SE­XU­AL­MEN­TE TRANS­MIS­SÍ­VEIS

O Diario do Norte do Parana - - ZOOM -

São trans­mi­ti­das, prin­ci­pal­men­te, por con­ta­to se­xu­al sem o uso de ca­mi­si­nha com uma pes­soa que es­te­ja in­fec­ta­da, e ge­ral­men­te se ma­ni­fes­tam por meio de fe­ri­das, cor­ri­men­tos, bo­lhas ou ver­ru­gas. Al­gu­mas não apre­sen­tam sin­to­mas.

HPV:

A in­fec­ção pe­lo HPV cau­sa ver­ru­gas, mas ho­mens e mu­lhe­res po­dem es­tar in­fec­ta­dos sem apre­sen­tar sin­to­mas. São mais de 100 ti­pos de HPV e al­guns cau­sam cân­cer de co­lo de úte­ro e ânus. Há du­as va­ci­nas con­tra os ti­pos de HPV mais pre­sen­tes no cân­cer de co­lo de úte­ro.

In­fec­ção crô­ni­ca que atin­ge ge­ni­tais e gân­gli­os da vi­ri­lha. Os pri­mei­ros sin­to­mas apa­re­cem de 7 a 30 di­as após a ex­po­si­ção à bac­té­ria. Sur­ge uma fe­ri­da ou ca­ro­ço mui­to pe­que­no na pe­le dos lo­cais que es­ti­ve­ram em con­ta­to com es­sa bac­té­ria, que du­ra, em mé­dia, de três a cin­co di­as.

Lin­fo­gra­nu­lo­ma ve­né­reo:

Os sin­to­mas mais co­muns des­sa in­fec­ção são dor na re­la­ção se­xu­al e ar­dên­cia e di­fi­cul­da­de de uri­nar. O pro­ble­ma é que a mai­o­ria das pes­so­as não sen­te al­te­ra­ções no cor­po.

Tri­co­mo­nía­se:

Pri­mei­ros sin­to­mas (dor de ca­be­ça, fe­bre e fra­que­za) apa­re­cem de 2 a 15 di­as após o con­tá­gio. Depois, sur­gem pe­que­nas e do­lo­ro­sas fe­ri­das com pus nos ór­gãos ge­ni­tais, que au­men­tam de

Can­cro mo­le:

ta­ma­nho e pro­fun­di­da­de. Após 2 se­ma­nas do iní­cio da do­en­ça, po­de apa­re­cer um ca­ro­ço do­lo­ro­so e aver­me­lha­do na vi­ri­lha, que po­de di­fi­cul­tar os mo­vi­men­tos da per­na.

Do­en­ça In­fla­ma­tó­ria Pél­vi­ca (DIP):

Atin­ge os ór­gãos se­xu­ais in­ter­nos da mu­lher, co­mo úte­ro, trom­pas e ová­ri­os, cau­san­do in­fla­ma­ções. Ma­ni­fes­ta-se por dor na par­te bai­xa do abdô­men, se­cre­ção va­gi­nal, dor du­ran­te o se­xo, fe­bre, fa­di­ga, dor nas cos­tas e vô­mi­to.

É cau­sa­da por um ví­rus e não tem cu­ra. Apa­re­cem pe­que­nas bo­lhas que se rom­pem e se trans­for­mam em fe­ri­das. Depois que hou­ve con­ta­to com o ví­rus, os sin­to­mas po­dem re­a­pa­re­cer de­pen­den­do de es­tres­se, can­sa­ço, es­for­ço exa­ge­ra­do, fe­bre, ex­po­si­ção ao sol, trau­ma­tis­mo, uso pro­lon­ga­do de an­ti­bió­ti­cos e mens­tru­a­ção.

Her­pes:

Cla­mí­dia é co­mum en­tre os ado­les­cen­tes e adul­tos jo­vens. A go­nor­reia po­de in­fec­tar pê­nis, co­lo do úte­ro, re­to, gar­gan­ta e olhos. Se não fo­rem tra­ta­das, po­dem cau­sar in­fer­ti­li­da­de, dor nas re­la­ções se­xu­ais e gra­vi­dez nas trom­pas.

Cla­mí­dia e go­nor­reia:

In­fec­ção que afe­ta pe­le e mu­co­sas das re­giões da ge­ni­tá­lia, da vi­ri­lha e do ânus. Cau­sa úl­ce­ras e des­trói a pe­le in­fec­ta­da. Os sin­to­mas

Do­no­va­no­se:

in­clu­em ca­ro­ços e fe­ri­das ver­me­lhas e san­gra­men­to. As fe­ri­das não cau­sam dor e por is­so a pro­cu­ra pe­lo tra­ta­men­to po­de ser tar­dia, au­men­tan­do o ris­co de com­pli­ca­ções.

In­fec­ção pe­lo Ví­rus T-lin­fo­tró­pi­co hu­ma­no (HTLV):

In­fec­ta os lin­fó­ci­tos T, que são as cé­lu­las de de­fe­sa do or­ga­nis­mo. A mai­o­ria dos in­fec­ta­dos não apre­sen­ta sin­to­mas, mas um pe­que­no gru­po po­de de­sen­vol­ver ma­ni­fes­ta­ções clí­ni­cas gra­ves, co­mo cân­cer, pro­ble­mas mus­cu­la­res, nas ar­ti­cu­la­ções, nos pul­mões, na pe­le e na re­gião ocu­lar.

Pe­que­nas fe­ri­das nos ór­gãos se­xu­ais e ca­ro­ços nas vi­ri­lhas, que sur­gem de 7 a 20 di­as após o se­xo des­pro­te­gi­do com al­guém in­fec­ta­do. A fe­ri­da e as ín­guas não do­em, não co­çam e não apre­sen­tam pus. Mes­mo sem tra­ta­men­to, de­sa­pa­re­cem, mas a pes­soa con­ti­nua do­en­te. Ao al­can­çar um cer­to es­tá­gio, po­dem sur­gir man­chas no cor­po e que­da de ca­be­los, que tam­bém so­mem. A do­en­ça po­de fi­car es­ta­ci­o­na­da por anos, até que sur­gem com­pli­ca­ções gra­ves co­mo ce­guei­ra, pa­ra­li­sia, do­en­ça ce­re­bral e pro­ble­mas car­día­cos.

Sí­fi­lis:

Tra­ta­men­to

O Mi­nis­té­rio da Saú­de re­co­men­da que a qual­quer si­nal de DST as pes­so­as pro­cu­rem um mé­di­co.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.