Fal­ta de si­na­li­za­ção e bu­ra­cos mo­ti­vam ações e in­de­ni­za­ções

O Diario do Norte do Parana - - MARINGÁ - Mu­ri­lo Gat­ti mgat­ti@odi­a­rio.com

Jus­ti­ça tem aca­ta­do pe­di­dos de pes­so­as que so­frem aci­den­tes Fal­ta de ma­nu­ten­ção é a prin­ci­pal cau­sa des­sas ocor­rên­ci­as

Cair num bu­ei­ro sem tam­pa ou cal­ça­da, so­frer um aci­den­te de mo­to­ci­cle­ta­a­o­des­vi­ar­deum­bu­ra­co ou na pas­sa­gem por uma lom­ba­da sem si­na­li­za­ção são si­tu­a­ções que po­dem ser qu­es­ti­o­na­das ju­di­ci­al­men­te e, em Ma­rin­gá, têm ga­ran­ti­do às ví­ti­mas o pa­ga­men­to de in­de­ni­za­ções por da­nos ma­te­ri­ais e da­nos mo­rais. Só nos úl­ti­mos 30 di­as, ao me­nos qua­tro ci­da­dãos ma­rin­ga­en­ses ob­ti­ve­ram de­ci­sões fa­vo­rá­veis de pri­mei­ra ins­tân­cia nas du­as va­ras da Fa­zen­da Pú­bli­ca da Co­mar­ca con­tra o mu­ni­cí­pio e con­tra a Uni­ver­si­da­de Es­ta­du­al de Ma­rin­gá(UEM).

O ca­so mais re­cen­te é de um mo­to­ci­clis­ta que na tar­de do dia 18 de agos­to de 2010 ale­gou ter per­di­do o equi­lí­brio ao trans­por uma lom­ba­da sem si­na­li­za­ção den­tro do cam­pus da UEM. O as­fal­to ha­via si­do re­ca­pe­a­do, mas a si­na­li­za­ção ain­da não ti­nha si­do re­fei­ta. A ví­ti­ma, que in­gres­sou com a ação con­tra a UEM e o mu­ni­cí­pio, ale­gou que a via não po­de­ria ter si­do li­be­ra­da sem a con­clu­são da si­na­li­za­ção.

O juiz con­cor­dou que o mu­ni- cí­pio não tem res­pon­sa­bi­li­da­de pe­lo trân­si­to den­tro da UEM e ab­sol­veu a pre­fei­tu­ra da ação, mas a uni­ver­si­da­de, que ale­gou a cul­pa da ví­ti­ma, por não ob­ser­va­ra­pla­ca­de­si­na­li­za­ção­da­lom­ba­da e a ve­lo­ci­da­de in­com­pa­tí­vel do con­du­tor, aca­bou con­de­na­da a pa­gar R$ 5 mil por da­nos mo­rais e mais R$ 1,95 mil por da­nos ma­te­ri­ais. Ain­da ca­be re­cur­so à de­ci­são, pro­fe­ri­da pe­lo juiz Marcel Fer­rei­ra dos San­tos, da 2ª Va­ra da Fa­zen­da Pú­bli­ca, no­di­a5­de­mar­ço.

Va­lor­mai­or­po­ru­main­de­ni­za­ção foi ob­ti­do por uma mu­lher que, no fi­nal da ma­nhã de 9 de ju­lho de 2011, caiu após tro­pe­çar em bu­ra­co que ha­via na cal­ça­da da Rua Jou­bert de Car­va­lho. Ela in­gres­sou com a ação con­tra o mu­ni­cí­pio e con­tra a em­pre­sa res­pon­sá­vel pe­lo pas­seio pú­bli­co. Mes­mo com a ale­ga­ção de que o aci­den­te ocor­reu em de­pen­dên­ci­as­de­es­ta­be­le­ci­men­to pri­va­do, o mu­ni­cí­pio aca­bou con­de­na­do, jun­to a em­pre­sa, ao pa­ga­men­to de in­de­ni­za­ção de R$ 15 mil por da­nos mo­rais e R$ 69 por da­nos ma­te­ri­ais. A de­ci­são é do juiz Ni­co­la Fras­ca­ti Ju­ni­or, da 2ª Va­ra da Fa­zen­da Pú­bli­ca deMa­rin­gá.

Um ho­mem ví­ti­ma de aci­den- te de mo­to­ci­cle­ta re­gis­tra­do no dia 9 de se­tem­bro de 2010, no Con­tor­no Sul Anel Viá­rio Sin­cler Sam­bat­ti, tam­bém ga­ran­tiu in­de­ni­za­ção ao afir­mar que per­deu o con­tro­le do veí­cu­lo ao pas­sar­po­rum­bu­ra­co­na­pis­ta.Omo­to­ci­clis­ta so­freu um trau­ma no pu­nho es­quer­do. Mes­mo com a ar­gu­men­ta­ção de que tem tra­ba­lha­do de for­ma su­fi­ci­en­te pa­ra a ma­nu­ten­ção das vi­as pú­bli­cas, o mu­ni­cí­pi­o­con­ven­ceu­o­juizFa­bi­a­no Rodrigo de Sou­za, da 1ª Va­ra da Fa­zen­da Pú­bli­ca. Na sen­ten­ça pu­bli­ca­da no dia 26 de fe­ve­rei­ro,omu­ni­cí­pi­o­a­ca­bou­con­de­na­do a pa­gar R$ 10 mil a tí­tu­lo de da­nos mo­rais, R$ 2 mil por da­nos ma­te­ri­ais, além de ou­tros R$ 3 mil pe­las cus­tas e ho­no­rá­ri­os ad­vo­ca­tí­ci­os.

Sou­za tam­bém as­si­na a sen­ten­ça que con­de­na o mu­ni­cí­pio a in­de­ni­zar uma mu­lher que, na noi­te de 25 de agos­to de 2012, caiu em um bu­ei­ro ao sair da Ca­pe­la Me­ni­no Je­sus. Co­mo a ví­ti­ma ale­gou no pro­ces­so que ti­nha si­do ma­dri­nha do ba­ti­za­do que par­ti­ci­pou e, de­pois, em de­poi­men­to, ad­mi­tiu ser ape­nas con­vi­da­da, o juiz de­ter­mi­nou que ela re­em­bol­se o mu­ni­cí­pio em 20% do va­lor da cau­sa, por ter agi­do de má-fé. Mes­mo as­sim os da­nos mo­rais a se­rem pa­gos­pe­lo­mu­ni­cí­pi­o­fo­ram­fi­xa­do­semR$5mil.

O che­fe de ga­bi­ne­te da Pre­fei­tu­ra de Ma­rin­gá, Luiz Car­los Man­za­to, afir­mou que o mu­ni­cí­pio re­cor­re das sen­ten­ças e, em al­guns ca­sos, con­se­gue re­ver­ter a de­ci­são de pri­mei­ra ins­tân­cia. “En­ten­de­mos que em mui­tos ca­sos não ca­be a in­de­ni­za­ção e fa­ze­mos o re­cur­so ”, ava­lia.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.