Pa­es cha­ma mé­di­co de de­lin­quen­te

O Diario do Norte do Parana - - GE­RAL -

O pre­fei­to do Rio, Edu­ar­do Pa­es (PMDB), clas­si­fi­cou de “de­lin­quen­te” o neu­ro­lo­gis­ta Adão Or­lan­do Cres­po Gonçalves que não com­pa­re­ceu ao plan­tão do Hos­pi­tal Mu­ni­ci­pal Sal­ga­do Fi­lho na noi­te do dia 24 de de­zem­bro e fez com que uma cri­an­ça de dez anos aguar­das­se oi­to ho­ras por uma ci­rur­gia.

Se­gun­do Pa­es, a de­ter­mi­na­ção é de que o pro­fis­si­o­nal se­ja de­mi­ti­do.

A me­ni­na Adri­e­le dos Santos Vieira foi ba­le­a­da na ca­be­ça du­ran­te as co­me­mo­ra­ções de Na­tal. “É um ir­res­pon­sá­vel. Não dá pa­ra a pes­soa es­tar es­ca­la­da pa­ra o plan­tão e sim­ples­men­te não apa­re­cer. Acho até que ele ti­nha de res­pon­der cri­mi­nal­men­te”, dis­se Pa­es.

Ques­ti­o­na­do se não hou­ve erro de pla­ne­ja­men­to do hos­pi­tal, que de­ve­ria ter es­ca­la­do pe­lo me­nos dois mé­di­cos pa­ra o plan­tão, Pa­es afir­mou que se tra­ta de uma ar­gu­men­ta­ção pa­ra pro­te­ger o mé­di­co. “Aí a cor­po­ra­ção vem à fren­te. O sin­di­ca­to dos mé­di­cos já co­me­ça com as te­ses cor­po­ra­ti­vis­tas pa­ra pro­te­ger es­se de­lin­quen­te, por­que é um de­lin­quen­te es­se pro­fis­si­o­nal que fal­tou”, com­ple­tou.

Se­gun­do ele, a si­tu­a­ção dos hos­pi­tais da ci­da­de do Rio “não é ex­cep­ci­o­nal, mas boa”. Ele anun­ci­ou a im­plan­ta­ção do pon­to bi­o­mé­tri­co em to­dos os hos­pi­tais e cen­tros de saú­de do Rio pa­ra au­men­tar a fis­ca­li­za­ção do cum­pri­men­to da jor­na­da de tra­ba­lho por par­te dos pro­fis­si­o­nais pú­bli­cos de saú­de. Os hos­pi­tais te­rão seis me­ses pa­ra se adap­tar. “Já di­vul­ga­mos a es­ca­la dos mé- di­cos dos hos­pi­tais da pre­fei­tu­ra. Ago­ra te­re­mos o pon­to bi­o­mé­tri­co pa­ra aca­bar com es­sa maluquice”, afir­mou.

A po­lí­cia do Rio abriu inqué­ri­to pa­ra apu­rar se hou­ve omis­são de so­cor­ro no ca­so da me­ni­na ba­le­a­da na ca­be­ça. Adri­elly che­gou ao Sal­ga­do Fil­lho, no Méi­er, zo­na nor­te do Rio, pou­co an­tes da meia-noi­te de an­te­on­tem, mas só foi ope­ra­da às 8h30 da ma­nhã se­guin­te, por­que o neu­ro­ci­rur­gião es­ca­la­do pa­ra tra­ba­lhar no plan­tão no­tur­no ha­via fal­ta­do. “O que cons­ta é que um mé­di­co de­ve­ria es­tar no hos­pi­tal e não es­ta­va quan­do es­se pro­ble­ma to­do ocor­reu. O neu­ro­ci­rur­gião po­de ser in­di­ci­a­do por omis­são de so­cor­ro”, dis­se o de­le­ga­do da 23ª De­le­ga­cia Po­li­ci­al, Luiz Ar­qui­me­des.

Os pais da me­ni­na fo­ram ou­vi­dos à tar­de pe­lo de­le­ga­do.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.