‘Vis­to­rie’ o bu­fê da sua fes­ta

Es­ta­be­le­ci­men­tos tam­bém têm uma sé­rie de re­qui­si­tos de se­gu­ran­ça a cum­prir; ge­ren­tes con­tam que pou­cos con­tra­tan­tes pres­tam aten­ção nes­tes de­ta­lhes

O Diario do Norte do Parana - - CIDADES - Van­da Mu­nhoz

van­da@odi­a­rio.com A se­gu­ran­ça, tan­to do lo­cal on­de se­rá re­a­li­za­do o even­to quan­to da co­zi­nha que vai ma­ni­pu­lar os ali­men­tos (que po­de ser ter­cei­ri­za­da ou fun­ci­o­nar no pró­prio bu­fê) é um dos itens que de­vem ser ana­li­sa­dos pe­los pais an­tes de se con­tra­tar um ser­vi­ço pa­ra a fes­ta dos fi­lhos. Os bu­fês só re­ce­bem o al­va­rá de fun­ci­o­na­men­to da Pre­fei­tu­ra de Ma­rin­gá quan­do aten­dem a to­dos os re­qui­si­tos es­ta­be­le­ci­dos pe­la Vi­gi­lân­cia Sa­ni­tá­ria, Cor­po de Bom­bei­ros e Se­tor de Fis­ca­li­za­ção do mu­ni­cí­pio. A ci­da­de con­ta com apro­xi­ma­da­men­te 40 es­ta­be­le­ci­men­tos des­te ti­po.

“O al­va­rá de fun­ci­o­na­men­to con­tem­pla os lau­dos de vis­to­ria do Cor­po de Bom­bei­ros, Vi­gi­lân­cia Sa­ni­tá­ria e de Meio Am­bi­en­te. Depois que ex­pe­de o al­va­rá, a pre­fei­tu­ra re­a­li­za vis­to­ri­as ro­ti­nei­ras, es­pe­ci­al­men­te quan­do há al­te­ra­ções na edi­fi­ca­ção ou in­clu­são de ou­tra ati­vi­da­de”, ex­pli­ca o ge­ren­te de Fis­ca­li­za­ção da Se­cre­ta­ria Mu­ni­ci­pal de Fa­zen­da, Adeíl­son Renato da Sil­va.

Em reu­nião do Ga­bi­ne­te de Ges­tão In­te­gra­da de Ma­rin­gá (GGI-M) re­a­li­za­da se­ma­na pas­sa­da, o mu­ni­cí­pio de­ci­diu in­cluir os bu­fês na lis­ta de fis­ca­li­za­ção das ope­ra­ções de in­ten­si­fi­ca­ção de vis­to­ri­as em ca­sas no­tur­nas da ci­da­de, de­sen­ca­de­a­das depois da tra­gé­dia em San­ta Maria (RS), quan­do 238 pes­so­as mor­re­ram ví­ti­mas de um in­cên­dio em uma bo­a­te. Sil­va ex­pli­ca que ain­da não foi fi­xa­da uma da­ta pa­ra es­ta ave­ri­gua­ção, mas to­dos os es­ta­be­le­ci­men­tos se­rão vi­si­ta­dos pe­los fis­cais, a par­tir de uma lis­ta emi­ti­da pe­los bom­bei­ros.

A te­nen­te Ynai­ti Di­as, do se­tor de Pre­ven­ção con­tra In­cên­di­os da cor­po­ra­ção em Ma­rin­gá, diz que as me­di­das de se­gu­ran­ça va­ri­am con­for­me o ta­ma­nho da edi­fi­ca­ção e o nú­me­ro de pes­so­as que com­por­ta. “Ca­da edi­fi­ca­ção pos­sui ca­rac­te­rís­ti­cas pró­pri­as, por is­so é pre­ci­so uma aná­li­se do Pla­no de Se­gu­ran­ça (an­ti-

Bri­ga­da de in­cên­dio - equi­pe de fun­ci­o­ná­ri­os trei­na­dos pa­ra aten­der a si­tu­a­ções de pâ­ni­co

Pla­no de emer­gên­cia - pa­ra lo­cais com pú­bli­co aci­ma de mil pes­so­as, é pre­ci­so um pro­je­to que mos­tre as saí­das de emer­gên­cia e os pro­ce­di­men­tos, Equi­pa­men­tos de aço inox não ca­so se­ja ne­ces­sá­ria uma são obri­ga­tó­ri­os, mas é pre­ci­so eva­cu­a­ção ime­di­a­ta, e for­ma que se­jam im­per­meá­veis e que de aten­di­men­to em even­tu­ais per­mi­tam per­fei­ta hi­gi­e­ni­za­ção aci­den­tes ou in­cên­di­os So­li­ci­te sem­pre o al­va­rá de fun­ci­o­na­men­to ex­pe­di­do pe­la pre­fei­tu­ra e vá­li­do por 1 ano. go pro­je­to de pre­ven­ção a in­cên­di­os)”, ob­ser­va. O con­se­lho da te­nen­te pa­ra qu­em vai con­tra­tar os ser­vi­ços de um bu­fê in­fan­til é pa­ra que se­ja so­li­ci­ta­do o cer­ti­fi­ca­do de vis­to­ria do Cor­po de Bom­bei­ros, que tem va­li­da­de de 1 ano. Se­gun­do Ynai­ti, a cor­po­ra­ção re­a­li­za mi­lha­res de por ano, em to­do ti­po de am­bi­en­te - com ex­ce­ção de re­si­dên­ci­as.

A ge­ren­te de Vi­gi­lân­cia Sa­ni­tá­ria, Do­ra Lí­gia Bom­bo, res­sal­ta que a fis­ca­li­za­ção do seg­men­to vi­sa a ga­ran­tir a qua­li­da­de na ma­ni­pu­la­ção de ali­men­tos. “Nas co­zi­nha é pre­ci­so equi­pa­men­tos que per­mi­tam a hi­gi­e­ni­za­ção. Já a Vi­gi­lân­cia Am­bi­en­tal aten­ta pa­ra as ins­ta­la­ções sa­ni­tá­ri­as, o pi­so, ven­ti­la­ção do am­bi­en­te e ou­tros”, ex­pli­ca.

Aten­ção

Ge­ren­tes de bu­fês con­tam que al­guns cli­en­tes pres­tam aten­ção na ques­tão da se­gu­ran­ça, mas ou­tros se­quer ques­ti­o­nam. “Há os que olham tudo, per­gun­tam se há ex­tin­tor, saí­da de emer­gên­cia, ram­pas pa­ra ca­dei­ran­tes. Mas nem to­dos se pre­o­cu­pam com is­so. Nos­so es­ta­be­le­ci­men­to, por exem­plo, es­tá em dia com to­dos os que­si­tos de se­gu­ran­ça”, diz a ge­ren­te Ro­sa­na de Al­mei­da.

Ro­sa­na de Al­mei­da, ge­ren­te de bu­fê em Ma­rin­gá, ao co­men­tar su­pos­ta fal­ta de pre­o­cu­pa­ção com a se­gu­ran­ça, por par­te de pes­so­as que con­tra­tam es­tes ser­vi­ços na ci­da­de

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.