Aces­si­bi­li­da­de é te­ma de de­ba­te

O Diario do Norte do Parana - - CIDADES - Van­da Mu­nhoz

van­da@odi­a­rio.com Ao an­dar pe­las cal­ça­das do cen­tro de Ma­rin­gá, on­tem, o pre­si­den­te do Con­se­lho Mu­ni­ci­pal dos Di­rei­tos das Pes­so­as com De­fi­ci­ên­cia (CMDPD), Ricardo Ale­xan­dre Vi­ei­ra, deu no­ta 7 à ci­da­de – em uma es­ca­la até 10 – no que se re­fe­re às ques­tões de aces­si­bi­li­da­de e mo­bi­li­da­de. Ele diz que fal­tam ram­pas, cal­ça­das tá­teis, en­tre ou­tros, para fa­ci­li­tar o des­lo­ca­men­to de pes­so­as ce­gas, ca­dei­ran­tes, sur­dos e que te­nham ou­tras de­fi­ci­ên­ci­as. Ou­tros pro­ble­mas ci­ta­do por ele são os obs­tá­cu­los nas cal­ça­das.

Es­sa si­tu­a­ção foi uma das te­má­ti­cas de­ba­ti­das on­tem, du­ran­te a apre­sen­ta­ção do Pla­no Na­ci­o­nal dos Di­rei­tos da Pes­soa com De­fi­ci­ên­cia – Vi­ver sem Li­mi­tes, do go­ver­no fe­de­ral, no Au­di­tó­rio Hé­lio Mo­rei­ra, na pre­fei­tu­ra de Ma­rin­gá. O en­con­tro, co­or­de­na­do pe­lo CMDPD e pe­la Se­cre­ta­ria Mu­ni­ci­pal de As­sis­tên­cia So­ci­al e Ci­da­da­nia (Sasc), con­tou com a par­ti­ci­pa­ção de Iza­bel Cris­ti­na Diniz, apoi­a­do­ra do Pla­no Vi­ver Sem Li­mi­tes no Pa­ra­ná.

Em Ma­rin­gá, as re­cla­ma­ções são mui­tas. Se­gun­do Vi­ei­ra, uma rei­vin­di­ca­ção an­ti­ga do Con­se­lho é para ins­ta­lar pi­sos tá­teis na no­va ro­do­viá­ria de Ma­rin­gá. “Pe­di­mos des­de 2010 e até hoje na­da foi fei­to. Os ce­gos têm gran­des di­fi­cul­da­des quan­do pre­ci­sam vi­a­jar”. Na ava­li­a­ção de­le, o Pla­no Na­ci­o­nal é mui­to bom, des­de que se­ja ado­ta­do e exe­cu­ta­do pe­los mu­ni­cí­pi­os bra­si­lei­ros.

O ob­je­ti­vo do Vi­ver Sem Li­mi- tes é fa­zer com que o go­ver­no fe­de­ral, Es­ta­dos e mu­ni­cí­pi­os efe­ti­vem a Con­ven­ção so­bre os Di­rei­tos das Pes­so­as com De­fi­ci­ên­cia, da Or­ga­ni­za­ção das Na­ções Uni­das (ONU). O Pla­no, que tem equi­va­lên­cia de emen­da cons­ti­tu­ci­o­nal, apoia-se em qu­a­tro ei­xos prin­ci­pais: aces­so à edu­ca­ção; pro­mo­ção da in­clu­são so­ci­al; aces­si­bi­li­da­de; e aten­ção à saú­de. “É no chão dos mu­ni­cí­pi­os que a ação acon­te­ce. Os mu­ni­cí­pi­os es­tão mais pró­xi­mos do co­ti­di­a­no e das ne­ces­si­da­des das pes­so­as com de­fi­ci­ên­cia”, dis­se Isa­bel. Aos que par­ti­ci­pa­ram da reu­nião on­tem – ges­to­res, equi­pes téc­ni­cas, se­cre­tá­ri­os dos mu­ni­cí­pi­os da re­gião de Ma­rin­gá, en­tre ou­tros -, Iza­bel dis­se que é pre­ci­so mos­trar – e vi­a­bi­li­zar - os di­rei­tos das pes­so­as com de­fi­ci­ên­cia. “Não adi­an­ta, por exem­plo, ter ofer­ta de cur­sos de ca­pa­ci­ta­ção pro­fis­si­o­nal, se o mu­ni­cí­pio não ofe­re­ce trans­por­te adap­ta­do”, ob­ser­vou.

Ra­fa­el Sil­va

Ricardo Vi­ei­ra, pre­si­den­te do CMDPD: fal­ta aten­ção à mo­bi­li­da­de

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.