Mu­ti­rão da saú­de co­me­ça Do­ze de­ten­tos que fu­gi­ram já fo­ram com foco na or­to­pe­dia re­cap­tu­ra­dos

Fi­la de con­sul­tas es­pe­ci­a­li­za­das se­rá re­du­zi­da por meio de dez mu­ti­rões, mas a de­man­da é gran­de: 5 mil pa­ci­en­tes na or­to­pe­dia e ou­tros 6,9 mil en­tre der­ma­to­lo­gia e of­tal­mo­lo­gia

O Diario do Norte do Parana - - CIDADES - Fá­bio Lin­jar­di Ro­sân­ge­la Gris e Roberto Sil­va

lin­jar­di@odi­a­rio.com Um ano e dois me­ses de es­pe­ra pa­ra que um or­to­pe­dis­ta ana­li­sas­se os exa­mes. Foi o tem­po que a do­més­ti­ca Le­ci­mei­re Apa­re­ci­da Amo­rim, 49 anos, aguar­dou, até on­tem, quan­do fi­cou fren­te a fren­te com o es­pe­ci­a­lis­ta Gil­son Ku­ro­da. O en­con­tro ocor­reu no pri­mei­ro, de um to­tal de dez mu­ti­rões pa­ra de­sa­fo­gar a fi­la de con­sul­tas es­pe­ci­a­li­za­das na saú­de pú­bli­ca de Ma­rin­gá.

“Não sou cu­ba­no, mas es­tou aqui pa­ra re­sol­ver o pro­ble­ma da se­nho­ra”, dis­se o sor­ri­den­te Ku­ro­da, em alu­são à re­cen­te polêmica en­vol­ven­do o pro­gra­ma Mais Mé­di­cos, do go­ver­no fe­de­ral. Ele che­cou os exa­mes, aper­tou o jo­e­lho da pa­ci­en­te, que re­a­giu re­cla­man­do da dor, e dis­se que aque­la si­tu­a­ção de ar­tro­se, pe­la ida­de da pa­ci­en­te, ain­da não é ca­so pa­ra ci­rur­gia. “Ele fa­lou que pre­ci­so fa­zer fi­si­o­te­ra­pia e hi­dro­gi­nás­ti­ca. Vou ver co­mo fa­zer isso ago­ra, por­que não te­nho di­nhei­ro pa­ra pa­gar um tra­ta­men­to par­ti­cu­lar, o pou­co que a gen­te ga­nha vai tudo em ca­sa”, diz Le­ci­mei­re, que ga­nha R$ 900 por mês.

Por vol­ta das 6 ho­ras da ma­nhã co­me­çou a fi­la de pa­ci­en­tes na Po­li­clí­ni­ca Zo­na Sul, no Jar­dim Ta­ba­e­tê. Às 9 ho­ras já eram cen­te­nas. O mu­ti­rão, pa­go pe­la pre­fei­tu­ra, con­ta com mé­di­cos que não fazem par­te da re­de mu­ni­ci­pal, mas que acei­ta­ram par­ti­ci­par dos tra­ba­lhos. On­tem com­pa­re­ce­ram dez pro­fis­si­o­nais, que re­ce­be­rão do mu­ni­cí­pio R$ 19,50 por con­sul­ta.

Se­gun­do a pre­fei­tu­ra, só es­tão sen­do cha­ma­dos pa­ra o mu­ti­rão da or­to­pe­dia os pa­ci­en­tes que es­tão à es­pe­ra de con­sul­ta há mais de seis me­ses e já têm os exa­mes em mãos. O cha­ma­men­to é in­ter­me­di­a­do pe­los pos­tos de saú­de e os aten­di­men­tos da área de or­to­pe­dia es­tão con­cen­tra­dos na Po­li­clí­ni­ca Zo­na Sul.

A es­ti­ma­ti­va é que ape­nas na or­to­pe­dia a fi­la se­ja de 5,4 mil pa- ci­en­tes - cer­ca de 500 fo­ram aten­di­dos on­tem. Ao to­do, se­rão dez mu­ti­rões, re­a­li­za­dos aos sá­ba­dos até o fim do ano. Além da or­to­pe­dia, ti­da co­mo área de mai­or de­man­da re­pre­sa­da na saú­de lo­cal, ha­ve­rá tra­ba­lhos es­pe­ci­ais pa­ra de­sa­fo­gar as fi­las da der­ma­to­lo­gia e of­tal­mo­lo­gia.

A de­man­da na of­tal­mo­lo­gia é de 2,9 mil con­sul­tas. Na der­ma­to­lo­gia, 4 mil.

Os aten­di­men­tos der­ma­to­ló­gi­cos se­rão con­cen­tra­dos no Pos­to Igua­çu, pró­xi­mo ao con­jun­to Borba Ga­to. Já os exa­mes of- tal­mo­ló­gi­cos, es­tu­da-se fa­zer nos pró­pri­os con­sul­tó­ri­os par­ti­cu­la­res, em da­tas que se­rão com­bi- “Le­van­ta­mos que o ca­so mais an­ti­go à es­pe­ra de aten­di­men­to é de 2010, me­nos do que se es­pe­ra­va” na­das com os mé­di­cos. “Ti­ran­do meio pe­río­do o pro­fis­si­o­nal con­se­gue dar con­ta ”, diz o se­cre­tá­rio de Saú­de, An­to­nio Car­los Nardi.

Se­gun­do a ve­re­a­do­ra Car­men Ino­cen­te, ser­vi­do­ra da Se­cre­ta­ria de Saú­de e que es­tá à fren­te do re­cru­ta­men­to de mé­di­cos pa­ra os mu­ti­rões, as tri­a­gens trou­xe­ram uma sur­pre­sa: “Le­van­ta­mos que o ca­so mais an­ti­go à es­pe­ra de aten­di­men­to é de 2010, me­nos do que se es­pe­ra­va”, diz.

O cus­to to­tal dos dez mu­ti­rões é es­ti­ma­do pe­la pre­fei­tu­ra em R$ 1,2 mi­lhão.

re­da­cao@odi­a­rio.com Dos 47 de­ten­tos que fu­gi­ram do minipresídio da 9ª Subdivisão Po­li­ci­al (SDP) de Ma­rin­gá na ma­dru­ga­da de sex­ta-fei­ra, 12 já ha­vi­am si­do re­cap­tu­ra­dos até a ma­nhã de on­tem. De acor­do com o se­tor de car­ce­ra­gem, os úl­ti­mos cin­co re­cap­tu­ra­dos fo­ram: An­der­son Cle­ber Moi­ra (Cle­bi­nho), 34 anos; Eder Leopoldino (Zoi­nho), 30 anos; Eder­son Már­cio da Sil­va (Bai­xi­nho), 37 anos; Eli­as Di­o­ní­zio de Cer­quei­ra (Lia), 33 anos e Ri­car­do Fa­bi­a­no dos Santos (Ne­guin Ri­car­do), 38 anos. Os ou­tros se­te fo­ram pe­gos ho­ras de­pois da fu­ga - a mai­or da história do minipresídio, em fun­ci­o­na­men­to há 31 anos.

Usan­do bro­cas, ta­lha­dei­ra e pe­da­ços de fer­ro re­ti­ra­dos da es­tru­tu­ra do pré­dio, um gru­po abriu um bu­ra­co com pou­co mais de 30 cen­tí­me­tros de di­â­me­tro. Foi a se­gun­da fu­ga num in­ter­va­lo de 48 ho­ras, ele­van­do pa­ra 51 o to­tal de foragidos. En­tre eles es­tão sus­pei­tos de trá­fi­co e as­sal­tos.

O bu­ra­co da­va aces­so ao pá­tio in­ter­no da de­le­ga­cia, dis­tan­te a 20 me­tros do se­tor de car­ce­ra­gem. Com a vi­são do pá­tio co­ber­ta por uma pa­re­de, os qu­a­tro agen­tes que co­bri­am o plan­tão não per­ce­be­ram a mo­vi­men­ta­ção dos pre­sos, que es­ca­la­ram três mu­ros de pou­co mais de dois me­tros de al­tu­ra ca­da pa­ra al­can­çar a rua.

Se­gun­do a Po­lí­cia Ci­vil, a fu­ga en­vol­veu ape­nas pre­sos re­co­lhi­dos na ex­tin­ta ga­le­ria fe­mi­ni­na. Com ape­nas seis ce­las e ca­pa­ci­da­de pa­ra abri­gar 24 pes­so­as, a ga­le­ria con­ta­va com 104 pre­sos.

Ra­fa­el Sil­va

De­pois de es­pe­rar 14 me­ses por uma con­sul­ta, a do­més­ti­ca Le­ci­mei­re Amo­rim con­se­guiu ser aten­di­da

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.