Tra­ba­lha­dor se quei­xa de exi­gên­ci­as

O Diario do Norte do Parana - - ZOOM - Renato Oli­i­vei­ra

re­na­to­o­li­vei­ra@odi­a­rio.com Bai­xos sa­lá­ri­os, fal­ta de qua­li­fi­ca­ção pro­fis­si­o­nal ou in­te­res­se de em­pre­ga­do­res em ofe­re­cer a opor­tu­ni­da­de de en­trar no mer­ca­do de tra­ba­lho ou mes­mo mu­dar de ra­mo. Es­tas são as prin­ci­pais ra­zões elen­ca­das por tra­ba­lha­do­res que en­con­tram di­fi­cul­da­de em con­quis­tar a tão so­nha­da va­ga com re­gis­tro em car­tei­ra de tra­ba­lho.

“O mai­or pro­ble­ma é não ter um cur­so ou a ex­pe­ri­ên­cia pa­ra con­se­guir pre­en­cher os re­qui­si­tos das va­gas”, apon­ta a es­tu­dan­te Ja­que­li­ne Fran­zo­ni, 19 anos, que re­cen­te­men­te con­cluiu o en­si­no mé­dio e vai fa­zer ves­ti­bu­lar pa­ra Far­má­cia ou En­fer­ma­gem. Ela quer ga­ran­tir o pri­mei­ro emprego pa­ra con­se­guir ban­car os es­tu­dos.

Pa­ra Ja­que­li­ne, ou­tro agra­van­te é a au­sên­cia de va­gas que não pe­dem ex­pe­ri­ên­cia. “É di­fí­cil achar qu­em dá opor­tu­ni­da­de de en­trar no mer­ca­do”, con­ta. Na opi­nião de Ja­que­li­ne, das va­gas anun­ci­a­das que não são pre­en­chi­das, a fai­xa sa­la­ri­al es­tá abai­xo do ne­ces­sá­rio pa­ra ga­ran­tir o sus­ten­to de uma fa­mí­lia. “Um sa­lá­rio de R$ 700 pa­ra qu­em mo­ra com os pais dá e até so­bra. Mas qu­em tem fi­lho, mes­mo que pos­sua ma­ri­do em­pre­ga­do, é pou­co pa­ra sus­ten­tar uma ca­sa com fi­lhos.”

Pa­ra a ze­la­do­ra Nei­de San­ta­na da Cruz, o fa­to de pos­suir 51 anos não im­pe­de que en­con­tre tra­ba­lho. “Te­nho ami­gas até mais ve­lhas que en­con­tram”, com­ple­ta. O pro­ble­ma, se­gun­do ela, é a lis­ta de exi­gên­ci­as que os em­pre­ga­do­res fa­zem na ho­ra de con­tra­tar. “Te­nho ex­pe­ri­ên­cia e não sou de es­co­lher sa­lá­rio. Mas acho que exigem de­mais na ho­ra de es­co­lher”, con­ta.

Se­gun­do Nei­de, que es­tá de­sem­pre­ga­da há 3 me­ses, em cer­tas si­tu­a­ções é mais van­ta­jo­so ga­nhar me­nos e ter um am­bi­en­te de tra­ba­lho mais tran­qui­lo do que ser am­bi­ci­o­so e, mes­mo re­ce­ben­do mais, su­jei­tar-se a jor­na­das mais pe­sa­das.

A ven­de­do­ra Ma­ra Ra­quel Cons­tan­ti­no, o sa­lá­rio da mai­o­ria das va­gas pa­ra tra­ba­lhar no co­mér­cio é bai­xo se con­si­de­ra­da a jor­na­da que in­clui sá­ba­dos e do­min­gos. “Eles exigem mui­tas qua­li­fi­ca­ções e não re­mu­ne­ram bem. Va­ga de emprego tem, mas não dão opor­tu­ni­da­de quan­do vo­cê tem ex­pe­ri­ên­cia e quer mu­dar pa­ra ou­tras áre­as.” “O mai­or pro­ble­ma é não ter um cur­so ou a ex­pe­ri­ên­cia pa­ra con­se­guir pre­en­cher os re­qui­si­tos das va­gas”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.