Sin­di­ca­to con­tes­ta le­ga­li­da­de de no­vos agen­tes de ca­deia

Go­ver­no do Es­ta­do con­tra­tou mais de 1.000 agen­tes pa­ra tra­ba­lhos nas ca­dei­as, ali­vi­an­do a Po­lí­cia Ci­vil; sin­di­ca­to dos agen­tes pe­ni­ten­ciá­ri­os diz que con­tra­ta­ção é ile­gal

O Diario do Norte do Parana - - CIDADES - Leonardo Fi­lho

le­o­nar­do­fi­lho@odi­a­rio.com Con­tra­ta­dos no fi­nal do ano pas­sa­do pe­lo go­ver­no es­ta­du­al, os agen­tes de ca­deia pú­bli­ca já es­tão em meio a uma po­lê­mi­ca no Pa­ra­ná. É que o Sin­di­ca­to dos Agen­tes Pe­ni­ten­ciá­ri­os do Pa­ra­ná (Sin­dars­pen) mo­veu uma ação no Tri­bu­nal de Jus­ti­ça (TJ) de­nun­ci­an­do su­pos­tas ir­re­gu­la­ri­da­des na con­tra­ta­ção dos no­vos fun­ci­o­ná­ri­os. A ale­ga­ção é de que o pro­ces­so de con­tra­ta­ção é ile­gal.

“Os pro­ble­mas es­tão nos edi­tais, que fe­rem os prin­cí­pi­os que re­gem a ad­mi­nis­tra­ção pú­bli- ca, se­gun­do a Cons­ti­tui­ção Fe­de­ral”, diz o ad­vo­ga­do do Sin­dars­pen, Ro­gé­rio Ca­la­zans. Ele apon­ta du­as pos­sí­ves ir­re­gu­la­ri­da­des. “A pri­mei­ra é que às fun­ções cor­res­pon­dem às atri­bui­ções pró­pri­as de agen­te pe­ni­ten­ciá­rio, con­for­me o manual e a re­so­lu­ção do agen­te pe­ni­ten­ciá­rio. A ou­tra, é que um car­go pú­bli­co só po­de ser cri­a­do me­di­an­te ar­ti­go na Lei 8.112/90. Es­sas leis pa­ra agen­tes de ca­deia pú­bli­ca e de mo­ni­to­ra­men­to não exis­tem”, afir­ma .

Re­for­ço

Os agen­tes de ca­deia pú­bli­ca fo­ram con­tra­ta­dos pa­ra subs­ti­tuir po­li­ci­ais ci­vis que ho­je atu­am nos se­to­res de car­ce­ra­gem de di­ver­sas de­le­ga­ci­as pa­ra­na­en­ses. Na área de abran­gên­cia da 9ª Sub­di­vi­são Po­li­ci­al, além de Ma­rin­gá, os agen­tes co­me­ça­ram a tra­ba­lhar nas de­le­ga­ci­as de Co­lo­ra­do e Sa­ran­di. An­tes de as­su­mir de­fi­ni­ti­va­men­te a guar­da dos pre­sos, eles fa­zem uma es­pé­cie de ‘trei­na­men­to prá­ti­co’ com os po­li­ci­ais.

Se­gun­do o Sin­dars­pen, quan­do é fei­to um con­cur­so pa­ra agen­te, há um trei­na­men­to de 160 ho­ras, além de au­las de di­ver­sas dis­ci­pli­nas. Ao fi­nal des­sa eta­pa pre­pa­ra­tó­ria, , há a apli­ca­ção de uma no­va pro­va e ape­nas os apro­va­dos ini­ci­a­mos o tra­ba­lho. “Es­ses agen­tes de ca­deia não pas­sa­ram por na­da dis­so. O que o go­ver­no quer é con­tra­tar pes­so­as pa­ra fa­ze­rem a fun­ção de agen­te pe­ni­ten­ciá­rio com um sa­lá­rio me­nor”, diz o di­re­tor do Sin­dars­pen, Vil­son Bra­sil.

Ain­da se­gun­do o sin­di­ca­to, já há de­nún­ci­as de que os no­vos agen­tes de ca­deia já es­ta­ri­am tra­ba­lhan­do em pe­ni­ten­ciá­ri­as do Es­ta­do. “É uma ou­tra ir­re­gu­la­ri­da­de que o go­ver­no es­tá co­me­ten­do. Es­tão co­lo­can­do es­ses agen­tes, sem pre­pa­ro al­gum, pa­ra cui­dar dos cri­mi­no­sos mais pe­ri­go­sos. É um ris­co pa­ra eles que não sa­bem co­mo lhe dar com es­se ti­po de si­tu­a­ção”, com­ple­tou Bra­sil.

Le­gais

Na ava­li­a­ção do di­re­tor-ge­ral da Se­cre­ta­ria da Jus­ti­ça Ci­da­da­nia e Di­rei­tos Hu­ma­nos (Se­ju), Le­o­nil­do de Sou­za Gro­ta, não há pro­ble­mas na con­tra­ta­ção dos agen­tes de ca­deia. Em en­tre­vis­ta con­ce­di­da na sex­ta-fei­ra, à rá­dio CBN de Cu­ri­ti­ba, ele dis­se que a fun­ção é di­fe­ren­te da exer­ci­da ho­je pe­los agen­tes pe­ni­ten­ciá­ri­os. “Não exis­te ne­nhu­ma ile­ga­li­da­de na con­tra­ta­ção dos agen­tes de ca­deia pú­bli­ca e de mo­ni­to­ra­men­to. Pa­ra a con­tra­ta­ção des­ses fun­ci­o­ná­ri­os, tra­mi­tou-se o pro­ce­di­men­to na Pro­cu­ra­do­ria Ge­ral do Es­ta­do e tam­bém pe­lo cri­vo do go­ver­na­dor. Hou­ve au­to- ri­za­ção com ba­se em lei”, dis­se. Po­rém, a lei não foi apre­sen­ta­da pe­lo di­re­tor.

O ad­vo­ga­do do sin­di­ca­to re­ba­te a afir­ma­ção. Se­gun­do Ca­la­zans, pa­ra a con­tra­ta­ção dos ser­vi­do­res é ne­ces­sá­ria a apro­va­ção de uma lei. “O go­ver­no não apre­sen­tou es­ta lei até ago­ra”, co­men­tou. Pa­ra con­tra­tar es­ses tra­ba­lha­do­res o go­ver­no uti­li­zou o Pro­ces­so Se­le­ti­vo Sim­pli­fi­ca­do (PSS).

Ao to­do, fo­ram con­tra­ta­dos, por um pe­río­do de um ano, 1.033 ho­mens e 202 mu­lhe­res que tra­ba­lham em no­ve re­giões do es­ta­do. Os agen­tes fo­ram dis­tri­buí­dos por re­gião. Em Lon­dri­na, fo­ram 228 con­tra­ta­dos, Ma­rin­gá 227, Cu­ri­ti­ba 218, Pon­ta Gros­sa 171, Cru­zei­ro do Oes­te 160, Gu­a­ra­pu­a­va 81, Foz do Igua­çu 73, Cas­ca­vel 50 e Francisco Bel­trão 27.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.