NO PAÍS

O Diario do Norte do Parana - - ZOOM -

Tra­mi­ta na Co­mis­são de Cons­ti­tui­ção e Jus­ti­ça (CCJ) do Se­na­do, a Pro­pos­ta de Emen­da à Cons­ti­tui­ção (PEC) 43/2013, que aca­ba com o vo­to se­cre­to no âm­bi­to do Par­la­men­to. A PEC ain­da não é con­sen­so en­tre os se­na­do­res, já que al­guns ale­gam a pos­si­bi­li­da­de de cons­tran­gi­men­to em vo­ta­ções de in­di­ca­ção de au­to­ri­da­des e na apre­ci­a­ção de ve­tos pre­si­den­ci­ais. O pre­si­den­te do fá­cil ha­ver uma con­de­na­ção com o vo­to se­cre­to do que com o aber­to”, res­sal­ta.

Em 24 mu­ni­cí­pi­os da re­gião, a elei­ção de car­gos co­mo pre­si­den­te da Câ­ma­ra, vi­ce e se­cre­tá­ri­os, que com­põem a Me­sa Di­re­to­ra, tam­bém é fei­ta por vo­to se­cre­to. O pre­si­den­te da Ca­sa de Ata­laia, Car­mo Ivo Tor­ren­te (PMDB), en­ten­de que a prá­ti­ca é im­por­tan­te. “É bom para não cau­sar ma­les­tar. O ve­re­a­dor fi­ca mais li­vre para vo­tar em quem re­al­men­te de­se­ja; é uma saí­da fu­gir dos acer­tos po­lí­ti­cos, sem pre­ci­sar fi­car dis­cu­tin­do com nin­guém”, ex­pli­ca. Em Sarandi, on­de o vo­to se­cre­to foi ex­tin­to há 10 anos, o pre­si­den­te da Ca­sa con­fir­ma a prá­ti­ca. “Sem­pre exis­te um acer­to para ele­ger o pre­si­den­te da Câ­ma­ra. Hou­ve uma vez, quan­do a vo­ta­ção era se­cre­ta, que ha­vía­mos com­bi­na­do um no­me e na ho­ra saiu ou­tro”, con­ta Ra­fa­el Pszybyls­ki (PP), sem citar o no­me Se­na­do, Re­nan Ca­lhei­ros (PMDBAL), de­fen­de a apro­va­ção ape­nas da par­te em que há con­sen­so: as vo­ta­ções de per­da de man­da­to par­la­men­tar. A aber­tu­ra dos de­mais vo­tos se­ria de­ba­ti­da pos­te­ri­or­men­te. O vo­to aber­to é a re­gra no Le­gis­la­ti­vo bra­si­lei­ro, sen­do o vo­to se­cre­to usa­do ape­nas em si­tu­a­ções es­pe­cí­fi­cas, ge­ral­men­te aque­las que co­lo­cam um po­der “de fren­te para o ou­tro”. dos en­vol­vi­dos.

Ou­tra cir­cuns­tân­cia co­mum do vo­to se­cre­to na re­gião é para ve­to do pre­fei­to a pro­je­tos de ve­re­a­do­res e apro­va­ção de con­tas do mu­ni­cí­pio. Em pe­lo me­nos du­as Câ­ma­ras con­sul­ta­das – Uni­flor e São Jor­ge do Ivaí –, ve­ri­fi­cou-se até a exis­tên­cia de ses­sões se­cre­tas. “O Re­gi­men­to In­ter­no per­mi­te quan­do es­tão sen­do dis­cu­ti­dos as­sun­tos de ca­rá­ter si­gi­lo­so, mui­to re­le­van­te ou para pre­ser­va­ção do de­co­ro par­la­men­tar”, ex­pli­ca o ad­vo­ga­do da Câ­ma­ra de SãoJor­ge­doI­vaí, Ra­fa­elMu­zu­lon.

Após a re­per­cus­são do ca­so Do­na­don, mui­tas Câ­ma­ras já co­me­ça­ram a re­ver o vo­to se­cre­to. Em pe­lo me­nos se­te mu­ni­cí­pi­os con­sul­ta­dos há pro­je­tos de lei sen­do estudados para abo­lir a prá­ti­ca: As­tor­ga, Co­lo­ra­do, Flo­res­ta, Itam­bé, Mandaguaçu, Mu­nhoz de Mel­lo e Nos­sa Se­nho­ra das Gran­ças.

Em Mandaguaçu, on­de o ve­to

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.