Contas de luz so­bem de R$ 3 pa­ra R$ 300

O Diario do Norte do Parana - - CIDADES - Car­la Gu­e­des

car­la@odi­a­rio.com Mo­ra­do­res do Con­jun­to San­ta Fe­li­ci­da­de, em Ma­rin­gá, es­tão re­cla­man­do dos va­lo­res das contas de luz re­ce­bi­das es­te mês. Em um dos ca­sos, a co­bran­ça veio 9.000% mais al­ta. Dos R$ 3,17 pa­gos em ou­tu­bro pas­sa­do, a apo­sen­ta­da Eva de Car­va­lho da Sil­va te­rá de de­sem­bol­sar R$ 308,27 es­te mês. “Não te­nho co­mo pagar”, diz ela, que tem ren­da men­sal de um sa­lá­rio mí­ni­mo e vi­ve com um fi­lho e dois ne­tos.

Do­na Eva diz que os R$ 308 não jus­ti­fi­cam os gas­tos com ener­gia elé­tri­ca. Em ca­sa, ela tem ge­la­dei­ra e fo­gão com se­lo A do Pro­cel – que com­pro­va bai­xo con­su­mo –, mi­cro-on­das, com­pu­ta­dor, má­qui­na de la­var e te­le­vi­sor.

Qu­em tam­bém se as­sus­tou com a al­ta na con­ta foi a apo­sen­ta­da Cí­ce­ra dos Santos. Se­gun­do ela, a fa­tu­ra su­biu de R$ 3 pa­ra R$ 300. “O di­nhei­ro que re­ce­bo do be­ne­fí­cio não dá nem pa­ra com­prar os re­mé­di­os que pre­ci­so”, la­men­tou.

As re­cla­ma­ções es­tão con­cen­tra­das en­tre os mo­ra­do­res da Rua Sa­mu­el Fin­ley Bre­e­se Mor­se, on­de fo­ram ins­ta­la­dos no­vos pos­tes de ener­gia. O bair- ro es­tá pas­san­do por re­vi­ta­li­za­ção, com alar­ga­men­to das ru­as e cons­tru­ção de mu­ros e cal­ça­das.

Se­gun­do a Co­pel, a me­di­ção de ener­gia no bair­ro era cen­tra­li­za­da em uma es­pé­cie de re­ló­gio co­le­ti­vo, pa­ra evi­tar “pro­ce­di­men­tos ir­re­gu­la­res”. O pro­ble­ma é que o equi­pa­men­to usa­do pa­ra me­dir o con­su­mo da­que­la área foi violado – fi­ca­va em um pos­te da Bre­e­se Mor­se - e, co­mo se tra­ta de uma tec­no­lo­gia im­por­ta­da, a com­pa­nhia não con­se­guiu pe­ças pa­ra re­po­si­ção.

O su­pe­rin­ten­den­te de Dis­tri­bui­ção No­ro­es­te da Co­pel, Dan­te An­to­nio San­chez Con­sel­van, ex­pli­ca que nas obras de re­vi­ta­li­za­ção do con­jun­to a pre­fei­tu­ra reins­ta­lou os pa­drões de ener­gia. Com is­so, a Co­pel fi­xou os me­di­do­res in­di­vi­du­ais e pas­sou a mar­car, se­gun­do ele, o con­su­mo re­al das fa­mí­li­as. “Co­mo eles não es­ta­vam pa­gan­do pra­ti­ca­men­te na­da e não ti­nham pre­o­cu­pa­ção de eco­no­mia, ago­ra sur­gi­ram es­ses re­gis­tros de con­su­mo, que são acu­mu­la­dos de apro­xi­ma­da­men­te 70 di­as.”

A Co­pel in­for­mou que vai par­ce­lar as fa­tu­ras e re­co­men­da que os mo­ra­do­res gas­tem me­nos ener­gia elé­tri­ca. “Já que eles não têm con­di­ções de pagar um va­lor mai­or, te­rão que se pre­o­cu­par em eco­no­mi­zar”.

Ra­fa­el Sil­va

Mo­ra­dor do San­ta mos­tra fa­tu­ras; re­gis­tro, ago­ra, é in­di­vi­du­a­li­za­do

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.