Smartpho­ne

O Diario do Norte do Parana - - CLASSIDIÁRIO - Ta­li­ta Ama­ral ta­li­ta@odi­a­rio.com

Mui­tas ve­zes um ne­gó­cio é per­di­do por­que o cli­en­te não tem tem­po de ir até a imo­bi­liá­ria pa­ra lo­car ou com­prar um imó­vel de­pois de ver uma pla­ca de ‘ven­de-se ou alu­ga-se’. Pa­ra re­sol­ver es­ta si­tu­a­ção, a Gra­na­do Imó­veis – João Gra­na­do aca­ba de im­plan­tar a tec­no­lo­gia QR Co­de, que iden­ti­fi­ca e di­re­ci­o­na o in­te­res­sa­do pa­ra uma pá­gi­na na in­ter­net on­de po­de vi­su­a­li­zar to­das as in­for­ma­ções adi­ci­o­nais que de­se­ja a res­pei­to do imó­vel pre­ten­di­do. É a pri­mei­ra na ci­da­de a uti­li­zar es­sa fer­ra­men­ta que fa­ci­li­ta, e mui­to, a vi­da dos cli­en­tes.

O QR Co­de é uma es­pé­cie de có­di­go de bar­ras, que po­de ser im­pres­so nas pla­cas imo­bi­liá­ri­as, po­si­ci­o­na­das di­re­ta­men­te na ca­sa, ter­re­no ou apar­ta­men­to e co­di­fi­ca uma in­for­ma­ção em uma ima­gem, pos­si­bi­li­tan­do a lei­tu­ra por meio de apli­ca­ti­vos (smartpho­ne) que fazem a lei­tu­ra do có­di­go. Es­ta fer­ra­men­ta per­mi­te que o cli­en­te ve­ri­fi­que na ho­ra to­dos os da­dos do imó­vel, in­cluin­do fo­tos, di­men­sões, va­lo­res, além do te­le­fo­ne e email da imo­bi­liá­ria.

“Es­ta­mos sem­pre pro­cu­ran­do me­lho­ri­as com o ob­je­ti­vo de aumentar a sa­tis­fa­ção dos nos­sos cli­en­tes, atra­vés do acrés­ci­mo de va­lor agre­ga­do na pres­ta­ção de ser­vi­ços”, afir­ma o di­re­tor da imo­bi­liá­ria, João Gabriel Gra­na­do.

Se­gun­do ele, a em­pre­sa per­ce­beu a pos­si­bi­li­da­de de uti­li­za­ção da fer­ra­men­ta quan­do ini­ci­ou o pro­je­to de mo­der­ni­za­ção do si­te, no iní­cio do ano pas­sa­do. “Atra­vés do no­vo si­te que usa urls ami­gá­veis, ca­da imó­vel pos­sui uma url úni­ca, que po­de ser uti­li­za­da pa­ra ge­rar o QR Co­de. Da ideia à prá­ti­ca foi um pro­ces­so re­la­ti­va­men­te de­mo­ra­do, mas fi­ca­mos fe­li­zes por ser pi­o­nei­ros em Ma­rin­gá”, co­men­ta o di­re­tor.

“De­ci­di­mos uti­li­zar es­sa fer­ra­men­ta, pois acre­di­ta­mos que ela agre­ga mais va­lor pa­ra os nos­sos cli­en­tes, tan­to os pro­pri­e­tá­ri­os que con­fi­am em nos­sos ser­vi­ços pa­ra ven­da e lo­ca­ção de imó­veis, quan­to pa­ra o po­ten­ci­al com­pra­dor ou in­qui­li­no do imó­vel”, acres­cen­ta Gra­na­do.

Fun­ci­o­nal

A tec­no­lo­gia, que se­gun­do o di­re­tor é re­la­ti­va­men­te an­ti­ga, já exis­te em ou­tros países e em al­guns ca­sos iso­la­dos no Bra­sil. “Só ago­ra exis­te um am­bi­en­te pro­pí­cio pa­ra uti­li­za­ção des­sa for­ma, por con­ta da po­pu­la­ri­za­ção dos smartpho­nes, que são ca­pa­zes de fa­zer a lei­tu­ra dos có­di­gos e pla­nos de da­dos”, ob­ser­va Gra­na­do.

Ele con­ta que em 2010, quan­do co­me­çou a tra­ba­lhar na em­pre­sa, se de­pa­rou com o pro­ble­ma do se­tor de en­ge­nha­ria que es­ta­va cres­cen­do, mas não ha­via es­pa­ço fí­si­co pa­ra mais con­tra­ta­ções. “Pre­ci­sá­va­mos de uma so­lu­ção tem­po­rá­ria en­quan­to nos­sa se­de pró­pria (na Av. Ho­rá­cio Rac­ca­nel­lo, 5.550, on­de ho­je fi­ca a cons­tru­to­ra) não fi­ca­va pron­ta. De­ci­di­mos en­tão alu­gar um imó­vel, e um dos pré-re­qui­si­tos era lo­ca­li­za­ção. Saí a pé pro­cu­ran­do por imó­veis pró­xi­mos à imo­bi­liá­ria. Quan­do en­con­tra­va uma pla­ca de ‘alu­ga-se’ eu ti­ra­va uma fo­to da pla­ca e da fren­te do imó­vel. Vol­ta­va pa­ra o es­cri­tó­rio abria meu com­pu­ta­dor, pro­cu­ra­va no si­te da imo­bi­liá­ria pe­lo imó­vel em ques­tão, pa­ra na mai­o­ria das ve­zes des­co­brir que o es­pa­ço não aten­dia às mi- nhas ne­ces­si­da­des. Uma gran­de per­da de tem­po. Es­se fa­to me mar­cou, pois per­ce­bi aí uma opor­tu­ni­da­de de me­lho­ria. Se as imo­bi­liá­ri­as já uti­li­zas­sem a tec­no­lo­gia QR Co­de na­que­la épo­ca eu te­ria re­sol­vi­do meu pro­ble­ma com mui­ta mais agi­li­da­de. Ho­je isso já é pos­sí­vel”.

Pa­ra Gra­na­do, o prin­ci­pal be- ne­fi­ciá­rio da im­plan­ta­ção des­sa tec­no­lo­gia é o cli­en­te, já que as pla­cas de ‘ven­de-se e alu­ga­se’ ain­da são um dos prin­ci­pais mei­os de divulgação do imó­vel. “Com es­sa tec­no­lo­gia o cli­en­te po­de vi­su­a­li­zar to­das as in­for­ma­ções do imó­vel na ho­ra. A res­pos­ta so­bre se aque­le imó­vel aten­de às su­as ne­ces­si­da­des pas­sa a ser ins­tan­tâ­nea”.

A tec­no­lo­gia foi im­plan­ta­da na imo­bi­liá­ria há um mês e, se­gun­do Gra­na­do, as pes­so­as ain­da es­tão se acos­tu­man­do com a ideia. “Acre­di­ta­mos que a uti­li­za­ção da fer­ra­men­ta vai se po­pu­la­ri­zar con­for­me as de­mais imo­bi­liá­ri­as co­me­cem a uti­li­zar a tec­no­lo­gia tam­bém”.

Ra­fa­el Sil­va

TI­RAR FO­TO QR Co­de é im­pres­so nas pla­cas. Com o smatpho­ne é pos­sí­vel con­fe­rir de­ta­lhes do imó­vel

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.