Do­na de ca­sa pe­de aju­da pa­ra que res­ga­tem ca­chor­ro aban­do­na­do

O Diario do Norte do Parana - - MARINGÁ - Luiz Car­va­lho car­va­lho@odi­a­rio.com

Cão es­tá per­di­do no Jar­dim Bra­sil e re­ce­be ali­men­ta­ção de uma mo­ra­do­ra ; CCZ não tem es­tru­tu­ra pa­ra re­co­lher ani­mal .

Um cão mar­rom, de gran­de por­te, es­tá cha­man­do a aten­ção­de­mo­ra­do­res do Jar­dim Bra­sil, em es­pe­ci­al da Rua Ru­bi, on­de pas­sa os di­as dei­ta­do nos por­tões das ca­sas ou sob as ár­vo­res da rua. O ani­mal, cu­ja ra­ça nin­guém sou­be de­fi­nir, é manso e com apa­rên­cia de bem cui­da­do, mas pa­re­ce não sa­ber vol­tar pa­ra ca­sa ou não tem mais ca­sa pa­ra on­de vol­tar.

“Cau­sa mais pe­na do que me­do”, diz a do­na de ca­sa Ver­ci Car­do­so, uma das pri­mei­ras a no­tar a si­tu­a­ção do ca­chor­ro. Ela acre­di­ta que o ani­mal per­ten­cia aal­gu­ma­fa­mí­li­a­das­pro­xi­mi­da­des que mu­dou-se, dei­xan­do-o, ou que po­de es­tar per­di­do, sem sa­ber­vol­tar­pa­ra­seus­do­nos.

Se­gun­do Ver­ci, ela es­tá di­a­ri­a­men­te co­lo­can­do ra­ção e água pa­ra o ca­chor­ro, es­pe­rou al­guns di­as pa­ra ver se al­guém o pro­cu­ra­va, mas co­mo não apa­re­ceu nin­guém, de­ci­diu pe­dir o apoio das or­ga­ni­za­ções não go­ver­na­men­tais que se de­di­cam à pro­te­ção dos ani­mais e do Cen­tro de Con­tro­le­deZo­o­no­ses(CCZ),uni­da­de de saú­de pú­bli­ca li­ga­da à Se­cre­ta­ria Mu­ni­ci­pal de Saú­de e res­pon­sá­vel pe­los sis­te­mas de vi­gi­lân­cia sa­ni­tá­ria ani­mal e epi­de­mi­o­ló­gi­ca.

“O ide­al se­ria que al­guém da­qui­mes­mo­a­do­tas­se­o­ca­chor­ro, mas em qua­se to­das as ca­sas já há cães e eu não pos­so le­vá-lo pa­ra mi­nha ca­sa por­que já crio 10 ga­tos e acho que a con­vi­vên­cia não se­ria na­da pa­cí­fi­ca”, ex­pli­ca amu­lher.

Cri­té­ri­os

O CCZ não tem co­mo aten­der to­das as co­mu­ni­ca­ções so­bre ani­mais nas ru­as de Ma­rin­gá por fal­ta de es­tru­tu­ras pa­ra alo­já-los, já que são de­ze­nas de pe­di­dos por dia. Se­gun­do o ge­ren­te do ór­gão, ve­te­ri­ná­rio Gui­lher­me Pu­pu­lin, os pe­di­dos pa­ra re­co­lhi­men­to­de­a­ni­mais­na­mai­o­ria dos ca­sos de­ve-se a ani­mais agin­do de for­ma agres­si­va, ou por es­ta­rem do­en­tes ou por­que a pre­sen­ça­de­les­sim­ples­men­tein­co­mo­da­al­gu­mas­pes­so­as.

“Co­mo não te­mos es­tru­tu­ra pa­ra aten­der to­dos os pe­di­dos pa­ra re­co­lhi­men­to de ca­chor­ros que re­ce­be­mos, te­mos que ado­tar al­guns cri­té­ri­os de pri­o­ri­da­de, le­van­do em con­si­de­ra­ção, por exem­plo, se o cão es­tá sen­do agres­si­vo, ata­can­do pes­so­as nas ru­as. Tam­bém da­mos pri­o­ri­da­de a ani­mais que fo­ram atro­pe­la­dos ou que es­te­jam com al­gu­ma zo­o­no­se que pos­sa pas­sar pa­ra ou­tros ani­mais ou pes­so­as”, ex­pli­ca o ve­te­ri­ná­rio.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.