O vi­nho na Ce­le­bra­ção Eu­ca­rís­ti­ca

O Diario do Norte do Parana - - OPINIÃO -

Di­an­te da Lei Se­ca, com to­le­rân­cia ze­ro, sur­giu a pre­o­cu­pa­ção com os sa­cer­do­tes que pre­si­dem mais do que uma mis­sa por dia, em se­gui­da, e de­vem di­ri­gir após as ce­le­bra­ções.

Co­mo com­pre­en­der a le­gis­la­ção ci­vil e a tra­di­ção da Igre­ja nes­te ca­so que en­vol­ve a ce­le­bra­ção Eu­ca­rís­ti­ca? Em pri­mei­ro é pre­ci­so fi­car cla­ro que a Igre­ja não é con­trá­ria a es­sa lei. Mui­to pe­lo con­trá­rio, apoia to­da le­gí­ti­ma atu­a­ção da au­to­ri­da­de le­gis­la­ti­va que pro­te­ja e pro­mo­va au­ten­ti­ca­men­te a vi­da. Mas nem por is­so a Igre­ja po­de mu­dar a sua tra­di­ção bi­mi­le­nar e as nor­mas exi­gi­das pa­ra a vá­li­da cor­re­ta ce­le­bra­ção. No ca­so es­pe­cí­fi­co, de­ve­mos ter pre­sen­te a nor­ma ex­pres­sa no Di­rei­to Canônico, Câ­non 924, §3: “o vi­nho de­ve ser na­tu­ral, fru­to da vi­dei­ra e não cor­rom­pi­do”.

A Con­gre­ga­ção pa­ra a Dou­tri­na da Fé, em ju­nho de 1995, emi­tiu uma car­ta so­bre es­te as­sun­to di­zen­do: “A per­mis­são pa­ra usar o mos­to, con­tu­do, po­de ser con­ce­di­da pe­los Or­di­ná­ri­os aos sa­cer­do­tes que so­frem de al­co­o­lis­mo e de ou­tra do­en­ça que im­pe­ça de to­mar ál­co­ol, mes­mo em mí­ni­ma quan­ti­da­de, me­di­an­te apre­sen­ta­ção do cer­ti­fi­ca­do mé­di­co. Por mus­tum se en­ten­de o su­co de uva fres­co ou mes­mo con­ser­va­do sus­pen­den­do a sua fer­men­ta­ção (atra­vés de con­ge­la­men­to ou ou­tros mé­to­dos que não al­te­rem a na­tu­re­za).”

A mes­ma Con­gre­ga­ção, em ju­lho de 2003, em Car­ta cir­cu­lar aos pre­si­den­tes das Con­fe­rên­ci­as Epis­co­pais so­bre o uso do mos­to co­mo ma­té­ria eu­ca­rís­ti­ca afir­ma: “Mos­to, is­to é, o su­co da uva quer fres­co quer con­ser­va­do de mo­do a in­ter­rom­per a fer­men­ta­ção me­di­an­te mé­to­dos que não lhe al­te­rem a na­tu­re­za (p. ex., o con­ge­la­men­to), é ma­té­ria vá­li­da pa­ra a eu­ca­ris­tia”. Fi­ca cla­ro que a ma­té­ria pri­ma pa­ra a ce­le­bra­ção da mis­sa se­rá sem­pre o vi­nho. O bis­po lo­cal po­de au­to­ri­zar o mos­to, su­co de uva com bai­xa fer­men­ta­ção pa­ra os ca­sos ci­ta­dos aci­ma.

O vi­nho sem ál­co­ol não po­de ser con­fun­di­do com o mos­to, já que não há ne­nhum pro­nun­ci­a­men­to ofi­ci­al da Igre­ja so­bre es­te vi­nho sem ál­co­ol. Por mo­ti­vos de saú­de e até por op­ção pes­so­al do sa­cer­do­te em não to­mar ne­nhu­ma be­bi­da al­coó­li­ca, acei­tei au­to­ri­zar o uso des­te vi­nho sem ál­co­ol, pro­du­zi­do pe­la mes­ma vi­ní­co­la que pro­duz o vi­nho pa­ra a mis­sa. A qua­li­da­de e a ori­gem são as mes­mas, o que mu­da é a au­sên­cia de ál­co­ol. Mas fui in­for­ma­do que o “vi­nho sem ál­co­ol” é o mes­mo que o mos­to, ape­nas o no­me foi mu­da­do por ser bas­tan­te in­co­mum o seu uso no Bra­sil.

É re­co­men­dá­vel que os sa­cer­do­tes pro­cu­rem dar um es­pa­ço su­fi­ci­en­te en­tre uma mis­sa e ou­tra, a fim de que o or­ga­nis­mo as­si­mi­le aque­la pe­que­na quan­ti­da­de de ál­co­ol con­ti­da no vi­nho que foi uti­li­za­do na Eu­ca­ris­tia e con­su­mi­do. To­mar água lo­go após a mis­sa, ou al­gum su­co, tam­bém é re­co­men­dá­vel pa­ra ace­le­rar a dis­so­lu­ção do ál­co­ol in­ge­ri­do. Aci­ma de tudo, es­ta­mos cons­ci­en­tes de que a mo­de­ra­ção e o bom sen­so de­vem ori­en­tar to­do ti­po de com­por­ta­men­to, es­pe­ci­al­men­te na quan­ti­da­de do vi­nho uti­li­za­do mis­sa. Por­tan­to a Igre­ja po­de au­to­ri­zar em ca­sos es­pe­cí­fi­cos a mu­dan­ça do vi­nho, mas não po­de de­cre­tar pa­ra to­da uma di­o­ce­se uma nor­ma ge­ne­ra­li­za­da, que per­ma­ne­ce sen­do uma ex­ce­ção fei­ta ex­clu­si­va­men­te por mo­ti­vos de saú­de.

Es­pe­ra­mos que es­se pe­que­no de­ba­te cri­a­do a par­tir da re­per­cus­são mi­diá­ti­ca por cau­sa da Lei Se­ca se­ja ca­paz de re­no­var o amor do po­vo bra­si­lei­ro pe­la San­ta Mis­sa. Afi­nal, é no mis­té­rio Eu­ca­rís­ti­co que de­po­si­ta­mos a nos­sa con­fi­an­ça. Ben­di­to se­ja Deus que Se fez Pão e Vi­nho pa­ra nos ali­men­tar. Que o Es­pí­ri­to San­to nos con­du­za.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.