Pro­fis­si­o­na­li­za­ção é saí­da pa­ra uma vi­da me­lhor

Cur­sos ofe­re­ci­dos por ins­ti­tui­ção so­ci­al se trans­for­mam no prin­ci­pal an­tí­do­to pa­ra li­vrar jo­vens das ten­ta­ções do mun­do das dro­gas e do cri­me

O Diario do Norte do Parana - - CIDADES - Fá­bio Cas­tal­del­li

fa­bi­o­au­gus­to@odi­a­rio.com Pre­pa­rar jo­vens pa­ra o mer­ca­do de tra­ba­lho e con­tri­buir pa­ra que eles dri­blem as ten­ta­ções do mun­do das dro­gas e do cri­me. São al­guns dos ob­je­ti­vos do Pro­je­to Apren­di­za­gem Téc­ni­co-Pro­fis­si­o­nal da ins­ti­tui­ção de as­sis­tên­cia so­ci­al En­con­tro Fra­ter­no Lins de Vas­con­cel­los, que é vol­ta­do pa­ra pes­so­as que têm en­tre 14 e 24 anos e vi­vem em co­mu­ni­da­des ca­ren­tes.

A co­or­de­na­do­ra de pro­je­tos da en­ti­da­de, Ana Ca­ro­li­na Ti­e­ne, ex­pli­ca que o pro­gra­ma é de­sen­vol­vi­do com apoio do sis­te­ma “S”, que en­glo­ba o Ser­vi­ço Na­ci­o­nal de Apren­di­za­gem Co­mer­ci­al (Se­nac), Ser­vi­ço Na­ci­o­nal de Apren­di­za­gem In­dus­tri­al (Se­nai) e Ser­vi­ço Na­ci­o­nal de Apren­di­za­gem do Co­o­pe­ra­ti­vis­mo (Ses­co­op).

De se­gun­da a sá­ba­do, os jo­vens di­vi­dem a ro­ti­na en­tre ati­vi­da­des teó­ri­cas, re­a­li­za­das na se­de da en­ti­da­de, e o tra­ba­lho em em­pre­sas par­cei­ras do pro­je­to - ao to­do são qua­se 90. “Se­ja em co­mu­ni­da­des ca­ren­tes ou não, o gran­de de­sa­fio dos pais é con­se­guir uma ocu­pa­ção pro­du­ti­va pa­ra os fi­lhos. Por isso, te­mos a aju­da de vá­ri­os par­cei­ros pa­ra que a pro­fis­si­o­na­li­za­ção se­ja en­ca­ra­da co­mo uma for­ma de dig­ni­fi­car as fa­mí­li­as”, des­ta­ca Ana Ca­ro­li­na.

A prin­ci­pal di­fe­ren­ça do pro­je­to em re­la­ção aos de­mais cur­sos téc­ni­cos pro­fis­si­o­na­li­zan- tes é que ele ofe­re­ce o acom­pa­nha­men­to de uma equi­pe mul­ti­dis­ci­pli­nar com­pos­ta por pe­da­go­go, as­sis­ten­te so­ci­al, psi­có­lo­go, ori­en­ta­dor so­ci­al. “Ca­da par­ti­ci­pan­te é mo­ni­to­ra­do du­ran­te as ati­vi­da­des prá­ti­cas, nas em­pre­sas, nas es­co­las e mes­mo no âm­bi­to fa­mi­li­ar”, res­sal­ta Ana Ca­ro­li­na.

Op­ções

Pa­ra par­ti­ci­par das ati­vi­da­des, os jo­vens não pa­gam na­da, mas, pre­ci­sam ter con­cluí­do o en­si­no mé­dio ou es­tar ma­tri­cu­la­do na es­co­la re­gu­lar. Um dos in­cen­ti­vos a mais é que eles são re­mu­ne­ra­dos com sa­lá­ri­os que va­ri­am de R$ 430 a R$ 1 mil. A car­ga ho­rá­ria de­di­ca­da é de cer­ca de vin­te ho­ras se­ma­nais.

Os cur­sos dis­po­ní­veis são pa­ra os de au­xi­li­ar ad­mi­nis­tra­ti­vo, apren­diz em ser­vi­ços do co­o­pe­ra­ti­vis­mo, em pro­du­ção in­dus­tri­al, em ser­vi­ços do co­mér­cio e em ser­vi­ços dos su­per­mer­ca­dos. Co­mo a pro­cu­ra é gran­de, en­quan­to no­vas va­gas não são aber­tas os in­te­res­sa­dos po­dem se ins­cre­ver no pro­gra­ma de Pré-Apren­diz, que já reú­ne cer­ca de 200 par­ti­ci­pan­tes. Ne­le, os jo­vens têm au­las aos sá­ba­dos na se­de da ins­ti­tui­ção e são pre­pa­ra­dos pa­ra o Pro­je­to Apren­di­za­gem Téc­ni­co-Pro­fis­si­o­nal. De 2006 até o fim de 2013, se­rão cer­ca de 500 apren­di­zes for­ma­dos - no ano que vem se­rão ou­tros 300.

João Cláudio Fragoso

Már­cio As­bar di­vi­de o tem­po de­le en­tre as au­las no Lins de Vas­con­cel­los e o tra­ba­lho em lo­ja de de­par­ta­men­to

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.