Na re­gião, só Ma­rin­gá tem IDH aci­ma das mé­di­as do País e PR

REN­DA O Ín­di­ce de De­sen­vol­vi­men­to Hu­ma­no do mu­ni­cí­pio é de 0,086. No Es­ta­do é 0,757 e no Bra­sil, 0,739. Das 30 ci­da­des da Amu­sep, 5 es­tão aci­ma ou igual às mé­di­as na­ci­o­nal e es­ta­du­al

O Diario do Norte do Parana - - ZOOM - Fá­bio Lin­jar­di

lin­jar­di@odi­a­rio.com Em 10 anos, o pa­drão de vi­da dos mo­ra­do­res na re­gião da As­so­ci­a­ção dos Mu­ni­cí­pi­os do Se­ten­trião Pa­ra­na­en­se (Amu­sep) cres­ceu em rit­mo mais ace­le­ra­do que no ce­ná­rio na­ci­o­nal, en­cur­tan­do uma incô­mo­da dis­tân­cia das mé­di­as na­ci­o­nal e es­ta­du­al.

En­tre as 30 ci­da­des da as­so­ci­a­ção, pas­sou de du­as para cin­co as que apa­re­cem em ní­vel igual ou aci­ma da mé­dia do País, no in­di­ca­dor de ren­da que com­põe o Ín­di­ce de De­sen­vol­vi­men­to Hu­ma­no (IDH). Já na com­pa­ra­ção com o ní­vel es­ta­du­al, em 10 anos, a si­tu­a­ção foi man­ti­da: ape­nas Ma­rin­gá apa­re­ce aci­ma da mé­dia.

Os nú­me­ros são do Pro­gra­ma das Na­ções Uni­das para o De­sen­vol­vi­men­to (Pnud), re­fe­ren­tes a 2010, e di­vul­ga­dos no se­gun­do se­mes­tre des­te ano. O ín­di­ce va­ria de ze­ro - ne­nhum de­sen­vol­vi­men­to hu­ma­no - a um - de­sen­vol­vi­men­to hu­ma­no to­tal - e é com­pos­to por três di­men­sões: ren­da, lon­ge­vi­da­de e edu­ca­ção. Para a re­gião da Amu­sep, o in­di­ca­dor de po­der aqui­si­ti­vo é o que mais pre­o­cu­pa.

Se­gun­do os da­dos, o IDH mé­dio na Amu­sep fi­cou em 0,713, um avan­ço de 9,5% an­te o de­sem­pe­nho de 2000. No Pa­ra­ná, a mé­dia é de 0,757 e no País de 0,739, com avan­ços de 7,5% e 6,8%, res­pec­ti­va­men­te, em re­la­ção à dé­ca­da pas­sa­da.

A ci­da­de com o de­sem­pe­nho mais bai­xo na re­gião no in­di­ca­dor de ren­da é Ita­gua­jé, 0,672. O mu­ni­cí­pio con­ta com 4,5 mil mo­ra­do­res e tem a eco­no­mia ba­se­a­da na mão de obra para o cor­te de ca­na-de-açú­car. “O mu­ni­cí­pio é po­bre, vi­ve ex­clu­si­va­men­te da agri­cul­tu­ra, que é a ca­na-de-açú­car. Tem aqui dois mer­ca­dos, qu­a­tro far­má­ci­as, na­da mui­to gran- de, o co­mér­cio é fra­co e per­de mui­tas di­vi­sas para Co­lo­ra­do”, diz o se­cre­tá­rio de Ad­mi­nis­tra­ção de Ita­gua­jé, Ca­mi­lo Cos­si­to. O IDH ren­da cres­ceu ape­nas 2,8% na ci­da­de em 10 anos.

Em Pa­ra­na­city, um dos cin­co mu­ni­cí­pi­os na lan­ter­na da ta­be­la de po­der aqui­si­ti­vo, os pro­ble­mas são se­me­lhan­tes aos de Ita­gua­jé: fal­ta de mão de obra qua­li­fi­ca­da, en­gros­san­do as fi­lei­ras de tra­ba­lha­do­res em meio aos ca­na­vi­ais. “Para vo­cê ter uma ideia, a usi­na tem 500 ca­sas ape­nas para os fun­ci­o­ná­ri­os. Quan­do ele para de pro­du­zir, tem 30 dias para de­so­cu­par o imó­vel e não tem di­nhei­ro para com­prar ou­tro. Nos­so dé­fi­cit ha­bi­ta­ci­o­nal é al­to e a pre­fei­tu­ra aju­da co­mo po­de”, diz a se­cre­tá­ria de As­sis­tên­cia So­ci­al de Pa­ra­na­city, Fa­brí­cia Pre­gi­dio.

Um exem­plo que tem da­do cer­to é o de As­tor­ga, 25 mil ha­bi­tan­tes,que ele­vou o in­di­ca­dor de ren­da em 11,7%, pas­san­do da 7ª co­lo­ca­ção nes­se in­di­ca­dor en­tre os mu­ni­cí­pi­os da Amu­sep, em 2000, para a se­gun­da po­si­ção em 2010, atrás ape­nas de Ma­rin­gá. “A ci­da­de viu Ma­rin­gá co­mo con­cor­ren­te, mas des­co­briu que ela é par­cei­ra . Bus­ca­mos apoio jun­to ao Co­dem (Con­se­lho de De­sen­vol­vi­men­to Econô­mi­co de Ma­rin­gá). As pes­so­as que ti­nham mai­or po­der aqui­si­ti­vo iam para com­prar rou­pas e ou­tros pro­du­tos em Ma­rin­gá, en­tão in­ves­ti­mos na atra­ção de re­des para cá, co­mo su­per­mer­ca­dos. Me­lho­ra­mos a qua­li­da­de da mão de obra com o apoio de ins­ti­tui­ções co­mo o Se­si e Se­nai”, diz Al­mir Cor­reia, se­cre­tá­rio de De­sen­vol­vi­men­to Econô­mi­co de As­tor­ga. “Vo­cê me­lho­ra a vi­da do ci­da­dão me­lho­ran­do a ren­da. E isso aju­da a ci­da­de: de R$ 27 mi­lhões, nos­sa ar­re­ca­da­ção su­biu para R$ 40 mi­lhões em 4 anos.”

Dou­glas Mar­çal

Ro­sa­li­na com a fa­mí­lia na área da ca­sa, na Vi­la Pro­gres­so

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.