Ri­gor no com­ba­te à fer­ru­gem

Va­zio sa­ni­tá­rio da so­ja é o meio mais efi­caz na pre­ven­ção à ocor­rên­cia da fer­ru­gem asiá­ti­ca; pe­río­do de de­fe­so ter­mi­na no dia 15 des­te mês e plan­tio da sa­fra co­me­ça em ou­tu­bro

O Diario do Norte do Parana - - AGRONEGÓCIO - Da Redação

re­da­cao@odi­a­rio.com A Agên­cia de De­fe­sa Agro­pe­cuá­ria do Pa­ra­ná (Ada­par) man­tém a fis­ca­li­za­ção de pro­pri­e­da­des e lo­cais de cul­ti­vo de so­ja no ter­ri­tó­rio pa­ra­na­en­se, que de­vem es­tar li­vres de plan­tas vi­vas até o dia 15 de setembro, quan­do se en­cer­ra o pe­río­do do va­zio sa­ni­tá­rio da so­ja no Es­ta­do. Até lá, os pro­du­to­res de­vem se man­ter aten­tos. Nas si­tu­a­ções de plan­ti­os vo­lun­tá­ri­os ou re­ser­vas de so­ja re­sis­ten­tes e es­que­ci­dos, ain­da é tem­po de eli­mi­ná-los para não so­frer as pe­na­li­da­des da fis­ca­li­za­ção. O aler­ta é da en­ge­nhei­ra agrô­no­ma da Ada­par Ma­ria Ce­les­te Marcondes.

O va­zio sa­ni­tá­rio da so­ja com­pre­en­de um pe­río­do de três me­ses, ini­ci­a­do em 15 de ju­nho, on­de não po­de ha­ver plan­tas vi­vas de so­ja em ne­nhu­ma lo­ca­li­da­de do Es­ta­do, com ex­ce­ção das en­ti­da­des de pes­qui­sa. A me­di­da vem sen­do ado­ta­da no Pa­ra­ná des­de 2007, e tam­bém em 11 Es­ta­dos bra­si­lei­ros e no Pa­ra­guai, país vi­zi­nho ao nos­so Es­ta­do, para evi­tar a in­ci­dên­cia de fo­cos da fer­ru­gem asiá­ti­ca, do­en­ça pro­vo­ca­da por fun­gos que ata­cam as la­vou­ras de so­ja.

Em 2013, a equi­pe de fis­ca­li­za­ção da Ada­par já fez 76 au­tu­a­ções aos pro­du­to­res, cor­res­pon­den­te a uma área de 1.423,85 hec­ta­res on­de fo­ram en­con­tra­das plan­tas de so­ja que não fo­ram eli­mi­na­das. Para Ma­ria Ce­les­te Marcondes, os pro­du­to­res es­tão sen­sí­veis aos ape­los da ins­ti­tui­ção, que ori­en­ta eli­mi­nar to­das as plan- tas vi­vas de so­ja que es­te­jam em qual­quer lo­cal do Es­ta­do, em la­vou­ras, es­tra­das, car­re­a­do­res e até mes­mo em pá­ti­os de em­pre­sas. O va­zio sa­ni­tá­rio é a úni­ca me­di­da fi­tos­sa­ni­tá­ria ca­paz de mi­ni­mi­zar a in­ci­dên­cia da fer­ru­gem, já que a plan­ta vi­va po­de se tor­nar um hos­pe­dei­ro do fun­go que pro­vo­ca a fer­ru­gem asiá­ti­ca.

Efei­to po­si­ti­vo

A en­ge­nhei­ra ex­pli­ca que o ob­je­ti­vo do va­zio é eli­mi­nar o fun­go e as­sim re­tar­dar ao má­xi­mo a pre­sen­ça da do­en­ça nas la­vou­ras de so­ja no plan­tio da sa­fra re­gu­lar, que se­rá re­a­li­za­do a par­tir de ou­tu­bro em to­do o Es­ta­do. Os re­sul­ta­dos do va­zio sa­ni­tá­rio da úl­ti­ma sa­fra (2011/12) es­tão com­pro­va­dos no Pa­ra­ná, on­de a do­en­ça só foi se ma­ni­fes­tar no mês de de­zem­bro de 2012.

Se­gun­do o si­te do Con­sór­cio An­ti­fer­ru­gem, que acom­pa­nha a in­ci­dên­cia da fer­ru­gem asiá­ti­ca no Bra­sil, em ou­tros Es­ta­dos a do­en­ça se ma­ni­fes­tou bem an­tes, ou se­ja, lo­go após à emer­gên­cia das plan­tas. Ma­ria Ce­les­te Marcondes in­for­ma que re­tar­dar o apa­re­ci­men­to da do­en­ça é mui­to im­por­tan­te para o se­tor do agro­ne­gó­cio, pois evi­ta pre­juí­zos econô­mi­cos aos pro­du­to­res, com a di­mi­nui­ção do uso de fun­gi­ci­das, re­du­zin­do os cus­tos de pro­du­ção da cul­tu­ra.

Con­for­me o acom­pa­nha­men­to do Con­sór­cio An­ti­fer­ru­gem, no Pa­ra­ná fo­ram re­gis­tra­dos 112 ca­sos de fer­ru­gem que apa­re­ce­ram em la­vou­ras na sa­fra pas­sa­da. Para a sa­fra des­te ano (12/13), o re­sul­ta­do se­rá de­mons­tra­do pe­la pre­sen­ça ou não de plan­tas vi­vas na en­tres­sa­fra. “Não ha­ven­do o hos­pe­dei­ro (so­ja), o fun­go da fer­ru­gem asiá­ti­ca não so­bre­vi­ve­rá e as plan­tas da no­va sa­fra es­ta­rão sa­di­as”, in­for­mou a téc­ni­ca.

Ra­fa­el Sil­va

Pro­du­to­res po­dem ini­ci­ar pre­pa­ro da ter­ra para o plan­tio da sa­fra de ve­rão; va­zio sa­ni­tá­rio ter­mi­na dia 15

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.