Re­a­li­da­de à par­te

“Ca­ça aos Gângs­te­res” trans­for­ma his­tó­ria re­al em pu­ra fic­ção; fil­me do di­re­tor nor­te-ame­ri­ca­no Ruben Fleis­cher es­tá em car­taz na ci­da­de

O Diario do Norte do Parana - - O DIÁRIO DO NORTE DO PARANÁ - Luiz Car­los Mer­ten

É mais um da­que­les fil­mes de que vo­cê po­de des­fru­tar mo­de­ra­da­men­te, mas do qual de­ve des­con­fi­ar co­mo re­a­li­da­de nua e crua. Não se fie mui­to na in­for­ma­ção - ba­se­a­do nu­ma his­tó­ria re­al. O que exis­te de re­al em “Ca­ça aos Gângs­te­res” vi­ra pu­ra fic­ção no con­cei­to do di­re­tor Ruben Fleis­cher. Pa­ra sua in­for­ma­ção, ele já fez de “Zum­bi­lân­dia” uma ex­tra­va­gân­cia cô­mi­ca em que Wo­ody Har­rel­son li­de­ra­va um ban­do de ga­ro­tos na ar­te de di­zi­mar os zum­bis que cru­za­vam seu ca­mi­nho. Ago­ra, Fleis­cher con­ta a his­tó­ria de um ban­do de in­to­cá­veis que en­fren­ta o gângs­ter Sean Penn. Ele ten­ta ex­pan­dir sua área de poder e in­fluên­cia de Chi­ca­go atéLosAn­ge­les.

Mic­key Cohen exis­tiu de fa­to e foi en­vi­a­do a Los An­ge­les pa­ra as­ses­so­rar o len­dá­rio Bugsy Si­e­gel, quan­do a Kosher Ma­fia, a má­fia ju­dai­ca, co­me­çou a se ex­pan­dir, in­clu­si­ve com ra­mi­fi­ca­ções em Hollywood. “Ca­ça aos Gângs­te­res” ba­seia-se no li­vro de não fic- ção do re­pór­ter Paul Li­e­ber­man, do “Los An­ge­les Ti­mes”. A obra foi pu­bli­ca­da em 2012, com ba­se nu­ma sé­rie de oi­to re­por­ta­gens que Li­e­ber­man pu­bli­cou no jor­nal so­bre a cri­mi­na­li­da­de dos anos 1940 e 50. As da­tas re­tra­ta­das no fil­me não ba­tem com a re­a­li­da­de, mas is­so pa­re­ce o de me­nos pa­ra o di­re­tor Fleis­cher.

Só es­ti­lo

As­sim co­mo “Zum­bi­lân­dia” é uma fan­ta­sia so­bre có­di­gos de um gê­ne­ro, “Ca­ça aos Gângs­te­res” tam­bém es­tá mais in­te­res­sa­do em es­ti­lo do que na dis­cus­são éti­ca que im­pul­si­o­na Josh Bro­lin, Ryan Gos­ling e seus ami­gos a en­fren­tar o bru­tal Cohen. Sean Penn po­de até se ter ba­se­a­do em ele­men­tos da vi­da do per­so­na­gem que in­ter­pre­ta, mas Cohen é tão re­al quan­to o Al Ca­po­ne de Ro­bert De Ni­ro em “Os In­to­cá­veis”, de Bri­an De Pal­ma, um dos mo­de­los as­su­mi­dos do di­re­tor Fleis­cher. O gru­po de ide­a­lis­tas, a cor­rup­ção ge­ne­ra­li­za­da da po­lí­cia - mis­tu­ran­do épo­cas, Ruben Fleis­cher ins­pi­ra-se tan­to em “Os In­to­cá­veis” quan­to em “Los An­ge­les - Ci­da­de Proi­bi­da”, que Cur­tis Hanson adap­tou de Ja­mes Ell­roy.

As­sim co­mo Ca­po­ne/De Ni­ro ma­ta­va seu co­man­da­do a pau­la­das pa­ra que ser­vis­se de exem­plo, Cohen, de ca­ra, dá uma amos­tra de sua sel­va­ge­ria, até co­mo pos­si­bi­li­da­de de in­ti­mi­da­ção. A ve­lha ce­na do wes­tern, do su­jei­to amar­ra­do a ca­va­los que dis­pa­ram em diferentes di­re­ções, ga­nha aqui atu­a­li­za­ção, e o su­jei­to é amar­ra­do a dois car­ros que o des­pe­da­çam ao par­tir em di­re­ções opos­tas. Josh Bro­lin cria um per­so­na­gem ob­vi­a­men­te de­se­nha­do a par­tir do El­li­ott Ness (Ke­vin Cost­ner) de “Os In­to­cá­veis”, Ryan Gos­ling tem tal­vez os diá­lo­gos mais in­te­res­san­tes, no sen­ti­do de que tem acui­da­de pa­ra re­fle­tir so­bre o que se pas­sa. Na­da de­mais - o que in­te­res­sa é o erotismo mas­cu­li­no (ape­sar da con­tri­bui­ção de Em­ma Sto­ne), to­dos es­ses as­tros que ga­nham papéis mai­o­res que a vi­da.

“Ca­ça aos Gângs­te­res” tem mui­tas ce­nas apre­ciá­veis. O pro­ble­ma é que elas não jun­tam. É mais um fil­me em que as par­tes são me­lho­res que o to­do.

Divulgação

Em­ma Sto­ne em “Ca­ça aos Gângs­te­res”: pe­ças que não se jun­tam

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.