Gre­ve in­ter­fe­re no mo­vi­men­to do co­mér­cio

Si­va­mar ain­da não tem nú­me­ros exa­tos, mas es­ti­ma que­da de até 40% no mo­vi­men­to; Sin­di­ca­to dos Ban­cá­ri­os diz que es­pe­ra no­va pro­pos­ta da Fe­na­ban Cor­rei­os pri­o­ri­zam en­tre­gas

O Diario do Norte do Parana - - CIDADES - Van­da Mu­nhoz

van­da@odi­a­rio.com No pri­mei­ro dia de gre­ve dos ban­cá­ri­os, em Ma­rin­gá, o Sin­di­ca­to do Co­mér­cio Va­re­jis­ta de Ma­rin­gá e Re­gião (Si­va­mar) es­ti­ma uma que­da de até 40% no mo­vi­men­to das lo­jas. Sem pra­zo para ter­mi­nar, a pa­ra­li­sa­ção de­ve re­du­zir ain­da mais o flu­xo de cli­en­tes, hoje. On­tem, a Fe­de­ra­ção dos Em­pre­ga­dos em Es­ta­be­le­ci­men­tos Ban­cá­ri­os do Pa­ra­ná (Fe­eb-PR) di­vul­gou bo­le­tim in­for­man­do que, em Ma­rin­gá, to­das as 70 agências e pos­tos de aten­di­men­to es­ta­vam fe­cha­dos.

“Não te­mos nú­me­ros ain­da, mas a gre­ve atra­pa­lha e mui­to. Es­te pri­mei­ro dia (on­tem) já afe­tou o fa­tu­ra­men­to do co­mér­cio va­re­jis­ta”, des­ta­ca o pre­si- den­te do Si­va­mar, Jo­sé Ru­bens Abrão. Ele ex­pli­ca que, para o lo­jis­ta, os efei­tos não são tão ex­pres­si­vos. “O co­mer­ci­an­te usa a in­ter­net, faz trans­fe­rên­ci­as, en­tão o tra­ba­lho de­le não so­fre in­fluên­cia sig­ni­fi­ca­ti­va, mas, para o con­su­mi­dor, prin­ci­pal­men­te, aque­les que pre­fe­rem sa­car di­nhei­ro di­re­to no cai­xa, há re­fle­xos”, res­sal­ta. Ele acres­cen­ta que, além do efei­to re­al, há um com­po­nen­te psi­co­ló­gi­co de in­se­gu­ran­ça.

O em­pre­sá­rio Car­los Aji­ta con­fir­ma que a gre­ve in­flu­en­cia no mo­vi­men­to do co­mér­cio. “A sen­sa­ção é que, re­al­men­te, a gre­ve pro­vo­ca in­se­gu­ran­ça e pre­ju­di­ca o de­sem­pe­nho do co­mér­cio de um mo­do ge­ral, es­pe­ci­al­men­te, por­que não há pra­zo para a pa­ra­li­sa­ção ter­mi­nar. A per­cep­ção é que o mo­vi­men­to na lo­ja di­mi­nuiu”, ob­ser­va, sem, no en­tan­to, quan­ti­fi­car a que­da no mo­vi­men­to. Tan­to para Abrão quan­do para Aji­ta, a es­pe­ran­ça é que a si­tu­a­ção se re­sol­va o mais rá- pi­do pos­sí­vel. “A ex­pec­ta­ti­va é que as par­tes en­trem em acor­do e os ban­cos vol­tem ao fun­ci­o­na­men­to nor­mal”, com­ple­ta Aji­ta.

136 agências

De acor­do com a Fe­eb, a ba­se de Ma­rin­gá reú­ne 1.870 ban­cá­ri­os. O Sin­di­ca­to dos Ban­cá­ri­os de Ma­rin­gá e Re­gião es­ti­mou, on­tem à tar­de, que cer­ca de 1.100 des­ses tra­ba­lha­do­res cru­za­ram os bra­ços e que, em to­da a re­gião, 136 agências fe­cha­ram as por­tas. “Por en­quan­to, não te­mos pro­pos­ta al­gu­ma da Fe­de­ra­ção Na­ci­o­nal dos Ban­cos (Fe­na­ban)”, in­for­ma o vi­ce­pre­si­den­te da en­ti­da­de, Car­los Ro­ber­to Ro­dri­gues. Ele con­cor­da que o mo­vi­men­to no co­mér­cio é afe­ta­do. “Acre­di­ta­mos que, al­gu­mas em­pre­sas sa­ben­do que ha­ve­ria gre­ve, pre­ca­ve­ram-se, mas, com cer­te­za, ha­ve­rá al­guns pro­ble­mas”, ava­lia. Uma das pre­o­cu­pa­ções do co­mér­cio re­fe­re-se ao pa­ga­men­to de va­les aos tra­ba­lha­do­res, ge- ral­men­te, fei­tos nes­se pe­río­do, que coin­ci­de com o iní­cio da gre­ve dos ban­cá­ri­os.

Com ba­se em gre­ves an­te­ri­o­res, Ro­dri­gues con­si­de­ra que a Fe­na­ban não vai se ma­ni­fes­tar an­tes do fim de se­ma­na. A Fe­na­ban, no si­te, afir­ma que sem­pre es­te­ve aber­ta às ne­go­ci­a­ções com os tra­ba­lha­do­res e acon­se­lha os con­su­mi­do­res a usa­rem ca­nais di­fe­ren­tes para pa­ga­rem con­tas, mes­mo as que es­tão em atra­so.

Des­de 2004, os ban­cá­ri­os re­a­li­zam gre­ves to­dos os anos. Em 2012, fo­ram no­ve dias de pa­ra­li­sa­ção. A Fe­na­ban ofe­re­cia re­po­si­ção de 6%, mas, com a gre­ve, a ca­te­go­ria con­quis­tou re­a­jus­te de 7,5% e te­ve um ga­nho re­al de 2,02%. Em 2013, en­tre ou­tras coi­sas, a ca­te­go­ria rei­vin­di­ca re­po­si­ção de 11,93%, sen­do 5% de au­men­to re­al e 6,6% de re­po­si­ção da in­fla­ção do pe­río­do. No se­gun­do dia de gre­ve dos tra­ba­lha­do­res, os Cor­rei­os pri­o­ri­za­ram en­tre­gas e pos­ta­gens de ma­lo­tes, en­co­men­das, te­le­gra­mas e Se­dex co­mum. As pos­ta­gens de Se­dex 10 e Se­dex 12 es­tão sus­pen­sas. Por dia, são en­tre­gues uma mé­dia de 110 mil ob­je­tos pos­tais, na ci­da­de. On­tem, se­gun­do a Ge­rên­cia Re­gi­o­nal dos Cor­rei­os, em Ma­rin­gá, dos cer­ca de 300 fun­ci­o­ná­ri­os, 53 es­ta­vam pa­ra­dos. Já o sin­di­ca­to da ca­te­go­ria diz que a ade­são gi­ra en­tre 65% e 70% dos ser­vi­do­res.

A di­re­to­ra do Sin­di­ca­to dos Tra­ba­lha­do­res dos Cor­rei­os e Si­mi­la­res do Pa­ra­ná (Sint­comPR), Ma­ria Iza­bel Pe­li­çon, des­ta­ca que, on­tem, a Cen­tral de Tri­a­gem de Curitiba es­ta­va pa­ra­da. “Com a cen­tral da ca­pi­tal pa­ra­da, não che­ga cor­res­pon­dên­cia a Ma­rin­gá”, ex­pli­ca. “Não que­re­mos pre­ju­di­car a po­pu­la­ção, mas pre­ci­sa­mos rei­vin­di­car nos­sos di­rei­tos”, acres­cen­ta.

O ge­ren­te re­gi­o­nal dos Cor­rei­os, em Ma­rin­gá, Car­los Ro­ber­to Ma­ri­a­ni, afir­ma que uni­da­de dis­tri­bui­do­ra do Cen­tro da ci­da­de fun­ci­o­na nor­mal­men­te, mas a pa­ra­li­sa­ção atra­pa­lha o rit­mo. Em Ma­rin­gá, exis­tem qu­a­tro uni­da­des dis­tri­bui­do­ras e dez agências dos Cor­rei­os para aten­di­men­to ao público.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.