Me­nor as­su­me na jus­ti­ça cul­pa por mor­te na Bo­lí­via

No de­poi­men­to, cu­jo te­or não foi re­ve­la­do, tor­ce­dor re­pe­ti­ria o que dis­se em en­tre­vis­ta à TV Glo­bo, no Pro­gra­ma Fan­tás­ti­co, con­fes­san­do ter dis­pa­ra­do si­na­li­za­dor em Oru­ro

O Diario do Norte do Parana - - ESPORTES - Da Agên­cia Es­ta­do

re­da­cao@odi­a­rio.com O tor­ce­dor H.A.M., de 17 anos, foi li­be­ra­do pa­ra vol­tar pa­ra sua ca­sa no fim da tar­de des­ta se­gun­da-fei­ra, após pres­tar de­poi­men­to na Va­ra de In­fân­cia e da Ju­ven­tu­de de Gu­a­ru­lhos. O me­nor te­ria as­su­mi­do a au­to­ria do dis­pa­ro do si­na­li­za­dor que ma­tou um tor­ce­dor do San José na úl­ti­ma qu­ar­ta, na ci­da­de bo­li­vi­a­na de Oru­ro, du­ran­te jo­go do Co­rinthi­ans, pe­la Co­pa Li­ber­ta­do­res.

No de­poi­men­to, o co­rin­ti­a­no iria fa­zer a mes­ma con­fis­são que fez à TV Glo­bo, na noi­te de do­min­go. “Que­ro as­su­mir meu er­ro mes­mo, por­que não é cer­to as pes­so­as pa­ga­rem por al­gu­ma coi­sa que não fi­ze­ram”, afir­mou o ga­ro­to, que iria re­pe­tir as mes­mas de­cla­ra­ções na Va­ra da In­fân­cia, se­gun­do seu ad­vo­ga­do, Ricardo Ca­bral.

As de­cla­ra­ções do tor­ce­dor em ca­rá­ter ofi­ci­al não se­rão di­vul­ga­das. Por ser me­nor de ida­de, ele é pro­te­gi­do pe­lo Es­ta­tu­to da Cri­an­ça e do Ado­les­cen­te. E o ca­so vai cor­rer em se­gre­do de Jus­ti­ça.

Ao ser li­be­ra­do, após o de­poi­men­to, o co­rin­ti­a­no não fa­lou com a im­pren­sa. Ele dei­xou o pré­dio on­de fi­ca a Va­ra da In­fân­cia e da Ju­ven­tu­de da mes­ma for­ma que en­trou, sen­ta­do no ban­co do ca­ro­na do car­ro do ad­vo­ga­do. O tor­ce­dor es­con­dia o ros­to com bo­né e as mãos na ca­be­ça.

O pró­prio ad­vo­ga­do di­ri­gia o veí­cu­lo. A mãe do me­nor es­ta­va no ban­co de trás. Quan­do des­cia pe­la rua Fe­lí­cio Mar­con­des, pes­so­as que cir­cu­la­vam pe­las pro­xi­mi­da­des emi­ti- ram gri­tos de “as­sas­si­no” em di­re­ção ao car­ro. Com a con­fis­são do me­nor, o ad­vo­ga­do es­pe­ra que os 12 tor­ce­do­res de­ti­dos na Bo­lí­via des­de a mor­te de Ke­vin Dou­glas Bel­trán Es­pa­da se­jam li­be­ra­dos. O epi­só­dio trá­gi­co acon­te­ceu lo­go no iní­cio da par­ti­da en­tre San José e Co­rinthi­ans. Um si­na­li­za­dor foi lan­ça­do da tor­ci­da do ti­me bra­si­lei­ro e atin­giu o bo­li­vi­a­no de 14 anos, que morreu na ho­ra.

Os 12 tor­ce­do­res co­rin­ti­a­nos de­ti­dos se­guem no Pre­sí- dio San Pe­dro, em Oru­ro, acu­sa­dos pe­lo ho­mi­cí­dio de Ke­vin. Dois de­les, Cleu­ter Bar­re­to Bar­ros e Le­an­dro Sil­va de Oli­vei­ra, fo­ram in­di­ci­a­dos por as­sas­si­na­to. Os ou­tros 10 fo­ram in­di­ci­a­dos co­mo cúm­pli­ces do cri­me.

O Co­rinthi­ans es­pe­ra­va pa­ra on­tem a Con­me­bol se pro­nun­ci­ar ho­je so­bre o re­cur­so que o clube apre­sen­tou pa­ra anu­lar a li­mi­nar que im­pe­de o Al­vi­ne­gro de jo­gar com o apoio da sua tor­ci­da nas par­ti­das da Li­ber­ta­do­res du­ran­te 60 di­as.

José Pa­trí­cio/ae

H.A.M, de 17 anos, foi ou­vi­do e li­be­ra­do pe­la Va­ra da In­fân­cia em SP

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.