Ven­da de má­qui­nas agrí­co­las de­ve fi­car pró­xi­ma de re­cor­de

Es­ti­ma­ti­va é de que se­jam ven­di­das 73 mil uni­da­des em 2013, nú­me­ro que fi­ca abai­xo so­men­te do de 1976; boa pro­du­ti­vi­da­de e que­bra nos EUA ex­pli­cam vo­lu­me

O Diario do Norte do Parana - - CIDADES - Luiz de Car­va­lho

car­va­lho@odi­a­rio.com Uma co­lhei­ta­dei­ra de mais de R$ 400 mil foi “inau­gu­ra­da” na ma­nhã de sex­ta-fei­ra em uma fa­zen­da de so­ja pró­xi­ma a Iva­tu­ba. O ope­ra­dor foi o pro­pri­e­tá­rio mes­mo: o agri­cul­tor Gla­di­mir Pe­rin Cle­mens, que plan­ta so­ja no Pa­ra­ná e na Bahia. O vi­zi­nho, An­to­nio Pedrini, tam­bém es­tre­ou du­as má­qui­nas ze­ro-quilô­me­tro. E o mes­mo acon­te­ceu nas pro­pri­e­da­des de An­ge­lo Ce­les­ti­no, Val­mir For­ma­gio e nas fa­zen­das de Et­to­re Ce­sa­ri­ni Dol­fi­ni, con­si­de­ra­do o mai­or pro­du­tor de so­ja da re­gião, com pro­pri­e­da­des em Flo­res­ta, Dou­tor Camargo e no Ma­to Gros­so.

O bom mo­men­to da so­ja bra­si­lei­ra ani­mou os pro­du­to­res a in­ves­tir em equi­pa­men­tos. Con­ces­si­o­ná­ri­as e fa­bri­can­tes de má­qui­nas agrí­co­las es­pe­ram ven­der 73 mil co­lhei­ta­dei­ras e tra­to­res no País es­te ano, um re­cor­de dos úl­ti­mos 37 anos, fi­can­do atrás so­men­te das ven­das al­can­ça­das em 1976, se­gun­do es­ti­ma­ti­va da As­so­ci­a­ção Na­ci­o­nal dos Fa­bri­can­tes de Veí­cu­los Au­to­mo­to­res (An­fa­vea).

Em Ma­rin­gá, as re­ven­de­do­ras afir­mam es­tar vi­ven­do a me­lhor tem­po­ra­da. Se­gun­do o ge­ren­te de Ven­das da So­lo­mar, re­pre­sen­tan­te da mar­ca John De­e­re, Fa­bi- ano Gustavo Pa­do­vin, o “bo­om” de ven­das co­me­çou em se­tem­bro do ano pas­sa­do, quan­do o go­ver­no fe­de­ral bai­xou pe­la me­ta­de os ju­ros nas ne­go­ci­a­ções de má­qui­nas e im­ple­men­tos. “Os agri­cul­to­res co­me­ça­ram a pro­cu­rar as con­ces­si­o­ná­ri­as pa­ra apro­vei­tar a que­da dos ju­ros e o bom mo­men­to da so­ja, pro­por­ci­o­na­do por uma boa pro­du­ção e ele­va­ção dos pre­ços de­vi­do aos pro­ble­mas en­fren­ta­dos pe­la pro­du­ção dos Es­ta­dos Uni­dos. Mas co­mo não se pro­duz má­qui­nas des­te por­te de um dia pa­ra o ou­tro, fi­ca­mos sem ter o que en­tre­gar.” Se­gun­do ele, até ago­ra as re­ven­de­do­ras es­tão ten­tan­do aten­der a pe­di­dos fei­tos ain­da no ano pas­sa­do.

A So­lo­mar ter­mi­nou 2012 com a ven­da de 50 co­lhei­ta­dei­ras, com va­lo­res que co­me­çam em R$ 450 mil e vão até aci­ma de R$ 1 mi­lhão. A re­ven­da ti­rou pe­di­dos pa­ra en­tre­gar tam­bém 120 tra­to­res, uma mé­dia de 1 pa­ra ca­da 3 di­as do ano pas­sa­do, em­bo­ra o gros­so das ven­das te­nha si­do re­gis­tra­do nos úl­ti­mos me­ses do ano.

Si­tu­a­ção pa­re­ci­da se ve­ri­fi­ca em ou­tras re­pre­sen­tan­tes de má­qui­nas, co­mo a Co­ma­gril, que re­ven­de os tra­to­res Mas- sey Fer­gu­son, a Agri­ca­se, re­pre­sen­tan­te da Ca­se, e a New Agro, que ven­de as co­lhei­ta­dei­ras New Hol­land, co­mo a com­pra­da por Gla­di­mir Cle­mens. “Na se­ma­na que vem co­me­ça o Show Rural, em Cas­ca­vel, e a pre­vi­são é de mui­to mais pe­di­dos de má­qui­nas”, diz o ge­ren­te da Agri­ca­se, Ade­mir De­pau­li.

Se­gun­do os ge­ren­tes das re­ven­de­do­ras, os agri­cul­to­res es­tão tão en­tu­si­as­ma­dos pa­ra re­no­var equi­pa­men­tos que a ven­da de má­qui­nas usa­das, pra­ti­ca­da tan­to pe­las con­ces­si­o­ná­ri­as quan­to por em­pre­sas es­pe­ci­a­li­za­das em res­tau­ra­ção, caiu. “Com os in­cen­ti­vos que es­tão en­con­tran­do, os pro­du­to­res es­tão pre­fe­rin­do in­ves­tir em má­qui­nas mo­der­nas”, diz De­pau­li.

Pro­du­ção ven­di­da

“A agri­cul­tu­ra mo­der­na exi­ge que o pro­du­tor in­vis­ta no que há de me­lhor em má­qui­nas”, dis­se Cle­mens em um dos ra­ros mo­men­tos em que des­ceu da co­lhei­ta­dei­ra no­va. “Es­tá sen­do um bom ano e po­de­mos com­prar as má­qui­nas que pre­ci­sa­mos sem gran­des pre­o­cu­pa­ções.”

Nos 90 hec­ta­res em Iva­tu­ba, Cle­mens es­tá con­se­guin­do uma pro­du­ti­vi­da­de mé­dia de 62 sa­cas por hec­ta­re, e o que co­lher já es­tá ven­di­do à Car­gill a R$ 60 a sa­ca, um va­lor que ele con­si­de­ra bom. Só que, di­fe­ren­te de ou­tros plan­ta­do­res, que tor­cem por uma no­va que­bra na pro­du­ção nor­te-ame­ri­ca­na pa­ra au­men­tar as ex­por­ta­ções de so­ja em grão e fa­re­lo, Cle­mens con­si­de­ra que “o ri­co­che­te é mai­or”, por­que “se fal­tar o pro­du­to no mer­ca­do e o va­lor su­bir, o pre­ço dos in­su­mos tam­bém so­bem.” O pro­ble­ma é que, quan­do hou­ver mai­or dis­po­ni­bi­li­da­de do grão no mer­ca­do mun­di­al, os pre­ços da com­mo­dity ca­em, mas os dos in­su­mos per­ma­ne­cem.

Re­gião

O De­par­ta­men­to de Eco­no­mia Rural (De­ral) da Se­cre­ta­ria de Es­ta­do da Agri­cul­tu­ra e Abas­te­ci­men­to es­ti­ma que o Pa­ra­ná vai co­lher em tor­no de 15 mi­lhões de to­ne­la­das de so­ja, cer­ca de 5 mi­lhões a mais do que na sa­fra pas­sa­da, re­sul­ta­do do bom re­gi­me de chu­vas des­de o iní­cio do plan­tio.

Nos 29 mu­ni­cí­pi­os do nú­cleo re­gi­o­nal de Ma­rin­gá da se­cre­ta­ria, hou­ve au­men­to de área plan­ta­da com so­ja e o De­ral es­pe­ra au­men­to tam­bém da pro­du­ti­vi­da­de mé­dia por hec­ta­re. Se­gun­do o eco­no­mis­ta Do­ri­val Apa­re­ci­do Bas­ta, na sa­fra an­te­ri­or fo­ram 222 mil hec­ta­res plan­ta­dos com a so­ja na área do nú­cleo. Nes­te ano o es­pa­ço au- men­tou pa­ra 233,8 mil hec­ta­res. A es­ti­ma­ti­va ini­ci­al do De­ral é que a re­gião vai con­se­guir um ren­di­men­to en­tre 3 mil e 3,3 to­ne­la­das por hec­ta­re. Na sa­fra pas­sa­da a pro­du­ção foi de 553 mil to­ne­la­das.

Ricardo Lo­pes

Cle­mens no co­man­do da co­lhei­ta­dei­ra; boa sa­fra fez com que uma má­qui­na fos­se ven­di­da a ca­da 3 di­as em 2012

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.