Pre­si­den­te da Câ­ma­ra re­cua em em­ba­te com STF

Hen­ri­que Edu­ar­do Al­ves (PMDB) vol­ta atrás e ga­ran­te que não haverá “con­fron­to de mé­ri­to” com o tri­bu­nal em de­ci­são so­bre cas­sa­ção de con­de­na­dos no men­sa­lão

O Diario do Norte do Parana - - GERAL - Folhapress

re­da­cao@odi­a­rio.com O pre­si­den­te da Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos, Hen­ri­que Edu­ar­do Al­ves (PMDB-RN), bai­xou o tom do dis­cur­so e dis­se on­tem que não exis­te pos­si­bi­li­da­de de a Ca­sa “con­fron­tar o mé­ri­to” da de­ci­são do Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral (STF), que de­ter­mi­nou a per­da do man­da­to dos de­pu­ta­dos con­de­na­dos no jul­ga­men­to do men­sa­lão.

Após en­con­tro com o pre­si­den­te do tri­bu­nal, Jo­a­quim Bar­bo­sa, Hen­ri­que Al­ves dis­se que a Câ­ma­ra vai “fi­na­li­zar a ação” com um “pro­ces­so rá­pi­do”, cum­prin­do for­ma­li­da­des pre­vis­tas no Re­gi­men­to da Câ­ma­ra, co­mo sa­ber se o di­rei­to de de­fe­sa foi cum­pri­do.

“Não há hi­pó­te­se de não cum­prir a de­ci­são do Su­pre­mo”, dis­se o pe­e­me­de­bis­ta. “Nós só va­mos fa­zer aqui­lo que o nos­so re­gi­men­to de­ter­mi­na que fa­ça­mos: fi­na­li­zar o pro­ces­so. Coi­sas de for­ma­li­da­de le­gal e pon­to. Não há ne­nhu­ma pos­si­bi­li­da­de de con­fron­tar­mos com o mé­ri­to, ques­ti­o­nar a de­ci­são do Su­pre­mo”, com­ple­tou.

O pre­si­den­te da Câ­ma­ra, elei­to nes­ta se­gun­da, dis­se que o te­ma não foi tra­ta­do com Bar­bo­sa. Des­de a cam­pa­nha pa­ra o co­man­do da Ca­sa, Hen­ri­que Al­ves de­fen­dia que a pa­la­vra fi­nal so­bre a per­da dos man­da­tos dos par­la­men­ta­res jul­ga­dos se­ria dos de­pu­ta­dos.

Em en­tre­vis­ta à Fo­lha de S.Pau­lo em ja­nei­ro, ele che­gou a di­zer que não abria mão de de­ci­dir a ques­tão. Ou­tros qua­tro in­te­gran­tes da no­va Me­sa Di­re­to­ra se­gui­ram en­ten­di­men­to de Al­ves, sus­ten­tan­do que ca­be à Câ­ma­ra tra­tar do te­ma.

A me­di­da con­tra­ri­a­va o que “Nós só va­mos fa­zer aqui­lo que o nos­so re­gi­men­to de­ter­mi­na que fa­ça­mos: fi­na­li­zar o pro­ces­so” os mi­nis­tros do Su­pre­mo es­ta­be­le­ce­ram no jul­ga­men­to. O en­ten­di­men­to foi que a cor­te de­ter­mi­nou a per­da au­to­má­ti­ca do man­da­to, ca­ben­do à Câ­ma­ra ape­nas for­ma­li­zar a de­ci­são de­ter­mi­nan­do a va­cân­cia do car­go.

O de­pu­ta­do afir­mou ain­da que não há a me­nor pos­si­bi­li­da­de de crise ins­ti­tu­ci­o­nal en­tre os po­de­res. “Não há a me­nor pos­si­bi­li­da­de, é ris­co mí­ni­mo, de qual­quer con­fron­to do Le­gis­la­ti­vo com o Ju­di­ciá­rio. Qu­em pen­sar di­fe­ren­te, é co­mo diz o di­to po­pu­lar, po­de ti­rar o ca­va­li­nho da chu­va. Não há a me­nor pos­si­bi­li­da­de. É imen­so o res­pei­to do Le­gis­la­ti­vo pa­ra com o Ju­di­ciá­rio, e vi­ce-ver­sa. Ca­da um sa­be sua res­pon­sa­bi­li­da­de, é de­fi­ni­do na Cons­ti­tui­ção”, afir­mou.

Al­ves dis­se tam­bém que a Câ­ma­ra “vai sur­pre­en­der aque­les que pen­sam di­fe­ren­te”, mas que vai mos­trar o res­pei­to en­tre os po­de­res.

“Não há a me­nor pos­si­bi­li­da­de, vol­to a di­zer, de ne­nhum ar­ra­nhão, ne­nhum con­fli­to, ne­nhu­ma in­dis­po­si­ção do Le­gis­la­ti­vo, e eu o fa­ço co­mo seu pre­si­den­te, com o Ju­di­ciá­rio”, re­for­çou.

Elza Fiú­za/abr

Hen­ri­que Edu­ar­do Al­ves, pre­si­den­te da Câ­ma­ra; “res­pei­to pe­lo Su­pre­mo”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.