Nos li­mi­tes da li­te­ra­tu­ra

O Diario do Norte do Parana - - O DIÁRIO DO NORTE DO PARANÁ - Ra­quel Co­zer

Uma nar­ra­ti­va com tre­chos li­te­rais de pa­pi­ros egíp­ci­os con­vi­ve com ou­tra fei­ta a par­tir de um diá­lo­go vir­tu­al, no es­ti­lo “n sei kem vo­se eh’ “yeh, i dont know you too”. Um con­to de três pá­gi­nas abre o vo­lu­me, que ter­mi­na com ou­tro de qua­se 40 de­las.

No no­vo li­vro de Be­a­triz Bra­cher, “Ga­rim­po”, a uni­da­de está na ha­bi­li­da­de de ex­plo­rar li­mi­tes da li­te­ra­tu­ra.

Es­cri­tos de 2009 a 2012, os no­ve contos mos­tram uma es­cri­to­ra dis­pos­ta a ar­ris­car, se­ja nu­ma tra­ma de amor a qu­a­tro mãos (es­cri­ta com No­e­mi Jaf­fe, ca­da uma res­pon­den­do por um la­do do ca­sal), se­ja si­mu­lan­do ras­cu­nhos, co­mo no con­to que dá no­me ao li­vro. Boa par­te de­les foi fei­ta sob en­co­men­da de jor­nais e re­vis­tas co­mo Fo­lha, “Ser­ro­te” e “Gran­ta”. “Acei­to a en­co­men­da se ti­ver a ver co­mi­go e com o que pen­so so­bre li­te­ra­tu­ra. Quan­do fun­ci­o­na, são de­sa­fi­os bons. Te­nho de pen­sar no as­sun­to, na for­ma de abor­dá-lo, na es­tra­té­gia nar­ra­ti­va”, diz a pau­lis­ta­na, 52.

“Mi­chel e Flo­ra”, o con­to na for­ma de diá­lo­go vir­tu­al, é um exem­plo. Foi pe­di­do pe­la re­vis- ta “Cult”, em 2011 --uma his­tó­ria so­bre jo­vens que se pas­sas­se da­qui a 50 anos.

“Pen­sei não só no mun­do fí­si­co, mas em as­pec­tos que se­ri­am atem­po­rais, usan­do para isso uma lin­gua­gem ra­di­cal­men­te di­fe­ren­te da que te­mos hoje em li­te­ra­tu­ra.”.

Ou­tros contos, co­mo “Ga­rim­po”, es­ta­vam iniciados quan­do fo­ram ao en­con­tro de en­co­men­das - no ca­so, da “Gran­ta”, que pe­diu um tex­to so­bre si­tu­a­ções ex­tre­mas. Em pre­fá­cio fic­ci­o­nal, ex­pli­ca-se que era um diá­rio de vi­a­gem de uma es­cri­to­ra mor­ta num aci­den­te de avião.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.