Con­se­lho tu­te­lar quer in­ter­na­ção de me­no­res

Cin­co ado­les­cen­tes e cri­an­ças, de 11 a 15 anos, são apon­ta­das co­mo au­to­ras de agres­sões fí­si­cas, con­tra fun­ci­o­ná­ri­as do Cen­tro de As­sis­tên­cia So­ci­al, on­tem pe­la ma­nhã

O Diario do Norte do Parana - - REGIÃO - Murilo Gat­ti

mgat­ti@odi­a­rio.com “Ape­sar de jo­vens, eles são me­ni­nos de al­ta pe­ri­cu­lo­si­da­de”, afir­mou a con­se­lhei­ra tu­te­lar de Sa­ran­di, Il­da Bernardino, ao des­cre­ver o gru­po de cin­co cri­an­ças e ado­les­cen­tes, com ida­des en­tre 11 e 15 anos, que fo­ram acu­sa­das de in­va­dir o Cen­tro de Re­fe­rên­cia em As­sis­tên­cia So­ci­al (Cras), do Jar­dim Es­pe­ran­ça, em Sa­ran­di, e de agre­dir du­as fun­ci­o­ná­ri­as do mu­ni­cí­pio, on­tem pe­la ma­nhã. No lo­cal, eles tam­bém te­ri­am sub­traí­do um ce­lu­lar.

Os atos in­fra­ci­o­nais fo­ram re­gis­tra­dos na De­le­ga­cia de Sa­ran­di. “Eles fo­ram iden­ti­fi­ca­dos. Ago­ra, vão ser ou­vi­dos e va­mos man­dar pa­ra o Fó­rum”, afir­mou o de­le­ga­do Re­gi­nal­do Ca­e­ta­no, que pre­fe­riu não en­trar em de­ta­lhes, so­bre o epi­só­dio. “Uma as­sis­ten­te so­ci­al foi es­bo­fe­te­a­da, li­te­ral­men­te, por um dos me­ni­nos”, re­ve­lou a con­se­lhei­ra.

Não é a pri­mei­ra vez que o “Gru­po dos Cin­co”, co­mo é cha­ma­do pe­lo Con­se­lho Tu­te­lar “ater­ro­ri­za Sa­ran­di”. Em maio de 2012, por exem­plo, dois de­les fo­ram apre­en­di­dos e le­va­do à De­le­ga­cia, após furtar e pro­vo­car a co­li­são de uma kom­bi da pre­fei­tu­ra con­tra uma ár­vo­re.

“Faz mais de seis me­ses que es­tas cri­an­ças e ado­les­cen­tes, bem co­mo as fa­mí­li­as, são aten­di­das pe­lo Con­se­lho. O Poder Ju­di­ciá­rio, in­clu­si­ve, já de­ter­mi­nou o in­ter­na­men­to des­tes me­ni­nos”, con­tou Il­da. O pro­ble­ma, se­gun­do ela, é que a me­di­da so­ci­o­e­du­ca­ti­va im­pos­ta pre­vê o tra­ta­men­to, com li­ber­da­de as­sis­ti­da, o que de­pen­de, to­tal­men­te, da acei­ta­ção dos me­ni­nos.

“Aos ado­les­cen­tes, com mais de 14 anos, ofe­re­ce­mos opor­tu­ni­da­des de in­ser­ção no mer­ca­do de tra­ba­lho, por meio do Ado­les­cen­te Apren­diz, mas eles afir­ma­ram que não que­rem e não vão tra­ba­lhar. Es­ta­mos de mãos ata­das”, la­men­tou. A úni­ca so­lu­ção, na ava­li­a­ção de Il­da, é ado­tar me­di­das mais drás­ti­cas. “Es­ta­mos tra- “O in­ter­na­men­to com­pul­só­rio, em clí­ni­cas fe­cha­das, é a úni­ca saí­da pa­ra o ca­so des­tes me­ni­nos ” ba­lhan­do pa­ra con­se­guir o in­ter­na­men­to com­pul­só­rio em clí­ni­cas fe­cha­das. É a úni­ca saí­da, nas atu­ais con­di­ções, não tem mais co­mo de­pen­der de­les que­re­rem ou não o tra­ta­men­to”, des­ta­cou.

Em ou­tro epi­só­dio pro­ta­go­ni­za­do pe­lo “Gru­po dos Cin­co”, há cer­ca de qu­a­tro me­ses, um de­les pe­gou uma fa­ca de co­zi­nha, den­tro da se­de do Con­se­lho Tu­te­lar, e ame­a­çou uma con­se­lhei­ra. “Nes­te dia, eles só não saí­ram com o car­ro do Con­se­lho, por­que ou­tras pes­so­as che­ga­ram e im­pe­di­ram”, res­sal­tou.

Se­gun­do Il­da, es­tas cri­an­ças e ado­les­cen­tes tam­bém têm co­lo­ca­do a pró­pria vi­da em ris­co. “On­tem (an­te­on­tem) fui a Apu- ca­ra­na bus­car um dos ado­les­cen­tes. To­das as se­ma­nas, eles so­bem no trem e des­cem em Apu­ca­ra­na e Arapongas. Des­ta vez, um de­les pu­lou, ma­chu­cou o pé e te­ve de ser in­ter­na­do na Uni­da­de de Pron­to-Aten­di­men­to (UPA) de Apu­ca­ra­na”, con­tou.

A Pro­mo­to­ria da In­fân­cia e da Ju­ven­tu­de de Sa­ran­di não quis co­men­tar a si­tu­a­ção e cri­ti­cou o fa­to de o Con­se­lho Tu­te­lar ter di­vul­ga­do o epi­só­dio. As cin­co fa­mí­li­as, se­gun­do Il­da, en­fren­tam gran­de vul­ne­ra­bi­li­da­de so­ci­al. “Há pais en­vol­vi­dos com o cri­me e dro­gas. Eles es­tão dan­do con­ti­nui­da­de a uma ge­ra­ção fa­mi­li­ar com­pro­me­ti­da, vem de si­tu­a­ção bem com­pli­ca­da”, fri­sou.

Fla­vio Sou­za/Câ­me­ra Rec

Dois me­ni­nos já fur­ta­ram e se aci­den­ta­ram com uma kom­bi da pre­fei­tu­ra

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.