Ada­par emi­te oi­ten­ta au­tos de in­fra­ção

O Diario do Norte do Parana - - REGIÃO - Agência Es­ta­du­al de No­tí­ci­as

re­da­cao@odi­a­rio.com A Agência de De­fe­sa Agro­pe­cuá­ria do Pa­ra­ná (Ada­par) emi­tiu oi­ten­ta au­tos de in­fra­ção, no pe­río­do do va­zio sa­ni­tá­rio da so­ja, em 2013, en­cer­ra­do no dia 15 des­te mês e du­ran­te o qual fi­cou proi­bi­da no Es­ta­do a pre­sen­ça de plan­tas vi­vas do grão. O nú­me­ro de in­fra­ções é me­nor que o de 2012, quan­do fo­ram emi­ti­das 130 au­tu­a­ções. No en­tan­to, o pe­río­do de ge­a­das e ou­tros fa­to­res cli­má­ti­cos, que não ocor­re­ram no ano pas­sa­do, po­dem ter in­flu­en­ci­a­do ao eli­mi­nar as plan­tas vi­vas em pro­pri­e­da­des, car­re­a­do­res e es­tra­das.

A me­di­da sa­ni­tá­ria é ado­ta­da no Pa­ra­ná, des­de 2007, pa­ra evi­tar a in­ci­dên­cia de fo­cos da fer­ru­gem asiá­ti­ca, do­en­ça pro­vo­ca­da por fun­gos que ata­cam a plan­ta. Ou­tros 11 Es­ta­dos bra­si­lei­ros e o Pa­ra­guai tam­bém ado­tam a me­di­da.

A en­ge­nhei­ra agrô­no­ma Ma­ria Ce­les­te Marcondes, res­pon­sá­vel pe­lo acom­pa­nha­men­to do va­zio sa­ni­tá­rio na Ada­par, lem­bra que os pro­du­to­res são os prin­ci­pais be­ne­fi­ciá­ri­os da ação. “On­de há plan­tas que não são eli­mi­na­das du­ran­te o pe­río­do do va­zio sa­ni­tá­rio, elas se tor­nam hos­pe­dei­ras do fun­go e po­dem con­ta­mi­nar as plan­tas no­vas, quan­do se ini­cia o plan­tio da sa­fra re­gu­lar”, ex­pli­ca. As­sim, o cus­to da pro­du­ção au­men­ta, em fun­ção da ne­ces­si­da­de da uti­li­za­ção de quí­mi­cos no con­tro­le da do­en­ça e, con­se­quen­te­men­te, cul­mi­na em da­nos ao meio am­bi­en­te.

O va­zio sa­ni­tá­rio tem du­ra­ção de três me­ses, ini­ci­an­do em 15 de ju­nho. Até es­ta da­ta, téc­ni­cos da Ada­par emi­ti­ram 244 no­ti­fi­ca­ções, aler­tan­do os pro­du­to­res pa­ra a ne­ces­si­da­de de eli­mi­nar as plan­tas vi­vas, du­ran­te o pe­río­do. Os au­tos de in­fra­ção emi­ti­dos, pos­te­ri­or­men­te, com­pre­en­dem ape­nas a uma área de 1.7 mil hec­ta­res. Área mí­ni­ma se com­pa­ra­da aos 4,6 mi­lhões de hec­ta­res de área plan­ta­da de so­ja na sa­fra 2012/13, o que su­ben­ten­de o com­pro­me­ti­men­to dos pro­du­to­res ru­rais com a me­di­da.

No en­tan­to os nú­me­ros des­te ano não po­dem di­mi­nuir a aten­ção dos pro­du­to­res pa­ra a sa­fra re­gu­lar de so­ja que se ini­cia. “A fer­ru­gem asiá­ti­ca é uma do­en­ça mui­to agres­si­va, é um pro­ble­ma sé­rio no cul­ti­vo de so­ja. De­ve ser da­da a aten­ção ne­ces­sá­ria, com o mo­ni­to­ra­men­to con­tí­nuo das la­vou­ras, con­tan­do com o apoio da as­sis­tên­cia téc­ni­ca”, aler­ta Marcondes. “A fer­ru­gem asiá­ti­ca é uma do­en­ça mui­to agres­si­va, é um pro­ble­ma sé­rio no cul­ti­vo de so­ja”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.