Nú­me­ro de mu­lhe­res com CNH cres­ce 22% em 5 anos

TRÂN­SI­TO No mes­mo pe­río­do, to­tal de ho­mens com car­tei­ra de ha­bi­li­ta­ção caiu 10,7%; par­ti­ci­pa­ção au­men­ta na ve­lo­ci­da­de em que di­ri­gir dei­xa de ser sta­tus e as­su­me pa­pel de ne­ces­si­da­de

O Diario do Norte do Parana - - ZOOM - Mu­ri­lo Gat­ti

mgat­ti@odi­a­rio.com O nú­me­ro de mu­lhe­res com Car­tei­ra Na­ci­o­nal de Ha­bi­li­ta­ção (CNH) cres­ceu 22% em Ma­rin­gá en­tre 2007 e 2012, sal­tan­do de 66.484 pa­ra 81.147. No mes­mo pe­río­do, o nú­me­ro de ho­mens ha­bi­li­ta­dos caiu de 136.863 pa­ra 123.601 – re­du­ção de 10,7%. O re­sul­ta­do é que a proporção de mu­lhe­res com CNH na ci­da­de pas­sou de 32,6% em 2007 pa­ra 39,6% do to­tal em 2012. Na fai­xa etá­ria de 25 a 34 anos, a proporção é ain­da mai­or - 44,2%.

En­tre a fai­xa etá­ria com mais de 55 anos, as mu­lhe­res re­pre­sen­tam atu­al­men­te ape­nas 26,8% das pes­so­as com CNH em Ma­rin­gá. O por­cen­tu­al cres­ce gra­da­ti­va­men­te pa­ra 37,6% na fai­xa etá­ria dos 45 a 54 anos e che­ga a 42,9% en­tre as pes­so­as com ida­des en­tre 35 e 44 anos.

In­de­pen­dên­cia fi­nan­cei­ra, mai­or pre­sen­ça no mer­ca­do de tra­ba­lho e a ne­ces­si­da­de de se lo­co­mo­ver sem de­pen­der de nin­guém es­tão en­tre os fa­to­res que têm as le­va­do a fa­zer o do­cu­men­to e ga­nhar as ru­as. “Atu­al­men­te, elas são mai­o­ria (nas au- to­es­co­las). Cer­ca de 60% dos nos­sos alu­nos são mu­lhe­res”, afir­ma a di­re­to­ra de en­si­no de um cen­tro de for­ma­ção de con­du­to­res de Ma­rin­gá, Márcia Apa­re­ci­da Fu­gaz­za.

O fenô­me­no, se­gun­do ela, tem se in­ten­si­fi­ca­do nos úl­ti­mos 6 anos. “É a ne­ces­si­da­de de lo­co­mo­ção e de in­de­pen­dên­cia. Elas es­tu­dam, tra­ba­lham e não po­dem fi­car de­pen­den­do das ou­tras pes­so­as”, ava­lia Márcia. A mai­o­ria das alu­nas es­tão na fai­xa dos 18 aos 20 anos, mas há mu­lhe­res mais ve­lhas que tam­bém tem pro­cu­ra­do au­las de di­re­ção e pi­lo­ta­gem.

Ins­tru­to­ra de ou­tra au­to­es­co­la da ci­da­de, Adé­lia Ku­ro­da con­fir­ma o au­men­to de mu­lhe­res em bus­ca pe­la ha­bi­li­ta­ção. “De­pen­den­do da tur­ma, elas são mai­o­ria. Gran­de par­te pro­cu­ra a gen­te depois de com­ple­tar 20 anos, di­fe­ren­te dos ra­pa­zes, que não es­pe­ram nem o ani­ver­sá­rio de 18 anos pa­ra co­me­çar a fa­zer as au­las”, con­ta.

Ou­tra di­fe­ren­ça en­tre os se­xos é que elas são mai­o­ria na ho­ra de fa­zer o do­cu­men­to na ca­te­go­ria B, ex­clu­si­va pa­ra di­ri­gir car­ros, en­quan­to os ho­mens op­tam por fa­zer a CNH na ca­te­go­ria AB, que tam­bém per­mi­te a pi­lo­ta­gem de mo­tos. “Cla­ro que há ex­ce­ções, mas em ge­ral acre­di­to que as mu­lhe­res não gos­tam mui­to de

mo­tos”, ava­lia Adé­lia.

Apren­di­za­do

A ins­tru­to­ra re­la­ta que quan­do co­me­çam a fa­zer o cur­so de for­ma­ção, as mu­lhe­res nor­mal­men­te che­gam mais receosas. “Nor­mal­men­te, os me­ni­nos vêm mais pre­pa­ra­dos, sa­ben­do al­gu­ma coi­sa, en­quan­to há mu­lher que nun­ca li­gou o car­ro. Acre­di­to que se­ja por­que os ra­pa­zes são in­cen­ti­va­dos a di­ri­gir des­de cri­an­ças. O pri­mei­ro brin­que­do dos me­ni­nos é um car­ri­nho.”

Quan­do ga­nham as ru­as e fa­zem as pri­mei­ras au­las prá­ti­cas, as mu­lhe­res tam­bém se com­por­tam de ma­nei­ra di­fe­ren­te. “O apren­di­za­do de­las é mais len­to. Mui­tas têm um pou­co mais de me­do e vão apren­den­do com cal­ma e pa­ci­ên­cia. Um bom exem­plo de que são mais cui­da­do­sas é que di­fi­cil­men­te ve­mos as mo­ças em­pi­nan­do mo­tos ou fa­zen­do ra­chas. Vo­cê po­de per­ce­ber que o ín­di­ce de aci­den­tes gra­ves com mu­lhe­res é me­nor. Cla­ro que há ex­ce­ções, mas os me­ni­nos se ati­ram mais”, con­si­de­ra.

Na ho­ra de equi­par o car­ro com um som ou ou­tros equi­pa­men­tos, o pro­pri­e­tá­rio de uma lo­ja de aces­só­ri­os, Má­rio Ce­sar de Oli­vei­ra, diz que não per­ce­be mui­ta di­fe­ren­ça de gê­ne­ros. “As mu­lhe­res es­tão ca­da vez mais ati­vas em to­dos os mercados. Aqui não é di­fe­ren­te. Elas procuram as mes­mas coi­sas e quan­do com­pram um car­ro no­vo, nos procuram pa­ra ins­ta­lar uma tra­va elé­tri­ca, um alar­me e pa­ra equi­par o car­ro com som”.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.