Ano co­me­ça com cres­ci­men­to na ina­dim­plên­cia

Da­dos di­vul­ga­dos on­tem pe­la Con­fe­de­ra­ção Na­ci­o­nal de Di­ri­gen­tes Lo­jis­tas, com ba­se em da­dos do SPC, mos­tra al­ta de 11,8% no ca­lo­te ao co­mér­cio em ja­nei­ro

O Diario do Norte do Parana - - ECONOMIA - Célia Frou­fe

A ina­dim­plên­cia do con­su­mi­dor bra­si­lei­ro no co­mér­cio apre­sen­tou cres­ci­men­to de 11,8% em ja­nei­ro des­te ano em re­la­ção a igual mês de 2012, se­gun­do a Con­fe­de­ra­ção Na­ci­o­nal de Di­ri­gen­tes Lo­jis­tas (CNDL) e o Ser­vi­ço de Pro­te­ção ao Cré­di­to (SPC Bra­sil), com ba­se no vo­lu­me de con­sul­tas fei­tas pe­los co­mer­ci­an­tes nas com­pras a pra­zo e nos pa­ga­men­tos em che­que.

Na ava­li­a­ção da CNDL e do SPC Bra­sil, o re­sul­ta­do ain­da é con­sequên­cia do ce­ná­rio ma­cro­e­conô­mi­co de 2012, mais fa­vo­rá­vel ao con­su­mo. Além dis­so, in­flu­en­ci­am o mo­vi­men­to, de acor­do com téc­ni­cos da CNDL e do SPC Bra­sil, a po­lí­ti­ca fis­cal ex­pan­si­o­nis­ta do go­ver­no, o afrou­xa­men­to mo­ne­tá­rio e a fal­ta de pla­ne­ja­men­to ao con­su­mi­dor.

O avan­ço da ina­dim­plên­cia pre­o­cu­pa o co­mér­cio di­an­te de um ce­ná­rio que si­na­li­za mai­or pres­são in­fla­ci­o­ná­ria, na ava­li­a­ção do pre­si­den­te da CNDL, Ro­que Pel­liz­za­ro Jú­ni­or. Na com­pa­ra­ção com o mês de de­zem­bro, po­rém, a ina­dim­plên­cia re­cu­ou 3,27% em ja­nei­ro. A CNDL e o SPC Bra­sil res­sal­ta­ram que mui­tos con­su­mi­do­res qui­ta­ram seus dé­bi­tos em de­zem­bro apro­vei­tan­do a en­tra­da do13º­ter­cei­ro­sa­lá­rio.

A eco­no­mis­ta do SPC Bra­sil, Ana Pau­la Bas­tos, pre­vê que a ina­dim­plên­cia de­ve ser me­nor em 2013 do que a al­ta de 1,9% ve­ri­fi­ca­da em 2012. “A ina­dim­plên­cia de­ve ser de 1,9% ou me­nos. Só se acon­te­cer uma pres­são in­fla­ci­o­ná­ria ou au­men­to da ta­xa de ju­ros é que va­mos ver ou­tro ce­ná­rio”, con­si­de­rou, du­ran­te en­tre­vis­ta co­le­ti­va. De acor­do com ela, a ten­dên­cia é de con­ti­nui­da­de de al­ta do ca­lo­te até abril. Ape­nas a par­tir de maio é que de­ve ha­ver uma aco­mo­da­ção.

Ana Pau­la dis­se que tam­bém es­pe­ra con­ti­nui­da­de do cres­ci­men­to do emprego, ain­da que em um rit­mo me­nor, e que is­so vai aju­dar nas ven­das do va­re­jo. “O ano de 2012 foi mui­to for­te pa­ra o se­tor, com uma in­je­ção mui­to for­te de re­cur­sos na eco­no­mia”, sa­li­en­tou, con­si­de­ran­do as de­so­ne­ra­ções con­ce­di­das pe­lo go­ver­no a vá­ri­os se­to­res.

Pa­ra es­te ano, a eco­no­mis­ta es­pe­ra um au­men­to dos in­ves­ti­men­tos, o que po­de ge­rar mais emprego, au­men­to da ren­da e da ca­pa­ci­da­de pro­du­ti­va. O pon­to cha­ve, no en­tan­to, é a ex­pan­são do cré­di­to. “Não exis­te eco­no­mia sem cré­di­to, es­sa é a mo­la pro­pul­so­ra”, con­si­de­rou. Pa­ra ela, o au­men­to da in­fla­ção no iní­cio do ano foi “pon­tu­al e sa­zo­nal”, cen­tra­do prin­ci­pal­men­te em Des­pe­sas Pes­so­ais e Ali­men­ta­ção.

João Cláudio Fra­go­so

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.