Titãs En­con­tro de vá­ri­as épo­cas

O Diario do Norte do Parana - - O DIÁRIO DO NORTE DO PARANÁ -

O re­per­tó­rio de Fran­cis e Guin­ga pas­sa pe­las qua­tro es­ta­ções da vi­da dos dois com­po­si­to­res. Fran­cis é mais ve­lho. Nas­ceu no Rio, em 1939, es­tu­dou na Suí­ça, vol­tou ao Bra­sil no co­me­ço da bos­sa no­va, vi­rou par­cei­ro de Vi­ni­cius de Mo­ra­es e, em 1969, for­ma­do em en­ge­nha­ria me­câ­ni­ca, tro­cou de pro­fis­são, ca­san­do com Olí­via Hi­me. Fran­cis pas­sou pe­los EUA, on­de es­tu­dou com­po­si­ção com o ma­es­tro ar­gen­ti­no Lalo Schi­frin, um dos me­lho­res mú­si­cos de Hollywood (são de­le as tri­lhas de Bul­litt e The Fox, en­tre ou­tras).

Guin­ga, nas­ci­do tam­bém no Rio, em 1950, for­mou-se em odon­to­lo­gia e co­me­çou a car­rei­ra mu­si­cal mui­to depois de Fran­cis. “Eu o co­nhe­ci em 1974, du­ran­te as gra­va­ções de O Can­to das Três Ra­ças, de Cla­ra Nunes”, lem­bra Guin­ga. O vi­o­lo­nis­ta foi cha­ma­do pa­ra subs­ti­tuir um co­le­ga. Fran­cis as­si­na­va os ar­ran­jos do dis­co. Guin­ga de­ve­ria acom­pa­nhar a can­to­ra na val­sa “Ai Qu­em Me De­ra”, mas não sa­bia ler par­ti­tu­ra, a des­pei­to de sua ha­bi­li­da­de co­mo ins­tru­men­tis­ta. Is­so, pa­ra Fran­cis, não sig­ni­fi­ca­va na­da. Ele o cha­mou num can­to e, pa­ci­en­te­men­te, lhe pas­sou os acor­des. Os dois fi­ca­ram ami­gos. “Acom­pa­nho Guin­ga há mui­to tem­po e já ti­nha pla­nos de gra­var com ele des­de o lan­ça­men­to de seu dis­co Ca­sa da Vil­la.” Is­so acon­te­ceu há seis anos. Fran- cis ou­viu “Mar de Ma­ra­ca­nã” (que vol­ta no CD Fran­cis e Guin­ga) e, es­ti­mu­la­do, compôs uma can­ção pa­ra ele.

A le­tra de “Mar de Ma­ra­ca­nã” diz que em Ma­ra­ca­nã “a zo­na nor­te é o Le­blon nu­ma van”, de­fi­nin­do-o co­mo a “mo­ra­da do sol e do fu­te­bol”. Guin­ga, ga­ro­to de su­búr­bio, te­ve uma in­fân­cia bem di­fe­ren­te do no­vo par­cei­ro de fa­mí­lia aris­to­crá­ti­ca que, ape­sar dis­so, sem­pre se mos­trou sen­sí­vel ao trân­si­to in­ter­clas­sis­ta, a pon­to de as­si­nar com Chi­co Bu­ar­que a ho­je clás­si­ca “Pi­ve­te” (1978), so­bre um fla­ne­li­nha que ven­de chi­cle­te no si­nal fe­cha­do.

A par­ce­ria com Chi­co, que ren­deu ou­tros clás­si­cos (“Atrás da Por­ta”, “Tro­can­do em Miú­dos”), é lem­bra­da no no­vo dis­co com o te­ma do fil­me “A Noi­va da Ci­da­de”, que faz pen­dant com a mo­di­nha “Se­nho­ri­nha”, que Guin­ga e Pau­lo Cé­sar Pi­nhei­ro es­cre­ve­ram pa­ra a no­ve­la “Si­nhá Mo­ça”, em 1986, can­ta­da, na épo­ca, por Ron­nie Von. Co­mo se vê, não só Fran­cis tem lon­ga ex­pe­ri­ên­cia co­mo au­tor de tri­lhas (co­mo “Li­ção de Amor”, “A Es­tre­la So­be” e “Do­na Flor e Seus Dois Ma­ri­dos”, cu­jos te­mas po­dem ser ou­vi­dos no CD “O Tem­po das Pa­la­vras”).

Guin­ga diz que ado­ra­ria com­por pa­ra ci­ne­ma. É um ci­né­fi­lo exi­gen­te, mas prefere re­ver em ca­sa os fil­mes de seus di­re­to­res pre- fe­ri­dos ( Buñu­el, Berg­man, Demy). “Não vou ao ci­ne­ma há dez anos, te­nho fo­bia”, re­ve­la. Em con­tra­par­ti­da, sa­be tudo so­bre com­po­si­to­res de tri­lhas e con­ta que fi­cou emo­ci­o­na­do quan­do Sér­gio Men­des co­lo­cou Henry Man­ci­ni ao te­le­fo­ne pa­ra con­ver­sar com ele. “Ima­gi­ne, fa­lar com Man­ci­ni, um dos meus ído­los ao la­do de Johnny Man­del”, con­ta com des­con­cer­tan­te sim­pli­ci­da­de pa­ra um vi­o­lo­nis­ta e com­po­si­tor à al­tu­ra dos mai­o­res mú­si­cos do mun­do. So­bre a pos­si­bi­li­da­de de vir a as­si­nar uma tri­lha com Fran­cis, ele não fa­la, mas diz que su­as re­fe­rên­ci­as mu­si­cais são as mes­mas, dos im­pres­si­o­nis­tas a Wagner, Pi­xin­gui­nha e Jo­bim.

Um no­me que se des­ta­ca no dis­co “Fran­cis e Guin­ga” é o da can­to­ra, le­tris­ta e pro­du­to­ra Olí­via Hi­me. Ela não can­ta no dis­co, mas es­tá pre­sen­te co­mo co­au­to­ra em três das dez fai­xas (“A Ver Na­vi­os”, “Pa­rin­tin­tin” e “De­sa­ca­lan­to”). Em con­tra­par­ti­da, no CD “Al­ma­mú­si­ca ao Vi­vo”, que aca­bou de ser lan­ça­do, sua be­la voz acom­pa­nha o ma­ri­do em par­ce­ri­as com Vi­ni­cius de Mo­ra­es (“Sau­da­de de Amar”), Chi­co Bu­ar­que (“Tro­can­do em Miú­dos”) e Ge­ral­do Car­nei­ro (“Exis­te um Céu”). E, pa­ra ale­gria de Guin­ga, ela in­cluiu no dis­co, gra­va­do ao vi­vo, “La Val­se de Li­las”, de Mi­chel Le­grand.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.