Ma­rin­gá li­de­ra em pro­por­ção de veí­cu­los

A mé­dia é de 1,37 ha­bi­tan­te por veí­cu­lo, ou 7,2 au­to­mo­to­res para ca­da grupo de dez mo­ra­do­res; é a con­cen­tra­ção mais ele­va­da en­tre as mai­o­res ci­da­des do Es­ta­do

O Diario do Norte do Parana - - CIDADES - Fá­bio Cas­tal­del­li

fa­bi­o­au­gus­to@odi­a­rio.com Com 1,37 ha­bi­tan­tes por veí­cu­lo, Ma­rin­gá é o mu­ni­cí­pio que tem a mai­or quan­ti­da­de de veí­cu­los em re­la­ção ao nú­me­ro mo­ra­do­res en­tre as prin­ci­pais ci­da­des do Pa­ra­ná. É a pri­mei­ra vez que a Ma­rin­gá ul­tra­pas­sa Curitiba nes­ta es­ta­tís­ti­ca. Em dez anos, a fro­ta mais que do­brou, en­quan­to que a po­pu­la­ção cres­ceu cer­ca de 27% – tam­bém o mai­or per­cen­tu­al en­tre as mé­di­as e gran­des ci­da­des do Es­ta­do em dez anos.

Mar­cos Evangelista, 37 anos, é do­no de uma lo­ja que co­mer­ci­a­li­za car­tu­chos para im­pres­so- ras na Rua Santos Du­mont em Ma­rin­gá há dez anos e acom­pa­nhou os pro­ble­mas cau­sa­dos pe­lo in­cha­ço da fro­ta. “É co­mum os cli­en­tes re­cla­ma­rem da fal­ta de va­gas para es­ta­ci­o­nar. Al­guns até di­zem que pre­fe­rem fa­zer os pe­di­dos por te­le­fo­ne para evi­tar trans­tor­nos”.

A au­sên­cia de lo­cais para es­ta­ci­o­nar tam­bém é uma quei­xa da pro­fes­so­ra Ro­si­lai­ne Car­re­nho, 46. “Já fi­quei mais de 20 mi­nu­tos ro­dan­do com o car­ro no Cen­tro e, por fim, de­sis­ti e fui em­bo­ra. Fal­tam va­gas até mes­mo em es­ta­ci­o­na­men­tos pa­gos”, re­la­ta.

Já para Márcio da Sil­va, que é ta­xis­ta des­de 2001, o prin­ci­pal pro­ble­ma são os con­ges­ti­o­na­men­tos nos ho­rá­ri­os de pi­co. “Um tra­je­to de apro­xi­ma­da­men­te 3 quilô­me­tros en­tre a UEM e a Vi­la Ope­rá­ria, por exem­plo, que era para le­var 10 mi­nu­tos de­mo- ra até 40”.

O pro­fes­sor do cur­so de Ar­qui­te­tu­ra e Ur­ba­nis­mo da Unicesumar, Cás­sio de Me­ne­zes Ju­ni­or, ana­li­sa que Ma­rin­gá, ape­sar de ter si­do pla­ne­ja­da, não foi pen­sa­da para re­ce­ber um gran­de trá­fe­go. “Nin­guém es­pe­ra­va que ad­qui­rir um au­to­mó­vel fos­se fi­car tão fá­cil” Ele ain­da cri­ti­ca a cons­tru­ção do Con­tor­no Nor­te. “A obra, que era para con­tor­nar a ci­da­de, se­rá inau­gu­ra­da em uma área que não é mais pe­ri­fé­ri­ca”. A so­lu­ção a cur­to e mé­dio pra­zo, diz , é que o po­der público in­vis­ta mais em ações para um trans­por­te co­le­ti­vo de qua­li­da­de e a pre­ços aces­sí­veis. Para bus­car so­lu­ções te­mos que pen­sar na Re­gião Me­tro­po­li­ta­na de uma for­ma ge­ral. Para isso, es­ta­mos es­tu­dan­do trans­po­si­ções com Sarandi e Pai­çan­du, bus­can­do me­lho­rar a in­te­gra­ção me­tro­po­li­ta­na. As­sim, da­re­mos um gran­de pas­so para me­lho­rar a mo­bi­li­da­de do sen­ti­do les­te­o­es­te de Ma­rin­gá. Já im­plan­ta­mos cor­re­do­res de ôni­bus e te­mos pro­pos­tas para im­plan­tar cor­re­do­res me­tro­po­li­ta­nos des­te ti­po. Ou­tra in­ten­ção é le­var sis­te­mas bi­ná­ri­os para os bair­ros, per­mi­tin­do o aces­so ao ter­mi­nal In­ter­mo­dal que está sen­do pla­ne­ja­do para o Cen­tro.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.