Chá­ca­ras re­sis­tem à ur­ba­ni­za­ção

Na con­tra­mão do de­sen­vol­vi­men­to ur­ba­no, pe­que­nas pro­pri­e­da­des re­sis­tem à pres­são ur­ba­na. Ro­de­a­das por lo­te­a­men­tos, são ver­da­dei­ros oá­sis, on­de a vi­da cor­re tran­qui­la

O Diario do Norte do Parana - - CIDADES - Van­da Mu­nhoz

van­da@odi­a­rio.com Acor­dar com o can­tar dos pás­sa­ros, cui­dar da hor­ta, do po­mar, das ga­li­nhas e ca­va­los. Tu­do isso é pos­sí­vel no pe­rí­me­tro ur­ba­no de Ma­rin­gá. São pe­que­nas áre­as que ain­da re­sis­tem ao avan­ço ur­ba­no de Ma­rin­gá. Em­bo­ra abra­ça­dos pe­la ci­da­de, es­ses oá­sis per­mi­tem a au­tên­ti­ca vi­da do cam­po a poucos mi­nu­tos do cen­tro da ci­da­de. Se­gun­do a pre­fei­tu­ra, mui­tas des­sas áre­as in­te­gram a zo­na de con­ten­ção, con­for­me o Pla­no Di­re­tor do mu­ni­cí­pio. A ten­dên­cia é que lo­go de­em lu­gar a no­vos lo­te­a­men­tos.

En­quan­to isso, mui­tos des­fru- tam a vi­da no cam­po em ple­na ci­da­de. É o ca­so da pro­du­to­ra ru­ral Ma­ri­na To­mo­ko Ka­mon­ze­ki, que re­si­de com a fa­mí­lia há 27 anos em uma chá­ca­ra ar­ren­da­da no Jar­dim No­vo Horizonte II, Zo­na Sul de Ma­rin­gá. A área, com 3,5 al­quei­res, fi­ca a cin­co mi­nu­tos da ca­te­dral e está ro­de­a­da de ter­re­nos ur­ba­ni­za­dos, mui­tos com pré­di­os de mais de vin­te an­da­res. Ape­sar dis­so, a hor­ta com vá­ri­as es­pé­ci­es vi­ce­ja sob o olhar cui­da­do­so de em­pre­ga­dos. Em um pai­ol, um ca­ná­rio da ter­ra se de­li­cia com ba­na­nas ma­du­ras para lo­go ga­nhar o céu. O ba­ru­lho de uma si­re­ne de am­bu­lân­cia que­bra o si­lên­cio. A cer­ca de 500 me­tros, uma rua as­fal­ta­da, com mo­vi­men­to in­ten­so, lem­bra que a ci­da­de está mui­to pró­xi­ma.

Mas nem sem­pre foi as­sim. “Aqui ha­via mui­tas chá­ca­ras e ao lon­ge ti­nha plan­ta­ção de al­go­dão, era área ru­ral. A ci­da­de che- ga­va só até o Par­que do In­gá”, lem­bra Ma­ri­na. Ela con­ta que, aos poucos, a ci­da­de foi che­gan­do per­to. Ela sa­be que, em um fu­tu­ro pró­xi­mo, a chá­ca­ra da­rá lu­gar a al­gum lo­te­a­men­to. “Um dia, e não vai mui­to tem­po, isso aca­ba”, la­men­ta.

Se­me­lhan­te à do­na Ma­ri­na, o la­vra­dor Ma­no­el Sou­za de Oli­vei­ra, 80, tam­bém se pre­o­cu­pa com a apro­xi­ma­ção da ci­da­de. Ele re­si­de, com os fi­lhos, em uma chá­ca­ra de um al­quei­re en­cra­va­da no Jar­dim Re­al. A área está cer­ca­da de lo­te­a­men­tos re­si­den­ci­ais. “Não que­re­mos sair. Cri­ei meus fi­lhos nes­te pe­da­ço de chão. Quan­do che­guei, há 25 anos, era só ma­to”, re­cor­da.

A chá­ca­ra de Oli­vei­ra fi­ca a dez mi­nu­tos do Cen­tro. “À noi­te, é mui­to si­len­ci­o­so, não escuto o ba­ru­lho da ci­da­de, é mui­to sos­se­ga­do”, diz ele, in­for­man­do que o si­lên­cio só é que­bra­do quan­do um dos três cães la­te.

Pró­xi­mo da­li, no Jar­dim Pa­ris, Jú­lio Cé­sar Me­dei­ros, 46, de­di­ca­se a cui­dar de ca­va­los no es­pa­ço de um al­quei­re, ro­de­a­do por ár­vo­res, com es­tá­bu­lo e pai­ol. En­quan­to con­ver­sa com a re­por­ta­gem, cin­co ca­va­los se apro­xi­mam, cu­ri­o­sos. “Eles são para ca­val­ga­das”, co­men­ta. Me­dei­ros cui­da de ca­va­los há cer­ca de 17 anos no mes­mo lo­cal. “Tem gen­te que tem ca­va­lo, mas não tem on­de guar­dar, en­tão eles trazem para cá e eu cui­do, ali­men­to. No fim de se­ma­na, os pro­pri­e­tá­ri­os vêm para ca­val­gar, trazem os fi­lhos. É um la­zer”, res­sal­ta.

Área de con­ten­ção

O se­cre­tá­rio mu­ni­ci­pal de Pla­ne­ja­men­to, Laér­cio Bar­bão, ex­pli­ca que es­sas áre­as es­tão de­fi­ni­das no Pla­no Di­re­tor do mu­ni­cí­pio co­mo áre­as de con­ten­ção, são in­ter­me­diá­ri­as en­tre a área ur­ba­na e a ru­ral. Não há um pa­drão que de­ter­mi­ne o ta­ma­nho do ter­re­no. “Es­sas áre­as são ob­je­tos de vi­a­bi­li­da­de de lo­te­a­men­to”, acres­cen­ta, res­sal­tan­do que, ain­da nes­te ano, pos­si­vel­men­te, até o mês que vem, a ad­mi­nis­tra- ção mu­ni­ci­pal fa­ça uma re­vi­são do Pla­no Di­re­tor, para re­de­fi­nir a zo­na de con­ten­ção. Con­for­me a ci­da­de avan­ça, os lo­tes que es­tão nes­sa área so­frem pres­são ur­ba­na e aca­bam se trans­for­man­do em no­vos lo­te­a­men­tos.

Ra­fa­el Sil­va

Ma­ri­na, há 27 anos, pro­duz hor­ta­li­ças no Jar­dim No­vo Horizonte II

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.