Viú­va des­cre­ve terror

O Diario do Norte do Parana - - CIDADES - Van­da Mu­nhoz

van­da@odi­a­rio.com “É uma dor mui­to gran­de, le­va­ram um pe­da­ço de mim, foi hor­rí­vel.”

A de­cla­ra­ção é de Ro­se, es­po­sa do co­mer­ci­an­te Mau­ro Ales­san­dro Perez, 48 anos, as­sas­si­na­do no dia 16, um sá­ba­do, por vol­ta de 20h30, na fren­te da Lan­cho­ne­te Fiuza, de pro­pri­e­da­de de­le pró­prio, na Ave­ni­da Lon­dri­na, Zo­na 8, em Ma­rin­gá.

Mui­to cho­ca­da com a mor­te do ma­ri­do, Ro­se des­cre­ve mo­men­tos de terror vi­vi­dos du­ran­te o as­sal­to. “Che­ga­ram em dois na por­ta da lan­cho­ne­te e lo­go anun­ci­a­ram o as­sal­to. Não es­pe­ra­va que fos­sem ati­rar, nem que fos­sem ban­di­dos no mo­men­to em que che­ga­ram”, diz. Ela con­ta que es­ta­va no re­ser­va­do, on­de fi­cam me­sas, e ha­via três cli­en­tes no lo­cal. “Ou­vi cer­ca de qua­tro ti­ros, mas não es­pe­ra­va que ti­ves­sem acer­ta­do o Mau­ro. Ele es­ta­va de cos­tas pa­ra mim e, quan­do se vi­rou, per­ce­bi que ti­nha si­do al­ve­ja­do. Deu al­guns pas­sos e dei­tou na cal­ça­da.”

Ro­se des­cre­ve o ma­ri­do co­mo um ho­mem tra­ba­lha­dor e mui­to bom com to­dos. “Ele brin­ca­va mui­to, as cri­an­ças gos­ta­vam de­le.” Mau­ro ti­nha pro­je­tos pa­ra am­pli­ar a lan­cho­ne­te e ten­ta­va tam­bém con­se­guir que a pre­fei­tu­ra fi­zes­se uma fai­xa ele­va­da pa­ra pe­des­tres na Ave­ni­da Lon­dri­na. “Aqui, depois das 18 ho­ras, os car­ros pas­sam vo­an­do. Nós con­se­gui­mos uma fai­xa sim­ples pa­ra pe­des­tres, mas ele que­ria uma ele­va­da. Vou con­ti­nu­ar com o abai­xo-as­si­na­do de­le. Pre­ci­sa­mos de 500 as­si­na- tu­ras”, diz.

So­bre a lan­cho­ne­te, Ro­se con­tou que até a pró­xi­ma se­gun­da­fei­ra de­ci­di­rá se ven­de ou se ar­ren­da o ne­gó­cio. “Não con­si­go con­ti­nu­ar tra­ba­lhan­do aqui.” On­tem a lan­cho­ne­te es­ta­va fe­cha­da, mas Ro­se es­ta­va no lo­cal.

Ela diz que es­pe­ra jus­ti­ça e que con­fia no tra­ba­lho da po­lí­cia, que pren­deu os sus­pei­tos do cri­me. “A po­lí­cia fez um tra­ba­lho cor­re­to, se em­pe­nhou pa­ra achar os res­pon­sá­veis e con­se­guiu. Ago­ra es­pe­ro Jus­ti­ça. Que eles fi­quem pre­sos. Um de­les as­sas­si­nou uma pes­soa em Cas­ca­vel. Es­pe­ro que não vol­tem pa­ra a rua e não re­pi­tam es­se ges­to”, de­sa­ba­fou. Na ava­li­a­ção de­la, não ape­nas a Zo­na 8, mas to­da a ci­da­de so­fre com a vi­o­lên­cia. “E Ma­rin­gá era uma ci­da­de tão cal­ma...”, diz.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.