O que vo­cê de­se­ja ser: pro­fis­si­o­nal co­mum ou di­a­man­te?

O Diario do Norte do Parana - - OPINIÃO - CLAI­TON FERNANDEZ Mes­tre em Ad­mi­nis­tra­ção, MBA com ên­fa­se em Ges­tão Em­pre­sa­ri­al, pós-gra­du­a­do em Ad­mi­nis­tra­ção de Re­cur­sos Hu­ma­nos e es­pe­ci­a­lis­ta em Bu­si­ness and Ma- na­ge­ment for In­ter­na­ti­o­nal Pro­fes­si­o­nals pe­la UCI/Ca­li­fór­nia/EUA

Não acre­di­to que uma pes­soa pos­sa ter su­ces­so se, to­dos os di­as, fi­zer ape­nas o me­lhor, por­que o me­lhor é al­go ex­tre­ma­men­te sub­je­ti­vo. En­ten­do que o su­ces­so co­me­ça a par­tir de um pro­je­to de vi­da bem ela­bo­ra­do, pla­ne­ja­do e que é exe­cu­ta­do.

Pa­ra que tra­ba­lha­mos? Pa­ra pa­gar con­tas? Que ser hu­ma­no se mo­ti­va por pa­gar con­tas? É cla­ro que te­mos que hon­rar nos­sos com­pro­mis­sos, in­clu­si­ve fi­nan­cei­ros, mas is­so não mo­ti­va. O que mo­ti­va mes­mo é o so­nho, o pro­je­to de vi­da e o de­sa­fio em bus­car e al­can­çar al­go su­pe­ri­or.

As­sim, ve­jo o mer­ca­do de tra­ba­lho se di­vi­dir em três gran­des gru­pos: o dos su­bem­pre­ga­dos ou de­sem­pre­ga­dos, o dos co­muns e o dos di­a­man­tes.

Se a pes­soa es­co­lheu ser um di­a­man­te, ela aca­ba de op­tar pe­lo ca­mi­nho mais di­fí­cil da vi­da, no qual a mai­o­ria das pes­so­as não vai se­guir. É mui­to mais fá­cil ser co­mum.

Quem é o di­a­man­te? É o pro­fis­si­o­nal di­fe­ren­ci­a­do. A pes­soa co­mum faz o tra­ba­lho se al­guém pe­dir, o di­a­man­te pe­de pa­ra fa­zer. A pes­soa co­mum faz o seu tra­ba­lho bá­si­co, en­quan­to o di­a­man­te é ino­va­dor, cri­a­ti­vo. A co­mum é mo­ti­va­da pe­lo che­fe; já o di­a­man­te vem de ca­sa mo­ti­va­do pa­ra o tra­ba­lho. O di­a­man­te acre­di­ta sem­pre num ama­nhã me­lhor, e o co­mum se con­ten­ta com o “Tá ven­do! To­ma­ra que dê, né?” A pes­soa co­mum tra­ba­lha du­ro du­ran­te o dia e, à tardinha, sai da em­pre­sa su­per can­sa­do. O di­a­man­te tam­bém tra­ba­lha du­ro e de­pois vai ler, es­tu­dar, fa­zer cur­sos, as­sis­tir pa­les­tras, se de­sen­vol­ver. É mui­to mais fá­cil ser co­mum.

O mai­or pro­ble­ma ho­je é que as pes­so­as pa­ra­ram de so­nhar e por ra­zões con­cre­tas. Acon­te­ce que gran­de par­te das pes­so­as que nos cer­cam não têm su­ces­so, o que é um ce­ná­rio pro­pí­cio pa­ra a pes­soa con­cluir: por que vou ser um di­a­man­te? Ela se es­que­ce que, da lis­ta das 100 pes­so­as mais bem su­ce­di­das do mundo, so­men­te 18 nas­ce­ram em la­res bem su­ce­di­dos. Quer di­zer, es­te é um mundo on­de dá pa­ra so­nhar e ga­nhar o jo­go.

Es­ta­mos no mo­men­to da se­le­ção na­tu­ral da es­pé­cie. O jovem de ho­je vai vi­ver a ge­ra­ção mais com­pe­ti­ti­va da his­tó­ria da hu­ma­ni­da­de e ele tem que es­tar pron­to pa­ra ser um di­a­man­te. Só que as ins­ti­tui­ções de en­si­no não pre­pa­ram di­a­man­tes. Re­ceio que os jo­vens que es­tão ho­je nas me­lho­res re­des de en­si­no vão fa­zer a me­lhor fa­cul­da­de, a me­lhor pós-gra­du­a­ção e não se­rão pes­so­as de su­ces­so.

Por quê? Por­que têm QI, mas não têm QE. Têm quo­ci­en­te in­te­lec­tu­al (QI), mas não pos­su­em quo­ci­en­te emo­ci­o­nal (QE). O QE ho­je é o gran­de di­fe­ren­ci­al das pes­so­as de su­ces­so. Não adi­an­ta ser um gê­nio e não en­ten­der de gen­te, não se co­nhe­cer a si. O pes­so­al e o pro­fis­si­o­nal con­ver­gem pa­ra o mes­mo lu­gar. Um di­a­man­te tra­ba­lha seu QI e seu QE de for­ma equi­li­bra­da.

Creio po­der­mos atri­buir ao su­ces­so 60% de emo­ção e 40% de téc­ni­ca. Pos­so ser um pro­fun­do en­ten­de­dor de de­ter­mi­na­do as­sun­to, mas ser ze­ro em re­la­ci­o­na­men­to hu­ma­no. O me­lhor pro­fis­si­o­nal não é o me­lhor tec­ni­ca­men­te, por­que o co­nhe­ci­men­to téc­ni­co es­tá mui­to equi­li­bra­do e vi­rou com­mo­dity. O me­lhor pro­fis­si­o­nal é o que en­ten­de de pes­so­as, e is­to é um va­lor do di­a­man­te.

Co­mo se vê, não exis­tem fór­mu­las pron­tas pa­ra ser um di­a­man­te, exis­tem ca­mi­nhos pa­ra es­co­lher e per­cor­rer, o que nem sem­pre é fá­cil.

E vo­cê, já fez sua es­co­lha: ser di­a­man­te ou ser co­mum?

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.