Ma­rin­gá e San­ta Fé vão ter tes­te rá­pi­do de den­gue

SAÚ­DE Kits se­rão en­vi­a­dos aos mu­ni­cí­pi­os por cau­sa do au­men­to de ca­sos da do­en­ça sob sus­pei­ta. Re­sul­ta­do fi­ca pron­to em 30 min. Com is­so é pos­sí­vel cons­ta­tar si­tu­a­ções pré-epi­dê­mi­cas

O Diario do Norte do Parana - - ZOOM - Car­la Gu­e­des Das Agên­ci­as

O

car­la@odi­a­rio.com Ma­rin­gá e San­ta Fé vão ofer­tar a par­tir des­te mês tes­tes rá­pi­dos de den­gue, que da­rão agi­li­da­de aos di­ag­nós­ti­cos da do­en­ça. Além da ra­pi­dez – o exa­me fi­ca pron­to em apro­xi­ma­da­men­te 30 mi­nu­tos –, se­rá pos­sí­vel des­co­brir com mais fi­de­li­da­de qual so­ro­ti­po da do­en­ça cir­cu­la na re­gião.

Com 10,4 mil ha­bi­tan­tes, San­ta Fé en­fren­ta si­tu­a­ção crí­ti­ca de den­gue. Até on­tem, a Saú­de ha­via con­fir­ma­do 32 ca­sos da do­en­ça e 212 es­ta­vam sob sus­pei­ta. Ma­rin­gá con­ta­bi­li­za­va, até a úl­ti­ma sex­ta-fei­ra, 44 re­gis­tros e um to­tal de 211 no­ti­fi­ca­ções.

O fa­to de em 3 se­ma­nas, o vo­lu­me de ca­sos sus­pei­tos ter au­men­ta­do qua­tro ve­zes em Ma­rin­gá le­vou a Se­cre­ta­ria de Es­ta­do da Saú­de de­ci­dir a en­vi­ar kits do tes­te rá­pi­do pa­ra Ma­rin­gá. Em 18 de ja­nei­ro, eram 45 no­ti­fi­ca­ções de sus­pei­ta de ca­sos da do­en­ça. Ho­je, são 211.

“A cur­va de no­ti­fi­ca­ções ver­ti­ca­li­zou e es­ta­mos dis­po­ni­bi­li­zan­do os tes­tes pa­ra que os mu­ni­cí­pi­os iden­ti­fi­quem lo­go de iní­cio as si­tu­a­ções pré-epi­dê­mi­cas e ado­tar me­di­das de con­tro­le”, ex­pli­ca Ro­nal­do Tre­vi­san, co­or­de­na­dor da Sa­la de Si­tu­a­ção da Den­gue no Pa­ra­ná. “Uma vez de­tec­ta­do que es­se au­men­to de no­ti­fi­ca­ções se­ja den­gue, agi­li­za-se as to­ma­das de de­ci­sões e mo­bi­li­za­ção po­pu­lar.”

No tes­te con­ven­ci­o­nal, o re­sul­ta­do sai em 15 di­as, em mé­dia. De acor­do com Tre­vi­san, os tes­tes rá­pi­dos se­rão fei­tos por amos­tra­gem e em 5% a 10% dos exa­mes se­rá fei­to o iso­la­men­to vi­ral pa­ra mo­ni­to­rar qual so­ro­ti­po do ví­rus es­tá cir­cu­lan­do na ci­da­de. Por en­quan­to, o no­vo tes­te es­tá dis­po­ní­vel ape­nas pa­ra Pe­a­bi­ru, Pa­ra­na­vaí e São Car­los do Ivaí.

“An­tes de usá-lo nes­ses mu­ni­cí­pi­os, a con­fi­a­bi­li­da­de do tes­te foi ates­ta­da pe­lo La­cen (La­bo­ra­tó­rio Cen­tral do Es­ta­do do Pa­ra­ná) e ele tem se mos­tra­do bas­tan­te con­fiá­vel”, ava­lia o su­pe­rin­ten­den­te de Vi­gi­lân­cia em Saú­de, Se­zi­fre­do Paz.

Ava­li­a­ção

se­cre­tá­rio mu­ni­ci­pal de Saú­de, Antônio Car­los Nar­di, diz que os ca­sos de den­gue es­tão sob con­tro­le em Ma­rin­gá, mas sa­li­en­ta que o no­vo tes­te se­rá útil em si­tu­a­ção de emer­gên­cia. “Quan­do vo­cê es­tá den­tro do fu­ra­cão, ele te dá res­pos­ta ime­di­a­ta pa­ra a to­ma­da de de­ci­sões ser mais rá­pi­da.”

San­ta Fé ain­da não ha­via re­ce­bi­do os kits até o iní­cio da tar­de de on­tem.

A con­fir­ma­ção de den­gue tem si­do fei­ta por so­ro­lo­gia – o san­gue do pa­ci­en­te só é co­lhi­do uma se­ma­na depois do iní­cio dos sin­to­mas, ca­so con­trá­rio da­rá fal­so ne­ga­ti­vo. Pa­ra gru­pos de ris­co, a exem­plo de cri­an­ças, ges­tan­tes, ido­sos, hi­per­ten­sos e di­a­bé­ti­cos, têm si­do so­li­ci­ta­do tam­bém o he­mo­gra- ma. A ci­da­de es­tá em­pe­nha­da no com­ba­te ao mos­qui­to Ae­des aegyp­ti. “A po­pu­la­ção foi cons­ci­en­ti­za­da a lim­par ter­re­nos, foi fei­to ar­ras­tão de lim­pe­za, apli­ca­ção de fu­ma­cê e um car­ro de som per­cor­re a ci­da­de dan­do o aler­ta”, con­ta Li­li­a­ne As­sun­ção, en­fer­mei­ra da uni­da­de bá­si­ca de saú­de.

O pro­ce­di­men­to pa­ra o tes­te rá­pi­do se­rá pa­re­ci­do com o da so­ro­lo­gia. O pa­ci­en­te vai até a uni­da­de de saú­de que dis­põe de co­le­ta de san­gue e o ma­te­ri­al é en­ca­mi­nha­do pa­ra aná­li­se do La­cen e do La­bo­ra­tó­rio de En­si­no e Pes­qui­sa em Aná­li­ses Clí­ni­cas (Le­pac). É a pri­mei­ra vez que o Pa­ra­ná es­tá fa­zen­do di­ag­nós­ti­co de den­gue pe­lo tes­te rá­pi­do.

re­da­cao@odi­a­rio.com Fun­ci­o­na em Ju­a­zei­ro ( BA) a “mai­or fá­bri­ca do mun­do” de pro­du­ção de mos­qui­to da den­gue trans­gê­ni­co, se­gun­do o Mi­nis­té­rio da Saú­de. É um pro­je­to­pi­lo­to, que re­du­ziu na ci­da­de a po­pu­la­ção do mos­qui­to

Cer­ca de 4 mi­lhões de ma­chos es­té­reis do Ae­des aegyp­ti fo­ram li­be­ra­dos em Ja­co­bi­na (BA) co­mo um tes­te pa­ra aca­bar com a trans­mis­são da den­gue no lo­cal.

Se­gun­do a pas­ta, se­rá in­ves­ti­do R$ 1,7 mi­lhão na pro­du­ção dos mos­qui­tos trans­gê­ni­cos. Es­pe­ra­se que o pro­je­to se­ja con­cluí­do em 2013, in­cor­po­ra­do ao SUS e am­pli­a­do pa­ra to­do o País.

O mos­qui­to mo­di­fi­ca­do tem um ge­ne que ma­ta as lar­vas du­ran­te o de­sen­vol­vi­men­to no ventre das fê­me­as adul­tas. Se­gun­do o mi­nis­té­rio, o ma­cho trans­gê­ni­co trans­mi­te es­sa ca­rac­te­rís­ti­ca à pro­le, fa­zen­do com que ela não che­gue à fa­se adul­ta.

Es­ses ma­chos es­té­reis dis­pu­tam com os in­se­tos sel­va­gens as opor­tu­ni­da­des de có­pu­la - as fê­me­as são as úni­cas que pi­cam os hu­ma­nos e trans­mi­tem o ví­rus. Co­mo se­rão em mai­or nú­me­ro que os fér­teis, a ex­pec­ta­ti­va é que a es­pé­cie sel­va­gem de­sa­pa­re­ça.

João Cláudio Fra­go­so

Agen­tes de com­ba­te à den­gue fa­zem vis­to­ria em re­si­dên­cia de Ma­rin­gá. Mu­ni­cí­pio re­gis­trou 44 ca­sos da do­en­ça nes­te ano

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.