Juiz man­da Câ­ma­ra votar ve­tos do Exe­cu­ti­vo

O Diario do Norte do Parana - - MARINGÁ - Mu­ri­lo Gat­ti mgat­ti@odi­a­rio.com

Leis fo­ram pro­mul­ga­das pe­lo ex-pre­si­den­te Ulis­ses Maia, au­tor dos pro­je­tos As­ses­so­ria da Câ­ma­ra aguar­da no­ti­fi­ca­ção pa­ra fa­lar so­bre o as­sun­to

O juiz da 1ª Va­ra da Fa­zen­da Pú­bli­ca, Fa­bi­a­no Rodrigo de Sou­za, aca­tou man­da­do de se­gu­ran­ça pro­pos­to pe­la Pre­fei­tu­ra de Ma­rin­gá e de­ter­mi­nou, por meio de de­ci­são li­mi­nar, que a Câ­ma­ra Mu­ni­ci­pal pro­ce­da a vo­ta­ção de três ve­tos do Exe­cu­ti­vo a pro­je­tos de lei de au­to­ria do ex-pre­si­den­te da Ca­sa, Ulis­ses Maia (SD). No ano pas­sa­do, com ba­se em pa­re­cer da Pro­cu­ra­do­ria Ju­rí­di­ca da Câ­ma­ra, Maia con­si­de­rou que os ve­tos che­ga­ram ao Le­gis­la­ti­vo so­men­te de­pois do pra­zo le­gal es­ti­pu­la­do no re­gi­men­to in­ter­no da Ca­sa e, por es­sa ra­zão, pro­mul­gou­as­leis.

“A equi­pe téc­ni­ca da Câ­ma­ra con­si­de­rou que o pra­zo do ve­to foi per­di­do e, nes­sas si­tu­a­ções, ca­be ao pre­si­den­te da Câ­ma­ra pro­mul­gar a lei. To­ma­mos es­sa me­di­da com ba­se no pa­re­cer da Pro­cu­ra­do­ria Ju­rí­di­ca”, afir­mou o ex-pre­si­den­te.

O che­fe da ga­bi­ne­te e exp­ro­cu­ra­dor-ge­ral da pre­fei­tu­ra, Luiz Car­los Man­za­to, afir­mou ter ten­ta­do, pe­lo ca­mi­nho do diá­lo­go, de­mons­trar que o mu­ni­cí­pio es­ta­va cor­re­to, pois os ve­tos fo­ram apre­sen­ta­dos den­tro do pra­zo de 15 di­as úteis, mais 48 ho­ras, con­for­me pre­vis­to no re­gi­men­toin­ter­no­daCâ­ma­ra.

“En­tra­mos com o man­da­do de se­gu­ran­ça por­que en­ten­de­mos que a con­ta­gem fei­ta pe­lo Le­gis­la­ti­vo es­ta­va er­ra­da. Ago­ra, os ve­tos de­ve­rão ser le­va­dos ao ple­ná­rio pa­ra a apre­ci­a­ção”, dis­se.

Man­za­to con­si­de­ra o fa­to co­mo iné­di­to. “Nun­ca ti­nha vis­to uma si­tu­a­ção des­sas. Em que a Câ­ma­ra vai ter de des­fa­zer o ato for­mal da pro­mul­ga­ção de uma lei pa­ra re­to­mar a apre­ci­a­ção do ve­to no ple­ná­rio. Os ad­vo­ga­dos do Le­gis­la­ti­vo vão ter que en­con­trar uma so­lu­ção ju­rí­di­ca pa­ra­o­ca­so”,afir­mou.

Co­mo ain­da não foi no­ti­fi­ca­da ofi­ci­al­men­te da de­ci­são ju­di­ci­al, a Pro­cu­ra­do­ria Ju­rí­di­ca da Câ­ma­ra pre­fe­riu não se ma­ni­fes­tar so­bre o as­sun­to. O ex-pre­si­den­te da Ca­sa afir­mou que não vê em­pe­ci­lhos pa­ra co­lo­car os ve­tos em vo­ta­ção e dei­xar que os ve­re­a­do­res­de­li­be­rem­so­bre­os­pro­je­tos. “Em que pe­se ser uma de­ci­são li­mi­nar, tem que ser cum­pri­da. Não ve­jo pro­ble­mas na Câ­ma­ra pa­ra co­lo­car os ve­tos em vo­ta­ção, pa­ra que o ple­ná­rio de­ci­da­a­go­ra”,con­si­de­rouMaia.

O juiz Fa­bi­a­no Rodrigo de Sou­za ar­bi­trou mul­ta diá­ria, a con­tar do pra­zo de cin­do di­as, da in­ti­ma­ção pa­ra que a de­ci­são se­ja cum­pri­da. “Di­an­te da no­tí­cia de des­cum­pri­men­to da de­ci- são li­mi­nar, ar­bi­tro mul­ta diá­ria”, de­ter­mi­nou.

Ve­tos

As leis que re­tor­nam pa­ra a aná­li­se dos ve­re­a­do­res são a de­no­mi­na­ção, co­mo Nelson Rothe­ro, do Cen­tro Mu­ni­ci­pal de Edu­ca­ção In­fan­til (CMEI), em fa­se fi­nal de cons­tru­ção, no lo­te­a­men­to Su­ma­ré.

Ou­tra ques­tão é o pro­je­to que re­ti­ra a obri­ga­ção, pre­vis­ta em lei de 1996, da cons­tru­ção de uma cre­che em ter­re­no con­ce­di­do pe­lo mu­ni­cí­pio ao Sin­di­ca­to dos Con­du­to­res de Veí­cu­los Ro­do­viá­ri­os e Tra­ba­lha­do­res em Em­pre­sas de Trans­por­te. Com a al­te­ra­ção, a Câ­ma­ra per­mi­tiu que o ter­re­no se­ja usa­do ape­nas co­mo­se­de­so­ci­al­do­sin­di­ca­to.

A ter­cei­ra pen­dên­cia é a lei que Or­ga­ni­za a Po­lí­ti­ca Mu­ni­ci­pal de Trans­pa­rên­cia e Con­tro­le Social, ins­ti­tui a Con­fe­rên­cia Mu­ni­ci­pal de Trans­pa­rên­cia e Con­tro­le Social e cria o Con­se­lho Mu­ni­ci­pal de Trans­pa­rên­cia e Con­tro­le Social.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.