Co­bran­ça de dí­vi­da aca­ba em se­ques­tro

Em­pre­sá­rio ame­a­ça­do ba­teu car­ro em fu­ga, foi se­ques­tra­do e pu­lou de veí­cu­lo em mo­vi­men­to para es­ca­par. Fi­lho diz que cri­me foi mo­ti­va­do por dí­vi­da de R$ 250 mil

O Diario do Norte do Parana - - CIDADES - Mu­ri­lo Gat­ti

mgat­ti@odi­a­rio.com A Po­lí­cia Ci­vil de Ma­rin­gá in­ves­ti­ga as ame­a­ças de mor­te, se­ques­tro e ten­ta­ti­va de ho­mi­cí­dio con­tra o em­pre­sá­rio Geraldo Jo­a­quim de Sou­za, 57 anos. Na ma­nhã de on­tem, ele foi pro­ta­go­nis­ta de um ro­tei­ro de ação dig­no das te­las de cinema. A con­fu­são te­ria si­do mo­ti­va­da pe­la co­bran­ça de uma dí­vi­da de R$ 250 mil.

Se­gun­do apu­ra­do até ago­ra pe­lo delegado Antônio Bran­dão Ne­to, Sou­za te­ve o Si­e­na pra­ta que di­ri­gia fe­cha­do por vol­ta das 7h30 por um Gol bran­co e um Co­rol­la pre­to, na Rua Bo­lí­var, Vi­la Mo­ran­guei­ra. Na ten­ta­ti­va de es­ca­par da “to­caia”, ele en­ga­tou mar­cha à ré e ace­le­rou. Com a ma­no­bra, aca­bou co­li­din­do em um Pa­lio chum­bo que es­ta­va es­ta­ci­o­na­do.

Ve­ra Ma­ria Go­dói es­ta­va den- tro do veí­cu­lo e com o cho­que ba­teu com a ca­be­ça no para-bri­sas. A mu­lher foi le­va­da para o Hos­pi­tal Uni­ver­si­tá­rio de Ma­rin­gá. “Ela fi­cou com a tes­ta to­da in­cha­da”, dis­se as­sus­ta­da a fi­lha de Ve­ra, Fran­ci­e­le Go­dói.

Os fe­ri­men­tos de Ve­ra fo­ram ig­no­ra­dos pe­los sus­pei­tos. Após a co­li­são, um de­les ati­tou para o al­to, en­quan­to ou­tro usou uma bar­ra de fer­ro para que­brar o vi­dro do car­ro de Sou­za. O em­pre­sá­rio foi obri­ga­do a sair do veí­cu­lo e en­trar dentro do Gol. No ca­mi­nho, ele te­ria le­va­do vá­ri­os so­cos e co­ro­nha­das.

“Ba­te­ram bas­tan­te du­ran­te o tra­je­to. Meu pai con­tou que eles “Em vez de re­sol­ver com ad­vo­ga­do, ele ame­a­çou meu pai de mor­te” o ame­a­ça­ram de mor­te, que o le­va­ri­am até uma ma­ta atrás do Re­quião, o ma­ta­ri­am e jo­ga­ri­am no rio”, con­ta Fer­nan­do Pires de Sou­za, fi­lho de Sou­za.

Em pâ­ni­co, o em­pre­sá­rio con­se­guiu abrir a por­ta e sal­tar do car­ro em mo­vi­men­to na Ave­ni­da Tuiu­ti, pró­xi­mo ao cru­za­men­to com o Con­tor­no Nor­te. Quan­do caiu, po­pu­la­res ou­vi­ram os gri­tos e fo­ram so­cor­rer Sou­za. Ao mes­mo tem­po, um dos sus­pei­tos ain­da te­ria efe­tu­a­do ao me­nos um dis­pa­ro de ar­ma de fo­go, des­ta vez na di­re­ção do em­pre­sá­rio.

Com a per­na qu­e­bra­da e vá­ri­as es­co­ri­a­ções, Sou­za foi en­ca- mi­nha­do para o Hos­pi­tal Me­tro­po­li­ta­no, em Sarandi, on­de per­ma­ne­cia in­ter­na­do até o fi­nal da tar­de de on­tem. Quan­do re­ce­ber al­ta, ele de­ve­rá com­pa­re­cer à De­le­ga­cia de Ma­rin­gá para pres­tar de­poi­men­to.

Na se­ma­na pas­sa­da, Sou­za re­gis­trou um bo­le­tim de ocor­rên­cia con­tra Antônio Fran­cis­co Bar­ro­ca Ne­to, que te­ria fei­to ame­a­ças de mor­te con­tra o em­pre­sá­rio. Prin­ci­pal sus­pei­to do se­ques­tro e da ten­ta­ti­va de ho­mi­cí­dio, Ne­to não foi lo­ca­li­za­do pe­los po­li­ci­ais ci­vis e mi­li­ta­res on­tem. A in­for­ma­ção ob­ti­da pe­los in­ves­ti­ga­do­res com a fa­mí­lia é que ele vai se apre­sen­tar à po­lí­cia.

A bri­ga en­tre Ne­to e Sou­za se de­ve a uma par­ce­ria co­mer­ci­al mal fei­ta e uma dí­vi­da pro­tes­ta­da de R$ 250 mil. O fi­lho de Sou­za con­ta que Ne­to en­tra­ria co­mo in­ves­ti­dor no ne­gó­cio da fa­mí­lia, que im­por­ta­va e ex­por­ta­va iso­la­do­res elé­tri­cos de al­ta ten­são.

A par­ce­ria co­me­çou há 1 ano e nau­fra­gou re­cen­te­men­te, quan­do Ne­to te­ria re­mo­vi­do da empresa uma mer­ca­do­ria que não fa­zia par­te do ne­gó­cio. “Ele (Ne­to) re­mo­veu a mer­ca­do­ria para ou­tro lo­cal. Aí emi­ti­mos a no­ta. Co­mo não foi pa­ga, foi para o pro­tes­to. Em vez de re­sol­ver com ad­vo­ga­do, ele ame­a­çou meu pai de mor­te”, con­tou o fi­lho.

João Pau­lo Santos

Car­ro do em­pre­sá­rio Geraldo Sou­za ba­ti­do na Rua Bo­lí­var, Vi­la Mo­ran­guei­ra: po­lí­cia in­ves­ti­ga ca­so

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.