Chu­va che­ga a vo­lu­me re­cor­de pa­ra fe­ve­rei­ro

Em Ma­rin­gá, vá­ri­os pon­tos da ci­da­de en­fren­ta­ram ala­ga­men­to, e ár­vo­res e mu­ros caí­ram; Sa­ran­di en­fren­ta di­fi­cul­da­des pa­ra re­to­mar tra­ba­lhos de re­cu­pe­ra­ção de ru­as

O Diario do Norte do Parana - - CIDADES -

re­da­cao@odi­a­rio.com O vo­lu­me de chu­va su­pe­ri­or a 300 mm que caiu em Ma­rin­gá em fe­ve­rei­ro já su­pe­ra em qua­se du­as ve­zes a mé­dia his­tó­ri­ca pa­ra o mês, que é de 160 mm, se­gun­do o Instituto Tec­no­ló­gi­co Si­me­par. So­men­te on­tem cho­veu 30 mm. “O Instituto Na­ci­o­nal de Me­te­o­ro­lo­gia re­gis­trou 60 mi­lí­me­tros (on­tem, em Ma­rin­gá). O mo­ti­vo da di­fe­ren­ça é que na lo­ca­li­da­de do Si­me­par no mu­ni­cí­pio a chu­va não foi tão for­te. Chu­vas ir­re­gu­la­res são co­muns nes­sa épo­ca do ano”, ex­pli­ca a me­te­o­ro­lo­gis­ta Shei­la Paz.

Ape­sar de cair em pon­tos iso­la­dos, no­va­men­te a chu­va cau­sou pro­ble­mas. Na Ave­ni­da Ho­rá­rio Rac­ca­nel­lo Fi­lho, na Vi­la Ope­rá­ria, par­te de um mu­ro caiu so­bre a cal­ça­da. Até o fi­nal da tar­de, três ár­vo­res ha­vi­am caí­do, se­gun­do a Se­cre­ta­ria Mu­ni­ci­pal de Ser­vi­ços Pú­bli­cos.

Pon­tos de ala­ga­men­to fo­ram ve­ri­fi­ca­dos em vá­ri­os lo­cais: na Ave­ni­da Tuiu­ti, na es­qui­na com a Rua Mit­su­zo Ta­gu­chi; nas pro­xi­mi­da­des do Cen­tro So­ci­al Ur­ba­no; e na Ave­ni­da Dr. Alexandre Ras­gu­la­eff, na al­tu­ra do Jar­dim Bra­sil. Na Ave­ni­da Mon­tei­ro Lo­ba­to, na Zo­na 8, o meio fio e par­te da pis­ta tam­bém es­ta­vam co­ber­tos pe­la água. Mo­ra­dor da via há 25 anos, o mo­to­ris­ta Vi­tor da Sil­va Go­mes diz que o pro­ble­ma é an­ti­go. “Sem­pre que cho­ve é pre­ci­so es­pe­rar a chu­va pas­sar pa­ra sair de ca­sa. Ho­je (on­tem) mi­nha ne­ta fal­tou à es­co­la.”

Se­gun­do o di­re­tor de Ope­ra­ções da De­fe­sa Ci­vil de Ma­rin­gá e se­cre­tá­rio mu­ni­ci­pal de Ser­vi­ços Pú­bli­cos, Vag­ner Mus­sio, os ala­ga­men­tos ocor­rem em lu­ga­res on­de a tu­bu­la­ção plu­vi­al é es­trei­ta. “Mes­mo as­sim, a mai­o­ria da tu­bu­la­ção na ci­da­de tem pe­lo me­nos 90 cm. Além dis­so, co­mo Ma­rin­gá tem to­po­gra­fia pla­na, os lo­cais não fi­cam ala­ga­dos por mui­to tem­po. Os cru­za­men­tos de fun­dos de va­le de­mo­ram mais pa­ra se­car.”

Ou­tro fa­tor que con­tri­bui pa­ra a for­ma­ção de ala­ga­men­tos, se­gun­do Mus­sio, é a fal­ta de cui­da­do da po­pu­la­ção, que mui­tas ve­zes jo­ga en­tu­lho nos bu­ei­ros. “Se as bo­cas-de-lo­bo não es­ti­ves­sem obs­truí­das, mes­mo sen­do es­trei­ta a tu­bu­la­ção po­de­ria es­co­ar a água”.

Sa­ran­di

Ser­vi­do­res da Pre­fei­tu­ra de Sa­ran­di tra­ba­lha­ram por 5 di­as pa­ra re­cu­pe­rar os es­tra­gos da ter­ça-fei­ra da se­ma­na pas­sa­da no Par­que Al­va­mar, prin­ci­pal­men­te na Rua João Go­mes Re­don­do, on­de o as­fal­to de dois quar­tei­rões foi le­va­do pe­la en­xur­ra­da, mas to­do o tra­ba­lho foi per­di­do nos pri­mei­ros 10 mi­nu­tos da chu­va que caiu on­tem, no mo- men­to em que ia ser apli­ca­da no­va mas­sa as­fál­ti­ca.

Pe­dra, areia e bri­ta usa­das pa­ra pre­pa­rar a ba­se da no­va pa­vi­men­ta­ção fo­ram le­va­das, cra­te­ras sur­gi­ram na rua, e um tre­cho da cal­ça­da ga­nhou um bu­ra­co de 1 metro de pro­fun­di­da­de na es­qui­na com a Rua João Ma­ran­go­ni.

Até o fi­nal da tar­de de on­tem o De­par­ta­men­to de Ser­vi­ços Pú­bli­cos ain­da não sa­bia quan­do po­de­rá rei­ni­ci­ar a re­cu­pe­ra­ção, pois o tra­ba­lho só de­ve ser exe­cu­ta­do com pe­lo me­nos uma se­ma­na sem chu­vas. Se­gun­do o di­re­tor do de­par­ta­men­to, Evandro Mon­tel­lo de Al­mei­da, há o ris­co de se co­lo­car ma­te­ri­al na rua e tudo ser le­va­do no­va­men­te.

“A Rua João Go­mes Re­don­do é a par­te mais bai­xa da área ur­ba­na de Sa­ran­di e pa­ra cá des­ce a en­xur­ra­da de vá­ri­os bair­ros”, diz o mo­ra­dor Val­de­cir de Oli­vei­ra.

Se­gun­do o pre­fei­to in­te­ri­no Luiz Car­los Agui­ar (PPS), a pre­fei­tu­ra es­ta­va re­a­li­zan­do um tra­ba­lho pa­li­a­ti­vo pa­ra ali­vi­ar a si­tu­a­ção dos mo­ra­do­res e co­mer­ci­an­tes do bair­ro. “Mas es­ta­mos cons­ci­en­tes de que o pro­ble­ma só se­rá re­sol­vi­do quan­do for tro­ca­da to­da a tu­bu­la­ção das ga­le­ri­as plu­vi­ais.” Se­gun­do ele, a ca­na­li­za­ção de águas no Al­va­mar e bair­ros ad­ja­cen­tes é fi­na. “Te­mos um pro­je­to pa­ra tro­car a re­de mes­tra pa­ra uma tu­bu­la­ção de 2,20 me­tros de di­â­me­tro.”

A pre­vi­são do pre­fei­to é de que ho­je ou no má­xi­mo até ama­nhã o de­cre­to de es­ta­do de ca­la­mi­da­de pú­bli­ca es­te­ja em vi­gor - uma das exi­gên­ci­as da De­fe­sa Ci­vil pa­ra que o mu­ni­cí­pio con­si­ga re­cur­sos emer­gen­ci­ais pa­ra a exe­cu­ção de obras de dre­na­gem.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.