Câ­ma­ra aca­ba com 14º e 15º de par­la­men­ta­res

Be­ne­fí­ci­os eram pa­gos des­de 1938, e cor­te vai ge­rar eco­no­mia de R$ 31 mi­lhões nos anos em que não for pa­go; me­di­da é ten­ta­ti­va de re­cu­pe­rar ima­gem da Ca­sa

O Diario do Norte do Parana - - GERAL - Agên­cia Es­ta­do

re­da­cao@odi­a­rio.com Com um con­sen­so for­ça­do, a Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos apro­vou on­tem o fim do be­ne­fí­cio anu­al do 14º e 15º sa­lá­rio pa­ra os par­la­men­ta­res. A par­tir de ago­ra, os de­pu­ta­dos e senadores só re­ce­be­rão sa­lá­ri­os ex­tras ao as­su­mir e dei­xar seus man­da­tos no Con­gres­so, o que acon­te­ce, em re­gra, a ca­da 4 anos. A vo­ta­ção acon­te­ce nu­ma ten­ta­ti­va do pre­si­den­te, Hen­ri­que Edu­ar­do Al­ves (PMDB-RN), de ten­tar me­lho­rar a ima­gem da Ca­sa.

O be­ne­fí­cio de sa­lá­ri­os ex­tras pa­ra os par­la­men­ta­res, cha­ma­dos in­ter­na­men­te de aju­da de cus­to, co­me­çou em 1938. Em al­guns pe­río­dos ocor­ria o pa­ga­men­to tam­bém quan­do ha­via con­vo­ca­ções ex­tra­or­di­ná­ri­as pa­ra tra­ba­lho em ju­lho e ja­nei­ro, o que le­vou ao pa­ga­men­to de até 19 sa­lá­ri­os em um mes­mo ano. Atu­al­men­te, o be­ne­fí­cio era pa­go no iní­cio e no fim de ca­da ano.

A pro­pos­ta foi apro­va­da pe­lo Se­na­do em maio do ano pas- sa­do. Na Câ­ma­ra, fi­cou pa­ra­da por me­ses na Co­mis­são de Fi­nan­ças e Tri­bu­ta­ção, o que per­mi­tiu o pa­ga­men­to do be­ne­fí­cio no fi­nal do ano pas­sa­do e na fo­lha de pa­ga­men­to des­te mês. O fim do 14º e do 15º sa­lá­ri­os re­pre­sen­ta­rá uma eco­no­mia anu­al de R$ 27,41 mi­lhões pa­ra a Câ­ma­ra e de R$ 4,32 mi­lhões pa­ra o Se­na­do nos anos do man­da­to em que não hou­ver o pa­ga­men­to. O de­cre­to le­gis­la­ti­vo pre­ci­sa ain­da ser pro­mul­ga­do e pu­bli­ca­do no Diá­rio do Con­gres­so pa­ra en­trar em vi­gor.

De­pu­ta­do com o mai­or nú­me­ro de man­da­tos na Ca­sa, e qu­em mais re­ce­beu o be­ne­fí­cio, o pre­si­den­te Hen­ri­que Al­ves em­pe­nhou-se pa­ra ace­le­rar a apro­va­ção pres­si­o­nan­do os lí­de­res a as­si­nar um re­que­ri­men­to de ur­gên­cia pa­ra o pro­je­to. Na vi­são de­le, a apro­va­ção po­de aju­dar a apro­xi­mar o Con­gres­so da so­ci­e­da­de. “Es­sa Ca­sa po­de ter pe­ca­dos, po­de ter seus equí­vo­cos no vo­to sim ou não, mas a omissão é in­des­cul­pá­vel”, ar­gu­men­tou Al­ves, ao de­fen­der a vo­ta­ção ime­di­a­ta.

Com o con­sen­so im­pos­to, de­ze­nas de par­la­men­ta­res fi­ze­ram ques­tão de dis­cur­sar em ple­ná­rio apoi­an­do a me­di­da. “O fim do 14º e 15º sa­lá­ri­os é uma re­ve­rên­cia à so­ci­e­da­de que tra­ba­lha no País”, dis­se “Es­sa Ca­sa po­de ter pe­ca­dos, po­de ter seus equí­vo­cos no vo­to sim ou não, mas a omissão é in­des­cul­pá­vel” o lí­der do PPS, Ru­bens Bu­e­no (PR). “Não é com uma boa agên­cia de pu­bli­ci­da­de que va­mos mu­dar a ima­gem des­sa Ca­sa, é com pos­tu­ras co­mo es­sa”, afir­mou o lí­der do PSDB, Car­los Sam­paio (SP). “To­do mun­do pas­sou a vi­da to­da re­ce­ben­do o 14º e 15º, in­clu­si­ve eu, mas che­gou a ho­ra de aca­bar”, dis­se o de­pu­ta­do Síl­vio Cos­ta (PTB-PE).

O úni­co de­pu­ta­do a se ma­ni­fes­tar no mi­cro­fo­ne con­trá­rio ao fim do be­ne­fí­cio foi New­ton Car­do­so (PMDB-MG). “Es­tão vo­tan­do com me­do da im­pren­sa. É uma des­le­al­da­de com os de­pu­ta­dos que pre­ci­sam. Não fa­lo por mim, abri mão. Pa­go ca­ro pa­ra tra­ba­lhar aqui”.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.