Re­mé­dio ma­ni­pu­la­do te­rá bu­la pa­dro­ni­za­da

O Diario do Norte do Parana - - REGIÃO - Agên­cia Es­ta­du­al

re­da­cao@odi­a­rio.com O Pa­ra­ná é o pri­mei­ro Es­ta­do a obri­gar far­má­ci­as de ma­ni­pu­la­ção a for­ne­cer bu­las de­ta­lha­das com seus me­di­ca­men­tos. A me­di­da co­me­çou a va­ler na quin­ta­fei­ra, após o se­cre­tá­rio es­ta­du­al da Saú­de, Mi­che­le Ca­pu­to Ne­to, as­si­nar re­so­lu­ção que nor­ma­ti­za for­ma e con­teú­do das cha­ma­das “bu­las ma­gis­trais”, com in­for­ma­ções se­me­lhan­tes às en­con­tra­das em re­mé­di­os in­dus­tri­a­li­za­dos.

De acor­do com Ca­pu­to Ne­to, a le­gis­la­ção es­ta­du­al ser­ve de mo­de­lo pa­ra que uma nor­ma­ti­va na­ci­o­nal se­ja cri­a­da, be­ne­fi­ci­an­do os usuá­ri­os des­se mer­ca­do que vêm cres­cen­do a ca­da ano no Bra­sil. “O ob­je­ti­vo é in­for­mar o con­su­mi­dor da me­lhor for­ma, evi­tan­do aci­den­tes na ad­mi­nis­tra­ção des­ses me­di­ca­men­tos”, ex­pli­cou o se­cre­tá­rio, que tam­bém é pro­fis­si­o­nal far­ma­cêu­ti­co.

As far­má­ci­as de ma­ni­pu­la­ção do Pa­ra­ná te­rão 180 di­as pa­ra se ade­quar às no­vas nor- mas. Após es­se pra­zo, es­ta­rão su­jei­tas a san­ções das Vi­gi­lân­ci­as Sa­ni­tá­ri­as mu­ni­ci­pais e es­ta­du­al, que vão des­de no­ti­fi­ca­ção ou mul­ta até a sus­pen­são do di­rei­to de ma­ni­pu­la­ção e ven­da do es­ta­be­le­ci­men­to. A re­so­lu­ção Se­sa 62/2013 re­gu­la­men­ta a Lei es­ta­du­al 17.051/2012, pro­pos­ta pe­lo de­pu­ta­do es­ta­du­al Val­dir Ros­so­ni e as­si­na­da pe­lo go­ver­na­dor Be­to Richa.

Con­jun­to

A lei é re­sul­ta­do de um tra­ba­lho con­jun­to en­tre o go­ver­no do Es­ta­do, en­ti­da­des re­pre­sen­ta­ti­vas, con­se­lhos de clas­se, ins­ti­tui­ções aca­dê­mi­cas e pro­fis­si­o­nais da área far­ma­cêu­ti­ca. Se­gun­do Ade­mir Va­lé­rio Sil­va, pre­si­den­te na­ci­o­nal da As­so­ci­a­ção Na­ci­o­nal de Far­ma­cêu­ti­cos Ma­gis­trais (An­far­mag), a pro­pos­ta pa­ra­na­en­se de­ve­rá ser le­va­da em bre­ve ao Se­na­do.

“Es­sa cons­tru­ção com­par­ti­lha­da que nos foi apre­sen­ta­da pe­lo Pa­ra­ná mos­tra a im­por­tân­cia de um go­ver­no de­mo­crá­ti­co, aber­to à dis­cus­são. Is­so pro­por­ci­o­nou que fos­se cri­a­da uma nor­ma exequí­vel e que po­de­rá ser apli­ca­da em to­do o Bra­sil”, en­fa­ti­zou.

Pro­ces­so

Em abril de 2012, foi cri­a­da uma co­mis­são in­te­rins­ti­tu­ci­o­nal pa­ra ge­ren­ci­ar o pro­ces­so de re­gu­la­men­ta­ção da lei e ava­li­ar o im­pac­to re­gu­la­tó­rio no mer­ca­do. A re­so­lu­ção tam­bém fi­cou dis­po­ní- vel em con­sul­ta pú­bli­ca du­ran­te 30 di­as e re­ce­beu con­tri­bui­ções de di­ver­sas en­ti­da­des, in­clu­si­ve de ou­tros es­ta­dos. Após es­se pe­río­do, a co­mis­são ga­nhou o apoio do De­par­ta­men­to de De­sign da Uni­ver­si­da­de Fe­de­ral do Pa­ra­ná que au­xi­li­ou na ela­bo­ra­ção de qua­tro mo­de­los de bu­las. “Além das bu­las pa­ra me­di­ca­men­tos alo­pá­ti­cos e ho­me­o­pá­ti­cos, tam­bém cri­a­mos du­as ver­sões es­pe­cí­fi­cas pa­ra usuá­ri­os com li­mi­ta­ções vi­su­ais, al­go nun­ca vis­to no mun­do”, res­sal­tou a pro­fes­so­ra Car­la Spi­nil­lo.

Con­teú­do

As bu­las de­ve­rão es­tar se­pa­ra­das do me­di­ca­men­to e con­ter iden­ti­fi­ca­ção do pa­ci­en­te e do fa­bri­can­te, te­le­fo­ne do Ser­vi­ço de Aten­di­men­to ao Con­su­mi­dor, in­for­ma­ções so­bre co­mo usar os me­di­ca­men­tos, cui­da­dos ne­ces­sá­ri­os du­ran­te a gra­vi­dez e o pe­río­do de ama­men­ta­ção, o que fa­zer quan­do a pes­soa es­que­ce de to­mar o me­di­ca­men­to, on­de e co­mo guar­dar o me­di­ca­men­to, o que fa­zer em ca­so de aci­den­tes, além de ou­tras frases de ad­ver­tên­cia e in­for­ma­ções so­bre re­a­ções in­de­se­já­veis e con­train­di­ca­ções.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.