Alu­nos e vi­gi­as da UEM vol­tam a se de­sen­ten­der

Con­fu­são co­me­çou após a au­la em fren­te ao Di­re­tó­rio Cen­tral dos Es­tu­dan­tes. Alu­nos di­zem que fo­ram agre­di­dos por vi­gi­as e co­bram pro­vi­dên­ci­as da Uni­ver­si­da­de

O Diario do Norte do Parana - - CIDADES - Le­o­nar­do Fi­lho

le­o­nar­do­fi­lho@odi­a­rio.com Um de­sen­ten­di­men­to en­tre aca­dê­mi­cos e vi­gi­lan­tes que tra­ba­lham no cam­pus da Uni­ver­si­da­de Es­ta­du­al de Ma­rin­gá (UEM) ter­mi­nou em agres­sões e tro­ca de acu­sa­ções na noi­te des­ta quin­ta-fei­ra. A con­fu­são co­me­çou por vol­ta das 23 ho­ras, de­pois da au­la, e se es­ten­di­do até a ma­dru­ga­da des­ta sex­ta-fei­ra. Ví­de­os com o ba­te-bo­ca e vá­ri­os protestos por par­te dos alu­nos mo­vi­men­ta­ram as re­des so­ci­ais.

Tra­di­ci­o­nal­men­te, às quin­tas­fei­ras, alu­nos pro­mo­vem dentro do cam­pus o Sa­rau - uma festa en­tre os es­tu­dan­tes. Di­an­te de de­nún­ci­as de que nes­se ti­po de even­to ha­ve­ria con­su­mo de dro­gas e ál­co­ol, vi­gi­lan­tes fo­ram des­ta­ca­dos para coi­bir qual­quer mo­vi­men­ta­ção do gê­ne­ro.

Os aca­dê­mi­cos ale­gam que os fun­ci­o­ná­ri­os da UEM fo­ram tru­cu­len­tos. “A gen­te es­ta­va em uma reu­nião de ro­ti­na, em fren­te ao di­re­tó­rio, quan­do os vi­gi­lan­tes che­ga­ram. Não iría­mos pro­mo­ver o sa­rau. Pou­co tem­po de­pois, os se­gu­ran­ças fi­ze­ram um cor- dão e co­me­ça­ram a nos em­pur­rar. Agre­di­ram pe­lo me­nos se­te alu­nos. Três de­les ti­ve­ram vá­ri­os fe­ri­men­tos”, co­men­tou Fran­ci­e­li Martins Ba­tis­ta, co­or­de­na­do­ra do Di­re­tó­rio Cen­tral dos Es­tu­dan­tes (DCE).

Uma es­tu­dan­te, te­ve um gran­de cor­te na tes­ta, se­gun­do ela, pro­vo­ca­da por uma pe­dra ar­re­mes­sa­da por um vi­gia, du­ran­te a dis­cus­são, e ou­tro jo­vem te­ve o na­riz fra­tu­ra­do, se­gun­do o DCE, por cau­sa de agres­sões co­me­ti­das pe­los agen­tes. “As pe­dras vi­e­ram de dentro para fo­ra da UEM”, acu­sou a es­tu­dan­te.

Por cau­sa dos âni­mos exal­ta­dos no lo­cal, a Po­lí­cia Mi­li­tar (PM) foi aci­o­na­da. “Quan­do pra­ti­ca­men­te to­das as pes­so­as ti­nham saí­do, fo­ram ar­re­mes­sa­das pe­dras con­tra os vi­gi­lan­tes, vin­das de fo­ra para dentro. Os po­li­ci­ais fla­gra­ram, in­clu­si­ve, al­gu­mas des­sas pes­so­as com pe­dras “Os se­gu­ran­ças fi­ze­ram um cor­dão e co­me­ça­ram a nos em­pur­rar. Eles agre­di­ram pe­lo me­nos se­te alu­nos” nas mãos. A PM, en­tão, foi aci­o­na­da e, ra­pi­da­men­te, re­sol­veu a si­tu­a­ção, e o grupo foi dis­per­sa­do”, dis­se o ofi­ci­al de co­mu­ni­ca­ção do 4º Ba­ta­lhão da PM de Ma­rin­gá, te­nen­te Cláudio Rocha.

A UEM ne­ga qual­quer ti­po de ação vi­o­len­ta e afir­mou em no­ta en­vi­a­da on­tem à tar­de que os vi­gi­as “per­ce­be­ram o iní­cio de um even­to não au­to­ri­za­do” e, por isso, “con­ver­sa­ram pa­ci­fi­ca­men­te com os es­tu­dan­tes, ten­tan­do fa­zer com que eles não re­a­li­zas­sem o que vem sen­do de­no­mi­na­do de Sa­rau”. Ain­da se­gun­do a no­ta, a Uni­ver­si­da­de “está ins­tau­ran­do uma sin­di­cân­cia para apu­rar os acon­te­ci­men­tos, reu­nin­do to­do o ma­te­ri­al ne­ces­sá­rio à aná­li­se dos fa­tos, co­mo ví­de­os e fo­tos, vis­to que a Ad­mi­nis­tra­ção Cen­tral, re­pu­dia, ve­e­men­te­men­te, qual­quer ato de vi­o­lên­cia”.

No iní­cio da noi­te, re­pre­sen­tan­tes do DCE e al­guns uni­ver­si­tá­ri­os fe­ri­dos se reu­ni­ram na rei­to­ria com re­pre­sen­tan­tes da UEM para que as agres­sões fos­sem apu­ra­das.

Ra­fa­el Sil­va

Aca­dê­mi­cos con­ver­sam em fren­te ao lo­cal do iní­cio do con­fron­to com os vi­gi­lan­tes, que atu­am no cam­pus

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.