Em­pa­te, ar­ras­ta de­ci­são pa­ra a pró­xi­ma se­ma­na

Vo­to do mi­nis­tro Cel­so de Mel­lo, de­ca­no do Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral, vai de­ci­dir se con­de­na­dos na ação do men­sa­lão te­rão di­rei­to a no­vo jul­ga­men­to

O Diario do Norte do Parana - - GERAL - Eri­ch De­cat e Ri­car­do Bri­to

O mi­nis­tro do Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral (STF) Mar­co Au­ré­lio Mel­lo con­fir­mou, on­tem, po­si­ção con­trá­ria ao uso dos em­bar­gos in­frin­gen­tes e con­se­quen­te­men­te con­tra a um no­vo jul­ga­men­to do pro­ces­so do men­sa­lão. Com o vo­to de­le, a dis­cus­são fi­cou em­pa­ta­da em cin­co vo­tos a fa­vor e cin­co con­tra um no­vo jul­ga­men­to. A ses­são foi en­cer­ra­da e uma no­va es­tá pre­vis­ta ape­nas pa­ra a pró­xi­ma quar­ta-fei­ra. Pa­ra que a te­se de um no­vo jul­ga­men­to pre­va­le­ça é pre­ci­so, no mí­ni­mo, o apoio de seis dos 11 mi­nis­tros que in­te­gram a Cor­te. O vo­to de mi­ner­va se­rá o do mi­nis­tro Cel­so de Mel­lo, de­ca­no do STF.

A po­lê­mi­ca en­tre os mi­nis­tros es­tá no fa­to de que se por um la­do a lei 8.038, de 1990, que re­gu­la al- guns as­pec­tos do STF, te­ria re­vo­ga­do o uso dos em­bar­gos in­frin­gen­tes, por ou­tro, ele es­tá pre­vis­to no re­gi­men­to in­ter­no da Cor­te. A dú­vi­da sus­ci­ta­da por al­guns mi­nis­tro é qual re­gra de­ve­rá pre­va­le­cer. “As nor­mas do re­gi­men­to in­ter­no, que são nor­mas pro­ces­su­ais, fi­ca­ram con­ge­la­das quan­to à pos­si­bi­li­da­de de o Su­pre­mo mo­di­fi­cá-las. Fo­ram re­cep­ci­o­na­das co­mo nor­mas re­la­ti­vas à le­gis­la­ção or­di­ná­ria”, res­sal­tou.

Pa­ra o mi­nis­tro, “só o Con­gres­so Na­ci­o­nal po­de mo­di­fi­car o re­gi­men­to do Su­pre­mo no que ver­sa nor­mas pro­ces­su­ais”. Du- “Ou­vi to­dos os la­dos, li os me­mo­ri­ais re­di­gi­dos por ad­vo­ga­dos. Te­nho mi­nha con­vic­ção for­ma­da e vou expô-la na quar­ta-fei­ra” ran­te a ex­pla­na­ção de Mar­co Au­ré­lio, o mi­nis­tro Gil­mar Men­des vol­tou a se ma­ni­fes­tar con­tra os em­bar­gos in­frin­gen­tes. “É um amon­to­a­do de con­tra­di­ções que se avo­lu­ma ca­da vez que se pen­sa nes­sa ques­tão de acei­ta­ção dos em­bar­gos in­frin­gen­tes”, dis­se.

Um ba­te-bo­ca se ini­ci­ou quan­do o mi­nis­tro Ro­ber­to Bar­ro­so dis­se que era um juiz cons­ti­tu­ci­o­nal e que, pa­ra ele, não faz di­fe­ren­ça qual se­rá a man­che­te dos jor­nais do dia se­guin­te. Mar­co Au­ré­lio re­ba­teu com iro­nia. “Ja­mais ima­gi­nei que in­te­gran­te des­se tri­bu­nal pu­des­se vo­tar se­gun­do a lei­tu­ra dos veí­cu­los de co­mu­ni­ca­ção em cir­cu­la­ção da da­ta da ses­são”, des­ta­cou.

Com a pa­la­vra, Bar­ro­so dis­se que veio pa­ra so­mar e que o fa­to de di­ver­gir não sig­ni­fi­ca­va uma crí­ti­ca. Em se­gui­da, Mar­co Au­ré­lio pros­se­guiu com a ex­pla­na­ção que du­rou mais de uma ho­ra. An­tes de ele de­cla­rar o vo­to, po­si­ci­o­na­ram-se a fa­vor dos em­bar­gos os mi­nis­tros Ro­ber­to Bar­ro­so, Te­o­ri Za­vasc­ki, Ro­sa We­ber, Di­as Tof­fo­li e Ri­car­do Lewan- dows­ki. Em con­tra­par­ti­da vo­ta­ram con­tra o pre­si­den­te do STF e re­la­tor da ação, Jo­a­quim Bar­bo­sa, os mi­nis­tros Luiz Fux e Gil­mar Men­des e Cár­men Lú­cia.

Os em­bar­gos têm o po­der de al­te­rar a de­ci­são to­ma­da pe­lo ple­ná­rio do STF no jul­ga­men­to do pro­ces­so do men­sa­lão re­a­li­za­do no ano pas­sa­do. Es­se ti­po de re- cur­so só po­de ser uti­li­za­do, en­tre­tan­to, pe­los réus que re­ce­be­ram ao me­nos qua­tro vo­tos pe­la sua ab­sol­vi­ção. Nes­te gru­po es­tão 12 dos 25 réus con­de­na­dos. En­tre eles o ex-mi­nis­tro da Ca­sa Ci­vil Jo­sé Dir­ceu e o ex-te­sou­rei­ro do PT De­lú­bio So­a­res, o de­pu­ta­do fe­de­ral João Pau­lo Cu­nha (PT-SP) e o pu­bli­ci­tá­rio Mar­cos Va­lé­rio.

Fo­to Fel­li­pe/STF

Vo­to de Mar­co Au­ré­lio dei­xou o pla­car em­pa­ta­do em cin­co a cin­co

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.