Pa­re­ce que

PAL­CO “Ci­da­de Me­ni­na”, his­tó­ria de amor pas­sa­da à

O Diario do Norte do Parana - - O DIÁRIO DO NORTE DO PARANÁ - Ariá­diny Ri­nal­di

ari­a­diny@odi­a­rio.com O sur­gi­men­to de Ma­rin­gá é o pa­no de fun­do da pe­ça “Ci­da­de Me­ni­na”, que tem es­treia nes­te sá­ba­do, às 21h, no Te­a­tro Bar­ra­cão. O es­pe­tá­cu­lo te­rá mais cin­co ses­sões na ci­da­de.

Ro­gé­rio Car­ni­a­to, que as­si­na o tex­to e a pro­du­ção –- por in­ter­mé­dio de sua empresa Car­ni­a­to & Car­ni­a­to Pro­du­ções Ar­tís­ti­cas – , con­ta que o tra­ba­lho nas­ceu da von­ta­de de res­ga­tar o pas­sa­do con­ti­do nas his­tó­ri­as dos avós pi­o­nei­ros. “Meus avós com­pra­ram uma ter­ra Ma­rin­gá e mon­ta­ram um sí­tio no fi­nal da ave­ni­da Ka­ko­gawa. O ca­sa­men­to de­les foi o sex­to re­a­li­za­do na capela San­ta Cruz. Sem­pre fui in­flu­en­ci­a­do pe­la fa­mí­lia a co­nhe­cer mi­nhas raí­zes, a tra­tar Ma­rin­gá co­mo par­te do que sou. Ca­da es­qui­na, ca­da rua, fa­la um pou­co de mim, da mes­ma for­ma co­mo fa­la do meu pai e fa­lou do meu avô”, diz Car­ni­a­to que, atu­al­men­te, se di­vi­de­en­treMa­rin­gáeSãoPau­lo.

Ape­sar do fun­do his­tó­ri­co, que traz à ce­na men­ções a no­mes e fa­tos im­por­tan­tes na cons­tru­ção da ci­da­de, Car­ni­a­to, sa­li­en­ta que o es­pe­tá­cu­lo não tem qual­quer ob­je­ti­vo di­dá­ti­co.

Tra­ta-se de uma fic­ção com tra­ços de épo­ca. “Para cons­truir a his­tó­ria fi­ze­mos vá­ri­as pes­qui­sas, mas não to­ma­mos co­mo ba­se ne­nhum acon­te­ci­men­to es­pe­cí­fi­co, tan­to que a his­tó­ria não obe­de­ce uma or­dem cro­no­ló­gi­ca exa­ta do pas­sa­do da ci­da­de. A pe­ça tem mui­to de ins­pi­ra­ção e de me­mó­ri­as, fa­tos que ou­vi da pró­pria fa­mí­lia e de ou­tros pi­o­nei­ros”, con­ta o au­tor-pro­du­tor.

A tra­ma con­ta o ro­man­ce en­tre a jo­vem Ma­ria (Thay­se Mo­chi) – per­so­na­gem ins­pi­ra­da na len­dá­ria fi­gu­ra de Ma­ria do In­gá, imor­ta­li­za­da na mú­si­ca de Jou­bert de Car­va­lho- e Cí­ce­ro (Ti­co Gui­ma­rães), ge­ren­te da com­pa­nhia co­lo­ni­za­do­ra. “Quan­do a fa­mí­lia de Ma­ri­a­vem­doin­te­ri­or­deSãoPau­lo para cá, é Cí­ce­ro quem os re­ce­be. A par­tir da­que­le mo­men­to, a mo­ça pas­sa a ser o amor da vi­da de­le, lu­gar que an­tes era ocu­pa­do pe­lo tra­ba­lho. En­tu­si­as­ta des­ta ter­ra on­de tu­do que se plan­ta dá, ele re­pre­sen­ta aque­les que con­se­gui­am vis­lum­brar o pro­gres­so da ci­da­de”,ex­pli­caGui­ma­rães.

O clí­max da pe­ça sur­ge quan­do o be­ber­rão e far­ris­ta Nal­do, co­me­ça a dis­pu­tar com Cí­ce­ro o amor de Ma­ria. O elen­co, se­le­ci­o­na­do após a re­a­li­za­ção de tes­tes, ain­da con­ta com ato­res ex­pe­ri­en­tes – co­mo Mar­cia Cos­ta e Pau­lo de Al­mei­da – e jo­vens ta­len­tos do te­a­tro lo­cal, co­mo Flá­vio Ma­ga­lhães, Wil­li­am Fa­ri­as, Ta­ta Pires e Wilyah Sch­mitt . A atriz ma­rin­ga­en­se Ga­bi Fre­go­neis faz aqui sua pri­mei­ra ex­pe­ri­ên­cia co­mo as­sis­ten­te de di­re­ção.

O es­pe­tá­cu­lo foi pro­du­zi­do com pa­tro­cí­nio da Usi­na San­ta Te­re­zi­nha, por meio da Lei Rou­a­net. “’Ci­da­de Me­ni­na’ é um es­pe-

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.