Fis­ca­li­za­ção fla­gra 142 obras ir­re­gu­la­res

Cons­tru­ções fo­ram pa­ra­li­sa­das pe­los fis­cais da Pre­fei­tu­ra por apre­sen­ta­rem ir­re­gu­la­ri­da­des. Ini­ci­ar as obras sem al­va­rá é a cau­sa mais co­mum

O Diario do Norte do Parana - - CIDADES - Ru­bia Pi­men­ta

ru­bia@odi­a­rio.com A Pre­fei­tu­ra de Ma­rin­gá em­bar­gou nes­te ano 142 obras da cons­tru­ção ci­vil. Isso sig­ni­fi­ca que uma obra é pa­ra­li­sa­da na ci­da­de a ca­da 40 ho­ras. Para o ge­ren­te de Fis­ca­li­za­ções da Se­cre­ta­ria de Ges­tão, Adeil­son Re­na­to da Sil­va, o nú­me­ro as­sus­ta, mas é con­si­de­ra­do bai­xo. “Fa­ze­mos mui­tas fis­ca­li­za­ções por mês. Em mé­dia po­de­ría­mos di­zer que de ca­da 50 cons­tru­ções, uma é em­bar­ga­da no mu­ni­cí­pio”, afir­ma.

Mais da me­ta­de des­ses em­bar- gos (75 ca­sos) ocor­re­ram em fun­ção do res­pon­sá­vel ter ini­ci­a­do as obras sem al­va­rá. Cin­quen­ta se re­gu­la­ri­za­ram após a no­ti­fi­ca­ção. On­ze fo­ram mul­ta­dos por mo­ti­vos co­mo mo­di­fi­ca­ções de pro­je­tos ori­gi­nais, des­car­te ir­re­gu­lar de re­sí­du­os, en­tre ou­tros, e seis ain­da aguar­dam re­cur­so.

O al­va­rá, se­gun­do Sil­va, é es­sen­ci­al para ini­ci­ar a obra, pois as­se­gu­ra que os pro­ce­di­men­tos obe­de­cem a le­gis­la­ção. “Exis­tem nor­mas a se­rem ve­ri­fi­ca­das an­tes de ini­ci­ar uma cons­tru­ção, co­mo se o lo­cal pla­ne­ja­do pos­si­bi­li­ta o ti­po de cons­tru­ção de­se­ja­da, aná­li­se do pro­je­to para che­car o re­cuo mí­ni­mo ou áre­as per­meá­veis, en­tre ou­tros”.

Para agi­li­zar a emis­são do al­va­rá, in­cen­ti­van­do a le­ga­li­za­ção das cons­tru­ções, a Pre­fei­tu­ra cri­ou o pro­je­to “Agi­li­za Obras”, que emi­te o do­cu­men­to em até 15 dias. “Re­for­ça­mos nos­so se­tor de fis­ca­li­za­ção para dar mai­or agi­li­da­de a es­te tra­ba­lho”, diz o di­re­tor de Fis­ca­li­za­ções, Mar­co Antônio Aze­ve­do.

Ou­tra cau­sa co­mum de em­bar­gos são as re­for­ma em apar­ta­men­tos e ca­sas an­ti­gas. “To­da obra que mo­di­fi­ca o pro­je­to ori­gi­nal de­ve ter au­to­ri­za­ção da Pre­fei­tu­ra, além de ser acom­pa­nha­do por um en­ge­nhei­ro ci­vil.”, diz Aze­ve­do.

Para o ge­ren­te re­gi­o­nal do Con­se­lho Re­gi­o­nal de En­ge­nha­ria e Agro­no­mia do Pa­ra­ná (CREA-PR) em Ma­rin­gá, Hé­lio Xa­vi­er, o acom­pa­nha­men­to re­a­li­za­do em Ma­rin­gá é efi­ci­en­te. “São uti­li­za­das tec­no­lo­gi­as de ge­o­re­fe­ren­ci­a­men­to que re­gis­tram o iní­cio de no­vas obras em to­da a ci­da­de, per­mi­tin­do uma rá­pi­da fis­ca­li­za­ção”, ex­pli­ca. Xa­vi­er res­sal­ta, no en­tan­to, que em mui­tos mu­ni­cí­pi­os os em­bar­gos são uti­li­za­dos de for­ma po­lí­ti­ca. “As fis­ca­li­za­ções não são efi­ci­en­tes, se­ja por fal­ta de pro­fis­si­o­nais ha­bi­li­ta­dos ou por mo­ti­vos de apa­dri­nha­men­to. É ne­ces­sá­rio res­pon­sa­bi­li­da­de, pois o em­bar­go não é uma me­ra pu­ni­ção, mas uma ga­ran­tia de se­gu­ran­ça aos fu­tu­ros usuá­ri­os dos imó­veis”.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.