Ban­cá­ri­os cru­zam os bra­ços em to­do o País

Sin­di­ca­to es­pe­ra mo­bi­li­zar a ca­te­go­ria e man­ter as 63 agências e pos­tos de aten­di­men­to da ci­da­de fe­cha­das; prin­ci­pal rei­vin­di­ca­ção é re­a­jus­te sa­la­ri­al de 11,93%

O Diario do Norte do Parana - - CIDADES - Fá­bio Lin­jar­di

lin­jar­di@odi­a­rio.com A gre­ve dos ban­cá­ri­os co­me­ça hoje, em to­do o País, com o ob­je­ti­vo do sin­di­ca­to lo­cal de fe­char to­das as 63 agências e pos­tos de aten­di­men­to de Ma­rin­gá. A pos­si­bi­li­da­de se es­ten­de para to­da a área de abran­gên­cia do sin­di­ca­to, de vin­te mu­ni­cí­pi­os na re­gião e um to­tal de 136 agências.

“A nos­sa in­ten­ção nun­ca é pro­vo­car trans­tor­nos para a po­pu­la­ção”, des­ta­ca o pre­si­den­te do Sin­di­ca­to dos Ban­cá­ri­os de Ma­rin­gá e Re­gião, Clau­de­cir de Oli­vei­ra Sou­za.

O im­pac­to da gre­ve no co­ti­di­a­no da po­pu­la­ção ain­da é in­cer­to. Ano pas­sa­do, o Itaú con­se­guiu li­mi­nar para man­ter o aten­di­men­to. A ade­são dos fun­ci­o­ná­ri­os tam­bém de­pen­de da ca­pa­ci­da­de de per­su­a­são dos sin­di­ca­lis­tas. “O pri­mei­ro dia de gre­ve é sem­pre o mais com­pli­ca­do”, res­sal­ta Sou­za. Uma as­sem­bleia mar­ca­da para a noi­te de on­tem - com tér­mi­no após o fe­cha­men­to des­ta edi­ção - de­fi­ni­ria se os ban­cá­ri­os per­mi­ti­ri­am o abas­te­ci­men­to dos cai­xas ele­trô­ni­cos, si­tu­a­ção que iria de acor­do com o dis­cur­so de não pro­vo­car trans­tor­nos à po­pu­la­ção.

Já no ca­so dos de­pó­si­tos fei­tos em che­que ou di­nhei­ro, a ga­ran- tia de efi­ci­ên­cia é pou­ca nas agências que ade­ri­rem à gre­ve. “Isso a gen­te não ga­ran­te, por­que são ne­ces­sá­ri­os fun­ci­o­ná­ri­os para fa­zer a con­fe­rên­cia”, diz o sin­di­ca­lis­ta.

A gre­ve mais du­ra­dou­ra dos úl­ti­mos no­ve anos foi a de 2004, que se man­te­ve por um mês. A me­nor foi no ano se­guin­te, com me­nos de uma se­ma­na. Ano pas­sa­do, os ban­cá­ri­os fi­ca­ram de bra­ços cruzados por no­ve dias.

O di­re­tor do Pro­con de Ma­rin­gá, João Luiz Re­gi­a­ni, diz que fis­cais do ór­gão vão ve­ri­fi­car du­ran­te os dias de gre­ve se os ban­cos man­te­rão mei­os que pos­si­bi­li­tem o pa­ga­men­to de con­tas - co­mo cai­xas ele­trô­ni­cos. “As ins­ti­tui­ções têm obri­ga­ção de pres­tar es­se aten­di­men­to aos cli­en­tes, mes­mo que pre- ci­sem ter­cei­ri­zar es­se ser­vi­ço”, co­men­ta.

En­tre as re­vin­di­ca­ções dos ban­cá­ri­os es­tão re­a­jus­te sa­la­ri­al de 11,93%, sen­do 5% de au­men­to re­al, além da in­fla­ção pro­je­ta­da de 6,6%, Par­ti­ci­pa­ção nos Lu­cros e Re­sul­ta­dos (PLR) de três sa­lá­ri­os mais R$ 5.553,15 e pi­so sa­la­ri­al de R$ 2.860,21. A Fe­na­ban ofe­re­ceu 6,1% de re­a­jus­te e PLR de 90% do sa­lá­rio mais va­lor fi­xo de R$ 1.633,94.

Co­o­pe­ra­ti­vas

Agências de ins­ti­tui­ções co­mo o Si­co­ob, Si­dre­di e Uni­cred não par­ti­ci­pam da gre­ve que co­me­ça hoje. Os fun­ci­o­ná­ri­os são li­ga­dos a ou­tro sin­di­ca­to, por se tra­ta­rem de co­o­pe­ra­ti­vas de cré­di­to. A gre­ve nos ban­cos não dá o di­rei­to de os cli­en­tes atra­sa­rem o pa­ga­men­to das con­tas. As op­ções su­ge­ri­das pe­lo Pro­con são: nú­me­ro do pro­to­co­lo ou e-mail do acor­do. Em úl­ti­mo ca­so, pro­cu­re o Pro­con para for­ma­li­zar a fal­ta de mei­os ofe­re­ci­dos para pa­gar a con­ta

Es­go­ta­das e re­gis­tra­das as ten­ta­ti­vas de ou­tro meio de pa­ga­men­to que não se­ja por meio do ban­co, o cli­en­te po­de aci­o­nar o Jui­za­do Es­pe­ci­al Cí­vel para ser res­sar­ci­do dos ju­ros co­bra­dos. Tam­bém po­de pro­cu­rar o Pro­con, que abri­rá pro­ce­di­men­to para pe­na­li­zar a empresa, por meio de mul­ta

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.