Do­bra bus­ca por emprego na Agên­cia do Tra­ba­lha­dor

MA­RIN­GÁ Mé­dia diá­ria de aten­di­men­tos a pes­so­as à pro­cu­ra de va­gas re­gis­tra­das pe­lo ór­gão em ja­nei­ro des­te ano foi de 400. Ho­je, as ofer­tas de tra­ba­lho so­mam qua­se 950 no mu­ni­cí­pio

O Diario do Norte do Parana - - ZOOM - Car­la Gu­e­des

car­la@odi­a­rio.com A Agên­cia do Tra­ba­lha­dor re­a­bre ho­je, no pós-Car­na­val, com qua­se 950 va­gas de em­pre­gos em Ma­rin­gá. E a ten­dên­cia pa­ra os pró­xi­mos di­as é de au­men­to no nú­me­ro de opor­tu­ni­da­des de tra­ba­lho, com o iní­cio do pro­ces­so de se­le­ção de can­di­da­to por uma re­de de su­per­mer­ca­dos.

O co­me­ço do ano é con­si­de­ra­do atí­pi­co na Agên­cia do Tra­ba­lha­dor do mu­ni­cí­pio. Di­fe­ren­te do ve­ri­fi­ca­do nos úl­ti­mos 5 anos, em que a bus­ca por emprego se acen­tu­a­va só após o Car­na­val, em ja­nei­ro de 2013, o mo­vi­men­to nos gui­chês sur­pre­en­deu até mes­mo o ge­ren­te do ór­gão, Mau­rí­lio Man­go­lim, há 5 anos na fun­ção.

A pro­cu­ra por va­gas do­brou em ja­nei­ro an­te o mes­mo mês nos úl­ti­mos 5 anos: o nú­me­ro pas­sou de 200 pes­so­as aten­di­das por dia, em mé­dia, pa­ra cer­ca de 400. “Te­ve se­gun­da-fei­ra, após o dia 10 de ja­nei­ro, que aten­de­mos 520 pes­so­as só à pro­cu­ra de emprego, com ex­ce­ção de aten­di­men­tos por car­tei­ra de tra­ba­lho e se­gu­ro­de­sem­pre­go”, dis­seMan­go­lim.

O au­men­to do mo­vi­men­to no ór­gão nes­te ano tem ex­pli­ca­ção. Em ja­nei­ro e no iní­cio des­te mês, o to­tal de va­gas de emprego foi mui­to mai­or que no mes­mo pe­río­do em anos an­te­ri­o­res. “Su­per­mer­ca­dos, sin­di­ca­to de me­ta­lo­me­câ­ni­ca e co­o­pe­ra­ti­vas abri­ram opor­tu­ni­da­des.” Só uma em­pre­sa de fa­bri­ca­ção de pe­ças pa­ra ca­mi­nhões con­tra­tou 70 sol­da­do­res. A mé­dia foi de 1.000 va­gas aber­tas por se­ma­na. “As opor­tu­ni­da­des con­ti­nu­am bo­as pa­ra au­xi­li­ar e li­nha de pro­du­ção”, exem­pli­fi­ca Man­go­lim.

Com mui­tas va­gas de emprego, em me­lhor si­tu­a­ção fi­cou qu­em se an­te­ci­pou e tro­cou as fé­ri­as pe­la bus­ca por opor­tu­ni­da­de no mer­ca­do de tra­ba­lho. “Nor­mal­men­te, a mai­or pro­cu­ra sem­pre foi depois do Car­na­val, mas co­mo sur­gi­ram mui­tas va­gas nes­te ano, as pes­so­as se an­te­ci­pa­ram”, ci­ta.

Es­ta­tís­ti­cas do Ca­das­tro Ge­ral de Em­pre­ga­dos e De­sem­pre­ga­dos (Ca­ged), do Mi­nis­té­rio do Tra­ba­lho (MTE), mos­tram que, nos úl­ti­mos 2 anos, os me­ses de ja­nei­ro e fe­ve­rei­ro fo­ram os que mais ge­ra­ram em­pre­gos em Ma­rin­gá. No ano pas­sa­do, de ca­da qua­tro pos­tos de tra­ba­lho aber­tos na ci­da­de, um foi em ja­nei­ro. Em fe­ve­rei­ro, o sal­do mais de 1.000 em­pre­gos com car­tei­ra as­si­na­da. “Ja­nei­ro apre­sen­ta a de­man­da re­pri­mi­da de de­zem­bro e o pós-Car­na­val apre­sen­ta a de­man­da

‘Bra­sil vol­tan­do à ro­ti­na’, in­clu­si­ve de tra­ba­lho”, co­men­ta a psi­có­lo­ga Sil­va­na Cars­tens.

Se­gun­do o eco­no­mis­ta Joil­son Di­as, pro­fes­sor da Uni­ver­si­da­de Es­ta­du­al de Ma­rin­gá (UEM), os em­pre­gos ofer­ta­dos no pri­mei­ro bi­mes­tre ofe­re­cem es­ta­bi­li­da­de, já que as em­pre­sas não es­tão mais in­te­res­sa­das em re­cru­tar tem­po­rá­ri­os. “Es­te é um pon­to po­si­ti­vo pa­ra qu­em es­tá pro­cu­ran­do emprego ago­ra.”

O bi­mes­tre tam­bém é bom pa­ra qu­em pro­cu­ra es­tá­gio e pri­mei­ro emprego. Na vol­ta à ro­ti­na, Sil­va­na su­ge­re que o pro­fis­si­o­nal saia da zo­na de con­for­to. “Pa­ra ven­cer o mun­do pro­fis­si- onal, mui­tas ve­zes te­mos a ca­mi­nha­da do des­con­for­to, tan­to pa­ra es­tu­dar quan­to pa­ra par­ti­ci­par de cur­sos, ci­clos de pa­les­tras, cur­si­nhos de lín­guas, re­for­ço na in­for­má­ti­ca, gra­du­a­ção ou es­pe­ci­a­li­za­ções. Is­so de­man­da tem­po, di­nhei­ro, pa­ci­ên­cia, per­sis­tên­cia; mas é as­sim que se ven­ce.”

Pers­pec­ti­va

A pro­je­ção pa­ra o mer­ca­do de tra­ba­lho lo­cal é de ge­ra­ção de, no mí­ni­mo, 6,7 mil em­pre­gos for­mais nes­te ano. Um es­tu­do mais de­ta­lha­do so­bre o de­sem­pe­nho do mer­ca­do se­rá lan­ça­do nos pró­xi­mos di­as. “Não es­ta­mos ven­do cres­ci­men­to aci­ma do que ti­ve­mos em 2012”, con­ta Di­as.

Se­gun­do ele, a agri­cul­tu­ra, com bons pre­ços e boa pro­du­ção, de­ve con­tri­buir pa­ra a al­ta na ge­ra­ção de em­pre­gos em 2013. Ou­tro pon­to po­si­ti­vo é a re­du­ção de im­pos­tos pa­ra o em­pre­ga­dor, que de­ve sur­tir efei­to es­pe­ci­al­men­te no se­tor in­dus­tri­al. Por ou­tro la­do, pe­sam ne­ga­ti­va­men­te na ba­lan­ça a al­ta da in­fla­ção e as in­cer­te­zas da eco­no­mia in­ter­na­ci­o­nal. No si­te de em­pre­gos do por­tal odi­a­rio.com há mi­lha­res de ofer­tas de va­gas em Ma­rin­gá, Lon­dri­na e re­gião. Aces­se vo­cê po­de in­cluir seu cur­rí­cu­lo na ba­se de da­dos e atin­gir mi­lha­res de em­pre­sas que procuram um pro ssi­o­nal com as su­as qua­li ca­ções.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.