Ins­ti­tui­ções de en­si­no na mi­ra de es­tran­gei­ros

O Diario do Norte do Parana - - OPINIÃO -

A bus­ca por fon­tes de fi­nan­ci­a­men­tos pa­ra in­ves­tir no sis­te­ma edu­ca­ci­o­nal pa­re­ce ser uma das gran­des me­tas do go­ver­no, pro­vo­can­do dis­cus­sões fer­vo­ro­sas en­tre os go­ver­na­do­res de vá­ri­os es­ta­dos pro­du­to­res de pe­tró­leo, que per­de­rão par­te dos royal­ti­es pa­ra as de­mais fe­de­ra­ções. A jus­ti­fi­ca­ti­va do Pla­nal­to é a dis­tri­bui­ção de ren­da, uti­li­zan­do a edu­ca­ção pa­ra fa­ci­li­tar seus ob­je­ti­vos.

A bus­ca pe­lo en­si­no su­pe­ri­or é sig­ni­fi­ca­ti­va no País, mas a mai­or par­te dos es­tu­dan­tes aca­bam, por ra­zões di­ver­sas, não ten­do aces­so ou, quan­do tem, en­con­tram di­fi­cul­da­des fi­nan­cei­ras pa­ra se man­ter na uni­ver­si­da­de.

O ProU­ni, as­sim co­mo o Fi­es, es­tão vin­cu­la­dos ao Pla­no de De­sen­vol­vi­men­to da Edu­ca­ção (PDE), on­de os be­ne­fí­ci­os pa­ra bol­sas par­ci­ais e in­te­grais es­tão vin­cu­la­dos a ren­da per ca­pi­ta fa­mí­lia de até três sa­lá­ri­os mí­ni­mos. O sis­te­ma con­ta ain­da com ou­tros me­ca­nis­mos de fi­nan­ci­a­men­to pa­ra es­ti­mu­lar o es­tu­dan­te a com­ple­tar o seu ci­clo edu­ca­ci­o­nal, co­mo o Bol­sa per­ma­nên­cia.

Es­sas me­di­das es­tão abrin­do pos­si­bi­li­da­des pa­ra que ins­ti­tui­ções pri­va­das de en­si­no re­ce­bam alu­nos bol­sis­tas, sem o ris­co da ina­dim­plên­cia ou de al­tos ní­veis de eva­são. O atu­al ce­ná­rio do sis­te­ma de en­si­no su­pe­ri­or no Bra­sil es­tá cha­man­do a aten­ção de gran­des in­ves­ti­do­res na­ci­o­nais e es­tran­gei­ros, in­te­res­sa­dos na aqui­si­ção de cor­po­ra­ções edu­ca­ci­o­nais no País.

Re­cen­te­men­te, hou­ve­ram al­gu­mas aqui­si­ções im­por­tan­tes e que mu­da­ram o per­fil edu­ca­ci­o­nal bra­si­lei­ro no mo­men­to que al­gu­mas de­las to­ma­ram a de­ci­são de abrir seu ca­pi­tal na Bol­sa de Va­lo­res de São Pau­lo (Bo­ves­pa). São exem­plos: Anhan­gue­ra, Es­tá­cio e Kro­ton, além de em­pre­sas es­tran­gei­ras co­mo a Lau­re­a­te, De­vry, Whit­ney, que es­tão em so­lo bra­si­lei­ro há al­gum tem­po.

As ins­ti­tui­ções in­ves­tem por alu­no, em mé­dia, R$ 7 mil, re­fe­ren­te à car­tei­ra, sem con­tar a aqui­si­ção de imó­veis e des­con­ta­dos os ris­cos ine­ren­tes a pas­si­vos em an­da­men­tos e con­tin­gen­ci­ais. Es­se va­lor po­de­rá va­ri­ar de acor­do com a lo­ca­li­da­de, a men­sa­li­da­de mé­dia co­bra­da, ní­vel de eva­são es­co­lar, a re­pu­ta­ção da ins­ti­tui­ção, en­tre ou­tros fa­to­res.

Há es­co­las de en­si­no su­pe­ri­or que, in­te­res­sa­das em ven­der seu ne­gó­cio, in­flam o nú­me­ro de alu­nos atra­vés de es­tra­té­gi­as que en­vol­vem con­vê­ni­os e des­con­to em men­sa­li­da­de, mes­mo re­du­zin­do o tic­ket mé­dio do cur­so, e com o mí­ni­mo de in­ves­ti­men­to pos­sí­vel.

O gru­po ame­ri­ca­no Apol­lo já vem na­mo­ran­do há al­gum tem­po as ins­ti­tui­ções de en­si­no bra­si­lei­ras co­mo op­ção de in­ves­ti­men­to. Uma das pos­si­bi­li­da­des é a Fa­cul­da­des Me­tro­po­li­ta­nas Uni­das, que atu­al­men­te pos­sui 73 mil alu­nos e tem va­lor es­ti­ma­do de ven­da de apro­xi­ma­da­men­te R$ 1 bi­lhão, mé­dia de R$ 13,7 mil por alu­no, bem aci­ma do que vem sen­do pra­ti­ca­do pe­lo mer­ca­do. Ou­tra ins­ti­tui­ção na mi­ra da Apol­lo é a Uni­sa, que ho­je con­ta com cer­ca de 28 mil alu­nos.

Exis­tem di­ver­sas ins­ti­tui­ção de en­si­no en­fren­tan­do di­fi­cul­da­des fi­nan­cei­ras e com al­to grau de en­di­vi­da­men­to. Is­so po­de de­ses­ti­mu­lar em par­te os in­ves­ti­men­tos es­tran­gei­ros, em de­cor­rên­cia de dí­vi­das fis­cais e tra­ba­lhis­tas. Em mui­tos ca­sos há ain­da o pas­si­vo ocul­to, que in­vi­a­bi­li­za to­tal­men­te o pro­ces­so de aqui­si­ção. Qu­em in­ves­te quer ter o re­tor­no do re­cur­so em cur­to es­pa­ço de tem­po, ali­a­do a pers­pec­ti­va futura de um bom ne­gó­cio, com trans­pa­rên­cia e com en­di­vi­da­men­to bai­xo e con­tro­lá­vel.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.