­ble­mas, se­gun­do a pro­fes­so­ra, foi a mu­dan­ça das re­gras de uso do hí­fen. Pa­ra ela, foi on­de “eles com­pli- ca­ram tudo.” “Ho­je em dia nin­guém mais sa­be usar hí­fen. Do pon­to de vis­ta prá­ti­co, es­sa re­for­ma foi um pro­ble­ma. Is­so es­tá cri­an­do um atra­so de vi­da no am­bi­en­te do fa­lan­te co­mum, e pi­or fi­cou pa­ra qu­em dá au­la de Lín­gua Por­tu­gue­sa.”

Dar­cí­lia diz que o no­vo acor­do te­ve mo­ti­va­ções po­lí­ti­cas e econô­mi­cas, em vez de ter co­mo ob­je­ti­vo fa­ci­li­tar a vi­da do usuá­rio da lín­gua. Pa­ra ela, o que hou­ve foi um con­fron­to de for­ças en­tre Bra­sil e Por­tu­gal, “ca­da um di­zen­do ‘eu que­ro que vo­cê es­cre­va co­mo eu’.”

“No fi­nal das contas, fi­ze­ram os acer­tos pa­ra dar nis­so que deu. Há tam­bém as for­ças econô­mi­cas, por­que vo­cê sa­be que as edi­to­ras vão ga­nhar sem­pre com a re­pu­bli­ca­ção das obras se­gun­do o no­vo acor­do”, lem­brou.

De acor­do com a pro­fes­so­ra, o “pre­ten­so” ob­je­ti­vo de tam­bém uni­fi­car a es­cri­ta dos oi­to paí­ses tam­pou­co foi atin­gi­do.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.