Ta­da ‘exor­ci­za’ em crô­ni­ca quin­ze­nal

O Diario do Norte do Parana - - O DIÁRIO DO NORTE DO PARANÁ - Wi­la­me Pra­do

wi­la­me@odi­a­rio.com “O cam­peão” é o tí­tu­lo da crô­ni­ca que o lei­tor po­de­rá con­fe­rir na edi­ção de ama­nhã do D+. Se­rá a estreia da co­lu­na “Pas­seio”, as­si­na­da quin­ze­nal­men­te, aos do­min­gos, pe­lo es­cri­tor e pro­fes­sor uni­ver­si­tá­rio El­ton Ta­da, 25 anos, que já vi­nha co­la­bo­ran­do even­tu­al­men­te no ca­der­no.

“Vi mi­nha so­bri­nha cho­ran­do amar­ga­men­te por ter per­di­do uma com­pe­ti­ção na es­co­la”, con­ta Ta­da. Pa­ra ele, o acon­te­ci­men­to foi ins­pi­ra­ção su­fi­ci­en­te pa­ra “pas­se­ar” em pen­sa­men­tos so­bre a di­fi­cul­da­de que as der­ro­tas nos im­põem em sua crô­ni­ca de estreia. “Per­ce­bi que, na vi­da adul­ta, mui­tas ve­zes nos dei­xa­mos aba­ter por um sim­ples pro­ble­ma de pers­pec­ti­va, pois não nos con­ten­ta­mos em ser­mos tão bons quan­to po­de­mos, que­re­mos es­tar aci­ma e além de to­da ex­pec­ta­ti­va.”

Mes­tre em Ci­ên­ci­as Re­li­gi­o­sas e pro­fes­sor de Te­o­lo­gia na Uni­ce­su­mar, Ta­da lan­çou re­cen­te­men­te em Ma­rin­gá “A Cruz do Cor­po” (Fon­te Edi­to­ri­al, 156 pá­gi­nas), seu livro de estreia, que abor­da con­cei­tos da Te­o­lo­gia da Cul­tu­ra de Paul Til­li­ch pa­ra ana­li­sar o livro“A Via Cru­cis do Cor­po” (1974), obra fic­ci­o­nal de Cla­ri­ce Lis­pec­tor.

Mes­mo com to­do es­se currículo li­ga­do às re­li­gi­o­si­da­des, pe­lo me­nos nas crô­ni­cas ele cos­tu­ma fo­car o olhar em as­pec­tos so­ci­ais e cul­tu­rais do co­ti­di­a­no. Na co­lu­na “Pas­seio”, a ideia, se­gun­do o no­vo co­lu­nis­ta do D+, é abrir um diá­lo­go fran­co com o lei­tor. “O no­me da co­lu­na foi su­ge­ri­do pe­lo Jary (Mér­cio), o edi­tor. Ele me dis­se que meus tex­tos são um ti­po de con­ver­sa com o lei­tor, e que o pas­seio se­ria a si­tu­a­ção ide­al pa­ra uma con­ver­sa que le­ve à re­fle­xão.”

Gra­ças às su­as con­tri­bui­ções an­te­ri­o­res pa­ra o ca­der­no, pu­bli­ca­das na co­lu­na “De Pas­sa­gem”, que abri­ga co­la­bo­ra­do­res oca­si­o­nais, Ta­da pô­de ex­pe­ri­men­tar um con­ta­to ini­ci­al com os lei­to­res. E o que ele es­pe­ra de­les? No mí­ni­mo, re­fle­xões após as lei­tu­ras. “Sin­ce­ra­men­te, te­nho in­te­res­se ape­nas no lei­tor e na lei­to­ra que se per­mi­tam re­fle­tir, que acei­tam o de­sa­fio de se­rem de­se­qui­li­bra­dos. Se o ‘pas­seio’ não tem aven­tu­ras e de­sa­fi­os, pro­va­vel­men­te tam­bém não tem sen­ti­do.”

Acos­tu­ma­do à la­bu­ta aca­de­mi­cis­ta re­che­a­da de ar­ti­gos que nem sem­pre dão li­ber­da­de ao au­tor, Ta­da quer exer­cer a crô­ni­ca mais le­ve, as­sim co­mo al­guém que se per­mi­te sen­tir a bri­sa na ca­ra em um pas­seio de mo­to. Es­tre­ar co­mo cro­nis­ta do­mi­ni­cal com a co­lu­na “Pas­seio” se­rá uma es­pé­cie de exor­cis­mo li­te­rá­rio, afir­ma ele. “Na prá­ti­ca do meu ofí­cio, es­cre­vo ar­ti­gos. Sou teó­lo­go e pro­fes­sor uni­ver­si­tá­rio, por­tan­to te­nho o ri­gor aca­dê­mi­co co­mo pres­su­pos­to de tra­ba­lho. As crô­ni­cas que qu­e­ro aqui par­ti­lhar são es­cri­tas em ou­tros mo­men­tos, nor­mal­men­te mais des­con­traí­dos, le­ves. Por es­se mo­ti­vo, qu­e­ro con­fi­gu­rar es­ses tex­tos co­mo crô­ni­cas. Aci­ma de tudo, eles são meus mo­men­tos de exor­cis­mo”, diz Ta­da.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.