Su­per­câ­me­ras co­me­çam na ter­ça mo­ni­to­rar Ma­rin­gá

Ci­da­de ga­nha mais vi­gi­lân­cia com 25 equi­pa­men­tos de mo­ni­to­ra­men­to em pon­tos es­tra­té­gi­cos. Sis­te­ma de se­gu­ran­ça é re­for­ça­do por 48 câ­me­ras dos ra­da­res de ve­lo­ci­da­de

O Diario do Norte do Parana - - CIDADES - Mu­ri­lo Gat­ti

mgat­ti@odi­a­rio.com O sis­te­ma ele­trô­ni­co de mo­ni­to­ra­men­to das ru­as de Ma­rin­gá co­me­ça a fun­ci­o­nar ofi­ci­al­men­te na pró­xi­ma ter­ça-fei­ra, mas os pri­mei­ros re­gis­tros das su­per­câ­me­ras de se­gu­ran­ça são pre­vis­tos para a ma­nhã des­te sá­ba­do, no des­fi­le do Dia da In­de­pen­dên­cia. On­ze equi­pa­men­tos, na re­gião cen­tral de Ma­rin­gá, es­tão pron­tos para ope­rar e só não se­rão usa­dos se hou­ver al­gum pro­ble­ma na trans­mis­são das ima­gens pe­la fi­bra óp­ti­ca. O tes­te no even­to em que são es­pe­ra­das 15 mil pes­so­as foi so­li­ci­ta­do pe­la ad­mi­nis­tra­ção mu­ni­ci­pal.

As 25 pri­mei­ras su­per­câ­me­ras fo­ram ins­ta­la­das e res­tam ape­nas al­guns ajus­tes para que to­dos os ân­gu­los se­jam dis­po­ni­bi­li­za­dos aos três ope­ra­do­res da cen­tral de mo­ni­to­ra­men­to da Gu­ar­da Mu­ni­ci­pal. A pre­vi­são é que até sex­ta-fei­ra 13 de setembro, o pro­ces­so es­te­ja con­cluí­do. Com três mo­ni­to­res, ca­da ope­ra­dor vai ter aces­so - num mo­ni- tor de 40 po­le­ga­das - a até no­ve ima­gens de pon­tos dis­tin­tos da ci­da­de. Da cen­tral, tam­bém vai ser pos­sí­vel apro­xi­mar ima­gens, fa­zer fo­tos e mo­ni­to­rar si­tu­a­ções de cri­me. A cen­tral vai fun­ci­o­nar na no­va sede da Gu­ar­da Mu­ni­ci­pal, que pas­sa a fun­ci­o­nar na Ave­ni­da Cen­te­ná­rio.

O “Big Brother Ma­rin­gá” ain­da te­rá o re­for­ço das 48 câ­me­ras dos ra­da­res de ve­lo­ci­da­de, du­as em ca­da pon­to de fis­ca­li­za­ção de­ter­mi­na­do pe­la Se­cre­ta­ria de Trân­si­to e Se­gu­ran­ça (Se­trans). “Co­mo a Gu­ar­da Mu­ni­ci­pal pas­sou a ser de res­pon­sa­bi­li­da­de da se­cre­ta­ria, to­das as ima­gens das câ­me­ras dos ra­da­res po­de­rão ser usa­das em ações de se­gu­ran­ça pú­bli­ca”, afir­ma o se­cre­tá­rio de Trân­si­to e Se­gu­ran­ça, Ade­mar Schi­a­vo­ne. Após a con­clu­são do Con­tor­no Nor­te, mais oi­to câ­me­ras, em qu­a­tro pon­tos dis­tin­tos, vão ser ins­ta­la­das pe­la Se­trans na Ave­ni­da Co­lom­bo .

Para ja­nei­ro de 2014, ain­da é pre­vis­ta a ins­ta­la­ção de mais 20 câ­me­ras de mo­ni­to­ra­men­to num raio de 3 quilô­me­tros da Pra­ça Ra­po­so Ta­va­res, dentro das ações do Pro­gra­ma Crack é Pos­sí­vel Ven­cer. A vi­gi­lân­cia vai ser fei­ta de for­ma pa­ra­le­la, com o uso de uma uni­da­de mó­vel de mo­ni- Hoje, es­ta­mos vi­ven­do um mo­men­to de mui­ta in­se­gu­ran­ça, não ape­nas em Ma­rin­gá, mas em mui­tas ci­da­des, prin­ci­pal­men­te por cau­sa do trá­fi­co de dro­gas nas áre­as cen­trais. Es­sas câ­me­ras vão ao en­con­tro do que que­re­mos, que é ga­ran­tir uma mai­or vi­gi­lân­cia. Além de mo­ni­to­rar, as câ­me­ras ga­ran­tem mais tran­qui­li­da­de para as pes­so­as que an­dam na ci­da­de. Com as câ­me­ras vo­cê po­de iden­ti­fi­car, po­de coi­bir. Em to­dos os lu­ga­res que nós es­ti­ve­mos pes­qui­san­do a im­plan­ta­ção des­se sis­te­ma, os ín­di­ces de cri­mi­na­li­da­de e de trá­fi­co caí­ram ra­zo­a­vel­men­te. O pro­je­to é de su­ma im­por­tân­cia para dar mais se­gu­ran­ça e tran­qui­li­da­de ao ma­rin­ga­en­se. Va­mos che­gar a 80 câ­me­ras e, pos­si­vel­men­te, es­se pro­je­to não para. A in­ten­ção é con­ti­nu­ar com a ins­ta­la­ção de mais câ­me­ras em ou­tras áre­as, nos bair­ros, no es­tá­dio. Te­mos que am­pli­ar para dar mais se­gu­ran­ça. Que­ro dei­xar Ma­rin­gá uma ci­da­de tran­qui­la e se­gu­ra. O mo­ni­to­ra­men­to é a fer­ra­men­ta ade­qua­da para dar­mos mais tran­qui­li­da­de ao ma­rin­ga­en­se. to­ra­men­to e a par­ti­ci­pa­ção de 40 agen­tes de se­gu­ran­ça que co­me­çam nes­ta se­gun­da a au­las da ter­cei­ra se­ma­na de trei­na­men­to.

Se­gu­ran­ça

O delegado-che­fe da 9ª Sub­di­vi­são Po­li­ci­al de Ma­rin­gá, Sér­gio Luiz Bar­ro­so, ava­lia que o mo­ni­to­ra­men­to é de gran­de im­por­tân­cia. “Vai ser pos­sí­vel, em tem­po re­al, aci­o­nar a Po­lí­cia Mi­li­tar, a pró­pria Gu­ar­da Mu­ni­ci­pal ou a Po­lí­cia Ci­vil para efe­tu­ar pri­sões em fla­gran­te pe­la prá­ti­ca de fur­tos, trá­fi­co de dro­gas e rou­bos. E, se não hou­ver re­sul­ta­do efe­ti­vo ime­di­a­to, as ima­gens po­de­rão ser usa­das, pos­te­ri­or­men­te para ma­te­ri­a­li­zar a pro­va na ins­tau­ra­ção do inqué­ri­to”, ava­lia.

O te­nen­te do 4º Ba­ta­lhão da Po- lícia Mi­li­tar, Cláudio Rocha, tam­bém ava­lia que es­te tra­ba­lho co­or­de­na­do pe­la Gu­ar­da Mu­ni­ci­pal vai au­xi­li­ar na pre­ven­ção e na so­lu­ção de cri­mes, pois vai ser pos­sí­vel iden­ti­fi­car pes­so­as e veí­cu­los. “A Po­lí­cia Mi­li­tar po­de­rá ser aci­o­na­da e agir em ca­sos de fla­gran­te. E é im­por­tan­te des­ta­car o ca­rá­ter pre­ven­ti­vo, por­que os mar­gi­nais, to­man­do co­nhe­ci­men­to de que al­gu­mas áre­as vão ser vi­gi­a­das, cer­ta­men­te vão ter a ação ini­bi­da”, con­si­de­ra.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.