Res­ti­tui­ção mais rá­pi­da pa­ra qu­em se an­te­ci­pa

DE­CLA­RA­ÇÃO DO IR Re­cei­ta Fe­de­ral li­be­rou down­lo­ad do pro­gra­ma do Im­pos­to de Ren­da 2013. Pra­zo é de 1º de mar­ço a 30 de abril. Em Ma­rin­gá, a ex­pec­ta­ti­va é que 82 mil de­cla­ra­ções se­jam en­tre­gues En­tre­gar o quan­to an­tes

O Diario do Norte do Parana - - ZOOM - Car­la Gu­e­des

car­la@odi­a­rio.com A Re­cei­ta Fe­de­ral li­be­rou on­tem, pa­ra down­lo­ad o pro­gra­ma do Im­pos­to de Ren­da 2013, uti­li­za­do pa­ra fa­zer a de­cla­ra­ção. O en­vio das in­for­ma­ções po­de­rá ser fei­to a par­tir das 8h do dia 1º de mar­ço até 30 de abril. O con­tri­buin­te que en­tre­gar a de­cla­ra­ção nos pri­mei­ros di­as se­rá res­ti­tuí­do mais ce­do, ca­so te­nha di­rei­to. Ou­tra van­ta­gem de qu­em se an­te­ci­pa é a pos­si­bi­li­da­de de cor­ri­gir os er­ros a tem­po.

Se­rão se­te lo­tes de res­ti­tui­ções, mas o cro­no­gra­ma com as da­tas de con­sul­ta e li­be­ra­ção ain­da não foi di­vul­ga­do. No ano pas­sa­do, o pri­mei­ro lo­te de res­ti­tui­ções foi de­po­si­ta­do em 15 de ju­nho e be­ne­fi­ci­ou con­tri­buin­tes com mais de 60 anos, em cum­pri­men­to ao Es­ta­tu­to do Ido­so.

A ex­pec­ta­ti­va da Re­cei­ta é re­ce­ber mais de 26 mi­lhões de de­cla­ra­ções em to­do o País, um re­cor­de. Em 2012, 25,2 mi­lhões de con­tri­buin­tes pres­ta­ram contas ao Fis­co.

A Re­cei­ta Fe­de­ral no es­pe­ra re­ce­ber 1.620.000 de de­cla­ra­ções . No ano pas­sa­do fo­ram re­ce­bi­das 1.569.426 .569.426.

Em Ma­rin­gá, a pro­je­ção da Re­cei­ta é que se­jam en­tre­gues 82 mil de­cla­ra­ções até 30 de abril. O vo­lu­me é 4% mai­or que o de 2012. Na ju­ris­di­ção da de­le­ga­cia da Re­cei­ta Fe­de­ral de Ma­rin­gá, que abran­ge 126 mu­ni­cí­pi­os, se­rão cer­ca de 226 mil de­cla­ra­ções.

O pre­si­den­te do Sin­di­ca­to dos Con­ta­bi­lis­tas de Ma­rin­gá (Sin­con­tá­bil), Or­lan­do Chi­quet­to Rodrigues, diz que o ide­al é que o con­tri­buin­te se or­ga­ni­ze já no ano an­te­ri­or. Se com­prou ou ven­deu um au­to­mó­vel, que já se­pa­re no­tas fis­cais e re­ci­bos em uma pas­ta. Ca­so te­nha com­pra­do um imó­vel, que gu­ar­de có­pia da es­cri­tu­ra pa­ra en­tre­gá-la ao con­ta­dor. “Quan­to mais ce­do ele ti­ver a do­cu­men­ta­ção, mais tran­qui­li­da­de te­rá pa­ra re­ver a de­cla­ra­ção. Por is­so, é im­por­tan­te pri­o­ri­zá-la.” As em­pre­sas têm até quin­ta-fei­ra pa­ra en­tre­gar aos fun­ci­o­ná­ri­os os in­for­mes de ren­di­men­tos. Os ex­tra­tos ban­cá­ri­os de 2012 po­dem ser im­pres­sos em cai­xas ele­trô­ni­cos ou con­fe­ri­dos na internet.

Pa­ra es­te ano, o con­tri­buin­te po­de­rá fa­zer do­a­ções a en­ti­da­des li­ga­das a cri­an­ças e ado­les­cen­tes com pro­je­tos apro­va­dos na Se­cre­ta­ria Mu­ni­ci­pal de As­sis­tên­cia So­ci­al e Ci­da­da­nia até o dia 30 de abril e aba­ter 3% do im­pos­to de­vi­do.

Ou­tra no­vi­da­de es­tá no pro- gra­ma uti­li­za­do pe­lo con­tri­buin­te pa­ra fa­zer a de­cla­ra­ção. O soft­ware vai tra­zer a fun­ção de res­ga­te das in­for­ma­ções pres­ta­das pe­lo con­tri­buin­te no ano pas­sa­do. Des­pe­sas, fon­tes pa­ga­do­ras e de­du­ções de­cla­ra­das no IR 2012 vão apa­re­cer pre­vi­a­men­te pre­en­chi­das, bas­ta o con­tri­buin­te im­por­tar os da­dos e atu­a­li­zar os va­lo­res.

Chi­quet­to re­co­men­da que o con­tri­buin­te ava­lie e es­co­lha a for­ma me­nos one­ro­sa de acer­tar as contas com o Fis­co. “Ele de­ve fa­zer si­mu­la­ções nos for­mu­lá­ri­os com­ple­to e sim­pli­fi­ca­do e ver se va­le a pe­na ou não lan­çar os de­pen­den­tes na de­cla­ra­ção”, ori­en­ta. Es­te ano se­rá o úl­ti­mo em que os con­tri­buin­tes po­de­rão apre­sen­tar a de­cla­ra­ção sim­pli­fi­ca­da.

Ma­lha

Em 2012, em Ma­rin­gá, 3,7 de­cla­ra­ções do IR fi­ca­ram re­ti­das . A omissão de ren­di­men­tos de ti­tu­lar ou de­pen­den­tes é o er­ro mais co­mum. “A pes­soa não de­cla­ra uma fon­te de ren­da ou um alu­guel re­ce­bi­do ou in­for­ma uma des­pe­sa que não tem com­pro­va­ção”, diz Chi­quet­to. “São si­tu­a­ções que le­vam a Re­cei­ta a fa­zer cru­za­men­to de da­dos e des­co­brir que ela pres­tou in­for­ma­ção in­cor­re­ta.” Das 616 mil de­cla­ra­ções na ma­lha fi­na em 2012 em to­do o País, 69,12% fo­ram re­ti­das por omissão de ren­di­men­tos. O mé­di­co Renato Gal­vão Vi­le­la prefere fa­zer a de­cla­ra­ção de Im­pos­to de Ren­da lo­go nos pri­mei­ros di­as. Ao lon­go do ano, ele se or­ga­ni­za e se­pa­ra em pas­tas os do­cu­men­tos que se­rão exi­gi­dos pe­la Re­cei­ta Fe­de­ral. O li­vro­cai­xa do con­sul­tó­rio é de­ta­lha­do e as des­pe­sas e re­cei­tas são se­pa­ra­das por mês.

Pa­ra a de­cla­ra­ção des­te ano, não se­rá di­fe­ren­te. Qua­se to­dos os do­cu­men­tos já es­tão re­ser­va­dos. Vi­le­la aguar­da ape­nas os in­for­mes de ren­di­men­tos das em­pre­sas pa­ra as quais tra­ba­lha – as ins­ti­tui­ções têm até quin­ta­fei­ra pa­ra en­tre­gar os do­cu­men­tos aos fun­ci­o­ná­ri­os. “Eu pre­fi­ro me or­ga­ni­zar e en­tre­gar o quan­to an­tes por­que fa­ci­li­ta pa­ra mim e pa­ra o con­ta­dor.”

Des­de que pas­sou a uti­li­zar o mo­de­lo de de­cla­ra­ção com­ple­to, Vi­le­la con­tra­tou o ser­vi­ço de um contabilista. “Eu mes­mo en­vi­a­va a de­cla­ra­ção no co­me­ço da car­rei­ra, quan­do ain­da fa­zia re­si­dên­cia, ti­nha só uma fon­te de ren­da e usa­va o mo­de­lo sim­pli­fi­ca­do. Ago­ra, é o con­ta­dor que re­sol­ve.”

João Cláudio Fra­go­so

Renato Vi­le­la: or­ga­ni­za­ção pa­ra fa­zer a de­cla­ra­ção do IR

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.