Li­vro

O Diario do Norte do Parana - - OPINIÃO -

O au­tor do li­vro “Lin­gua­gem de Ca­deia”, o pe­ri­to da Po­lí­cia Ci­en­tí­fi­ca do Pa­ra­ná, Jorge Luiz Wer­bitz­ki, des­cre­ve a ma­nei­ra de re­co­nhe­cer um cri­mi­no­so ou um fo­ra­gi­do da pri­são pe­las su­as ta­tu­a­gens, o que me dei­xou in­dig­na­da. Car­pa: no bra­ço di­rei­to - in­te­gran­tes de gran­des or­ga­ni­za­ções cri­mi­no­sas. Ca­vei­ra com fa­ca en­ter­ra­da: ma­ta­do­res de po­li­ci­ais. Ima­gem de Nos­sa Se­nho­ra Apa­re­ci­da gran­de: es­tu­pra­dor, ho­mi­ci­da... Mas dá pa­ra jul­gar al­guém pe­las ta­tu­a­gens nos di­as de ho­je? Foi por es­se mo­ti­vo que eu e meu ma­ri­do fo­mos abor­da­dos por po­li­ci­ais em uma be­la ma­nhã de do­min­go, sim­ples­men­te por ser­mos tatuados... Eu de­tes­tei a re­por­ta­gem, de­tes­tei o li­vro e seu con­teú­do e de­tes­tei a for­ma co­mo é co­lo­ca­do o re­co­nhe­ci­men­to de cri­mi­no­sos por su­as ta­tu­a­gens. Eu não sou uma cri­mi­no­sa, es­tou lon­ge de ser, tra­ba­lho dig­na­men­te to­dos os di­as e não acei­to ser jul­ga­da por ser uma pes­soa ta­tu­a­da... - “Cor­pos que fa­lam”, ter­ça-fei­ra, 5/2, pág. D1.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.